Moradores protestaram pela falta de asfalto no Aratinga

14/08/2019 10:250 comments

Arapoti – Durante um audiência pública realizada na noite desta terça-feira, 13, na Câmara Municipal, para debater o financiamento de R$ 10 milhões da Prefeitura, moradores do Jardim Aratinga foram cobrar das autoridades a pavimentação das ruas do bairro, em especial da Mário Lemes Ribeiro. A reunião foi convocada pela Comissão de Finanças e Orçamento (CFO) do legislativo e teve como propósito dar transparência à população sobre onde serão investidos os recursos do empréstimo previsto no projeto encaminhado pelo Executivo.

Diversos cartazes pediam o asfalto no Aratinga, aguardado há anos pelos moradores. “Mário Lemes Ribeiro existe”, “Onde está o nosso asfalto?” diziam alguns dos cartazes. A prefeita Nerilda Penna chegou a convocar a população em vídeo nas redes sociais para comparecer à audiência, mas não marcou presença. O fato foi comentado pelo vereador Jean Carlos Klichowski. “Estamos agora na Câmara Municipal discutindo o futuro de Arapoti sobre o empréstimo de R$ 10 milhões, mas lamentavelmente a prefeita convidou a população mas não veio na audiência” disse o parlamentar através das redes sociais.

O presidente da CFO, vereador Victor Brondani, afirmou que o projeto precisa ser bem debatido com a população, pois gerará comprometimento na capacidade de financiamento do município pelos próximos anos, além da conta que será paga por toda a população após a conclusão da obra. O projeto da prefeitura prevê investimentos em pavimentação, aquisição de imóveis e reforma de imóveis públicos.

“Sobre esse financiamento de R$ 10 milhões junto à Caixa Econômica, com juros de 1% ao mês, serão pagos aproximadamente R$ 15,5 milhões pelo Município. Como a prefeitura só pode contratar um financiamento de R$ 20 milhões, esse projeto comprometerá consideravelmente a capacidade de se adquirir um novo empréstimo pelos próximos 10 anos, restando aproximadamente R$ 4 milhões. Há de se ressaltar também que após a conclusão do asfalto toda a população arapotiense vai ter que pagar pela obra, como contribuição de melhoria, embutido em impostos. Até por isso existe a necessidade dessa reunião para ouvir a população” esclareceu Victor.