Projeto quer prevenir gravidez na adolescência em Arapoti

16/08/2019 15:470 comments

Arapoti – Hoje, a cidade possui uma taxa de gravidez na adolescência de 8,7%, índice  superior ao mundial (4,6%) e ao brasileiro (6,4%), segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS). Pensando nisto, o vereador Jean Carlos Klichowski (Professor Jean) elaborou um projeto de lei que visa fortalecer o trabalho de prevenção e conscientização através de ações conjuntas da Secretaria de Saúde, Educação e Assistência Social do Município.

Vereador Jean propõe ações que visem diminuir o número de adolescentes grávidas no município. Foto: Divulgação

“A gravidez na adolescência tornou-se nos últimos tempos um grande problema de saúde pública, pois apresenta sérias implicações de ordem biológica, familiar e econômica. São adolescentes que não têm estrutura financeira e emocional e acabam passando a guarda para os pais, se submetendo a abortos clandestinos ou interrompendo os estudos para cuidar desta nova vida”, disse o vereador Jean. “Sem contar que é efeito de uma prática sexual cada vez mais precoce e sem prevenção” complementou.

Ainda segundo o parlamentar, existem os agravantes na saúde das adolescentes, que não têm o sistema reprodutor totalmente amadurecido e estão suscetíveis à incidência de doenças hipertensivas, partos prematuros, desnutrição, entre outros. “A ideia é que o município elabore programas e promova ações atuando diretamente em ONGs e instituições de ensino para que os adolescentes tenham acesso à informação e aos métodos contraceptivos para encarar as responsabilidades relativas à vida sexual” sugeriu Jean.

O projeto, aprovado em 1º turno pelos vereadores, prevê que, em todos os anos, na semana do dia 1º de setembro deverão ser realizadas ações educativas com o objetivo de reduzir o número de casos de gravidez entre meninas de 15 a 19 anos.

De acordo com a OMS, o Brasil tem 68,4 bebês nascidos de mães adolescentes a cada mil meninas de 15 a 19 anos. A taxa mundial de gravidez adolescente é estimada em 46 nascimentos para cada 1 mil meninas na mesma faixa etária. Em Arapoti esse índice é ainda maior. Segundo a Secretaria de Saúde, somente neste ano foram 18 grávidas adolescentes entre 205 gestantes registradas no município, o que representa um índice de 87 nascimentos por mil.