PIB do Paraná cresce 1,05% no segundo trimestre, o dobro do Brasil

25/09/2019 09:390 comments

O Produto Interno Bruto (PIB) do Paraná cresceu 1,05% no segundo trimestre de 2019, em comparação com os três primeiros meses do ano segundo o Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes). É a maior taxa de crescimento em dois anos e o dobro do resultado nacional, que teve alta 0,44% no mesmo trimestre.

O desempenho paranaense decorreu principalmente pelos bons resultados no setor agropecuário e da indústria, com crescimentos de 3,52% e 2,94%, respectivamente. A produção florestal, pecuária, fabricação de veículos automotores e indústria de máquinas e equipamentos (bens de capital) foram decisivos na retomada apontada no período.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior destacou que o ritmo de crescimento do Estado já vinha sendo registrado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). “A produção industrial paranaense cresceu 7,2% no acumulado dos primeiros sete meses de 2019, melhor resultado desde 2010. Isso mostra que o Paraná está conseguindo reverter o caminho negativo da economia”, apontou.

O pesquisador Júlio Suzuki Júnior, do Ipardes, explica que a variação do trimestre representa um sinal mais sólido da retomada da economia paranaense. “Até então, a economia do Estado vinha apresentando uma recuperação oscilante, com taxas trimestrais de crescimento às vezes positivas e às vezes negativas. Agora, com o mercado mais confiante e sem percalços climáticos, a economia paranaense apresenta condições melhores para um crescimento continuado”, apontou.

À exceção do setor terciário, todos os outros setores apresentaram resultados positivos no segundo trimestre, em relação ao primeiro. “Esperamos a continuidade dessa dinâmica de crescimento no terceiro trimestre, novamente com forte contribuição do setor industrial”, complementou Suzuki.

O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no Estado e serve para medir a evolução da economia. Em relação ao mesmo período do ano passado houve aumento de 0,45% no PIB paranaense.

O resultado foi motivado por um crescimento de 2,71% na produção industrial no período. Os maiores registros de crescimento foram nos setores automotivo, máquinas e equipamentos e produtos químicos.

FUTURO – O crescimento gradual da economia paranaense deve ser incrementado nos próximos meses com iniciativas que propõe acesso facilitado a crédito, novos investimentos privados, melhores condições de infraestrutura e desburocratização.

Entre janeiro e julho, a produção industrial aumentou 7,2%, à frente de quinze locais pesquisados pelo IBGE (dez tiveram variação negativa) e do índice nacional, que apresentou queda de -1,7%.

O Estado conseguiu atrair até agosto R$ 16,5 bilhões em investimentos privados e abriu 129.728 novas empresas. Os empreendimentos prospectados pelo Estado significam crescimento de mais de 500% em relação a tudo que entrou via Agência Paraná Desenvolvimento (APD) em 2018.

Esse valor foi puxado pelo investimento anunciado pela Klabin em Ortigueira, na casa de R$ 9,1 bilhões, maior anúncio de expansão da América Latina neste ano, e do Grupo Madero, em torno de R$ 600 milhões.

O Paraná fechou os sete primeiros meses do ano como o quarto Estado que mais contratou, com 40.537 novos empregos, segundo levantamento do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia.

PROGRAMAS – O governador Carlos Massa Ratinho Junior ressalta de outras medidas adotadas para aquecer a economia. Entre elas o Programa Descomplica, idealizado para desburocratizar a abertura de empresas; linhas de financiamento específicas para mulheres e cooperativas; a retirada de mais de 60 mil itens do regime de substituição tributária, o que favorece a competitividade dos produtos locais; e o fortalecimento do sistema de defesa sanitária com intuito de conquistar o status de área livre de vacinação da febre aftosa, fundamental para a pecuária de corte e exportação

O Estado também busca a manutenção de uma rede de infraestrutura capaz de fazer frente ao crescimento econômico e anunciou um pacote de investimentos em parcerias público-privadas e um banco de projetos executivos; novas linhas aéreas e programas específicos com as três companhias (Gol, Azul e Latam); e investimentos da Copel e Sanepar prioritários no Paraná, capazes de ampliar a rede estadual de infraestrutura.

AEN/PR