Paraná tem redução de 25 mil roubos e furtos em 2018

19/12/2018 08:450 comments

O número de roubos registrados no Paraná reduziu em todas as 23 Áreas Integradas de Segurança Pública do Estado durante os nove primeiros meses deste ano em comparação com o mesmo período do ano anterior.

De janeiro a setembro foram registrados no Paraná 25 mil furtos e roubos a menos que no mesmo período do ano passado. O crime de roubo reduziu em 24%, resultando em 14.572 ocorrências a menos durante o período (em 2018 foram 46.116 ocorrências, contra 60.688 em 2017).

Paraná tem redução de 25 mil roubos e furtos em 2018 – Foto: Arquivo ANPr

As informações constam no relatório estatístico criminal elaborado pela Coordenadoria de Análise e Planejamento Estratégico (Cape) da Secretaria de Estado da Segurança Pública.

De acordo com o secretário da Segurança Pública, Júlio Reis, o levantamento mostra redução significativa na maioria dos crimes patrimoniais. “Recentemente divulgamos a diminuição do número de homicídio e agora também de crimes patrimoniais, que era outro grande desafio proposto pela governadora Cida Borghetti. Na somatória de furtos e roubos foram 25 mil casos a menos neste ano. Este é um dado extremamente relevante que coroa o esforço da polícia e representa mais tranquilidade para os paranaenses na preservação de seu patrimônio”, disse.

A maior redução de roubos em todo o Estado foi na 7ª Área Integrada de Segurança Pública de Guarapuava (-44,2%), seguido pela 16ª AISP de Paranavaí (-43,7%) e pela 20ª AISP de Londrina (-42%). Em Curitiba, que abrange a 1ª AISP, a redução foi de 18,4%, e nos municípios da Região Metropolitana de Curitiba, que pertencem a 2ª AISP, a redução foi ainda maior -25,5%.

Entre as modalidades de roubo pode-se perceber diminuição no índice de roubo de veículos (-31,4%), roubo a residência (-27,2%), roubo em ambiente público (-22,4%) e roubo a comércio (-25%).

Para a comandante-geral da Polícia Militar, coronel Audilene Dias Rocha, os resultados refletem um novo modelo de policiamento ostensivo praticado no Estado, que associa trabalho de inteligência, integração, e mais proximidade da polícia com a comunidade. “A Polícia Militar, além de fazer o policiamento ostensivo, preventivo, fez inúmeras operações”, disse a comandante. Segundo ela, outra coisa que contribuiu muito, principalmente em cidades menores, é que o policial conhece a população. “Esse contato próximo com a comunidade faz com que ele obtenha muitas informações e trabalhe em cima disso. Já nos grandes centros, as operações integradas com outras forças de segurança são muito utilizadas, principalmente em épocas que tem feriado prolongado, como agora no Natal”, afirmou.
FURTOS — O levantamento também mostra que os registros de furtos reduziram em 21 das 23 Áreas Integradas de Segurança Pública do Estado. Em todo o Paraná foram 9.824 casos a menos (uma redução de 7%) durante os nove primeiros meses deste ano em comparativo com o mesmo período de 2017. A 22ª AISP de Telêmaco Borba, que engloba dez municípios da região, foi a área que mostrou a maior redução (-20,3%), seguido pela 8ª AISP de Laranjeiras do Sul (-20%), e 23ª AISP de Jacarezinho (-18,5%).

As reduções foram significativas em furto a veículos (-11,7%), furto a residência (-12%), furto em ambiente público (-4,2%) e furto a comércio (-9,2%).

SINERGIA – Na avaliação do delegado-geral da Polícia Civil, Naylor Robert de Lima, nos últimos anos houve uma sinergia no trabalho integrado das polícias resultando em redução da criminalidade. “São resultados altamente positivos pois, ao contrário do restante do país, que infelizmente registra aumento dos índices de criminalidade, aqui no Paraná estamos conseguindo redução em várias modalidades de crimes. Isto é decorrente da integração entre as polícias, essa sinergia positiva que deu esse resultado tão esperado por nós”, afirmou.

DROGAS – Ainda de acordo com o levantamento, o número de boletins de ocorrência registrados sobre tráfico de drogas aumentou 15,8% durante o período, mostrando a atuação policial no combate a essa modalidade de crime. Referente ao uso de drogas, o aumento nos registros também foi significativo, 10,7% a mais.

AEN/PR