França vence Bélgica e vai para a final da Copa

11/07/2018 08:520 comments
Belgas tiveram a iniciativa de jogo contra a França, mas perderam espaço dos contra-ataques (Toru Hanai/Reuters/Direitos Reservados)

A França derrotou a Bélgica por 1 x 0 e está na final da Copa do Mundo. O time do técnico Didier Deschamps adotou a estratégia de esperar a Bélgica, que mudou seu estilo de jogo em relação ao que fez contra o Brasil. E foi justamente ao tomar a iniciativa do ataque que os belgas perderam os espaços para as jogadas em velocidade. Lukaku, que infernizou a seleção brasileira nas quartas de final, nada fez hoje.

De Bruyne, autor do gol que eliminou o Brasil, errava passes, sobretudo após o gol francês, surgido da cabeçada de Umtiti aos cinco minutos do segundo tempo. O nervosismo tomou conta do meio-campista, que teve poucas chances. O melhor jogador da Bélgica foi Hazard. No primeiro tempo, o camisa 10 belga criou várias chances pela esquerda do ataque, mas o último passe não chegava limpo para os companheiros, que estavam bem marcados pelos franceses.

Belgas tiveram a iniciativa de jogo contra a França, mas perderam espaço dos contra-ataques (Toru Hanai/Reuters/Direitos Reservados)

Já os franceses tinham Mbappé, que foi muito importante, principalmente depois do gol. O atacante era a principal opção em velocidade. Além disso, Pogba, Kanté, Matuidi e Griezmann eram eficientes no meio campo francês. Marcavam quando estavam sem a bola e ligavam contra-ataques com bons passes e avanços em velocidade. Três jogadores belgas foram punidos com cartão amarelo por parar com falta os contra-ataques da França.

“Foi duro hoje. Parabéns aos jogadores. Sinto muito orgulho em relação ao meu grupo”, disse o treinador Didier Deschamps. O treinador da Bélgica, o espanhol Roberto Martinez, também se mostrou satisfeito com o desempenho dos seus jogadores, apesar da derrota. “O jogo de bola parada que resolveu. Foi um jogo muito apertado, equilibrado. Eu não podia pedir mais dos meus jogadores. No futebol, um time ganha e outro perde. O jeito que os [meus] jogadores jogaram é que foi importante”.

Pressão no primeiro tempo

O primeiro tempo mostrou uma Bélgica mais agressiva, propondo o jogo. Os belgas chegavam com perigo, principalmente pela esquerda do ataque, com Hazard. O camisa 10 belga infernizava a defesa da França por aquele lado. Aos 6 minutos, ele invadiu a área e cruzou rasteiro, mas o zagueiro Umtiti afastou. Dez minutos depois, Hazard recebeu de De Bruyne na entrada da área, bateu cruzado. A bola passou rente à trave de Lloris, assustando a torcida francesa.

A França apostava nos contra-ataques em velocidade. Pogba e Griezmann foram as principais válvulas de escape na primeira etapa, acionando Mbappé. Quem destoou no ataque foi Giroud. O centroavante francês não conseguiu aproveitar as poucas chances que teve. A melhor chance da França foi com Pavard. O lateral recebeu um lindo passe de Mbappé, que furou a defesa e o deixou cara a cara com Courtois. O goleiro belga, no entanto, fez uma defesaça.

Gol no segundo tempo

O segundo tempo trouxe a Bélgica novamente no ataque, mas sem precisão. E quando os Diabos Vermelhos tentavam retomar o ritmo ofensivo, a França fez seu gol, com o zagueiro Umtiti. O gol saiu após um escanteio conseguido por Giroud. O centroavante, que tinha errado tudo que tentava até então, recebeu a primeira bola com condições claras de dominar e bater para o gol. Courtois fez a defesa e jogou para escanteio. Mas, na cobrança, o goleiro não pôde evitar a cabeçada certeira do zagueiro francês, que ganhou de Fellaini no alto e fez o único gol do jogo.

A Bélgica sentiu o gol e começou a errar passes que, até então, eram trocados de pé em pé com facilidade. Recuada, a França aproveitava os contra-ataques e teve mais chances claras de ampliar do que a Bélgica de fazer o seu gol de empate. Nos últimos minutos, os franceses gastaram o tempo e os belgas já não conseguiam recuperar a bola e avançar.

Já garantida na final, a França espera o vencedor de Inglaterra e Croácia, que se enfrentam amanhã (11), na outra semifinal. A Bélgica, por sua vez, enfrentará o perdedor do jogo de amanhã, na decisão do terceiro lugar.

Agência Brasil

Após eliminação, Neymar diz que vive momento mais triste da carreira

09/07/2018 09:050 comments
Copa 2018: Brasil e Costa Rica. Neymar do Brasil após o jogo.

O atacante da seleção brasileira Neymar disse hoje (7) que está vivendo o momento mais triste da sua carreira. Em uma mensagem publicada há pouco no Instagram, o brasileiro se manifestou pela primeira vez após a derrota e eliminação ontem (6) por 2 a 1 para Bélgica, nas quartas de final da Copa do Mundo.

Ao final da partida, Neymar não quis dar declarações aos jornalistas que acompanharam a saída da seleção do estádio, em Kazan, na Rússia.

Henry Romero/Reuters/Direitos reservados/Agência Brasil

“Posso dizer que é o momento mais triste da minha carreira, a dor é muito grande porque sabíamos que poderíamos chegar, sabíamos que tínhamos condições de irmos mais além, de fazer história, mas não foi desta vez”, disse.

No início da manhã, os jogadores da Seleção Brasileira deixaram o hotel onde estavam hospedados em Kazan. Os atletas e a comissão técnica seguiram para o aeroporto da cidade, onde pegaram o voo em direção ao Rio de Janeiro, com escala em Madrid. Alguns jogadores ficarão na capital espanhola e não devem voltar ao Brasil. O restante da delegação deve desembarcar na manhã deste domingo no aeroporto do Galeão.

Agência Brasil

Croácia vence a Rússia e enfrenta Inglaterra nas semifinais

08:570 comments
Croácia vence a Rússia e enfrenta Inglaterra nas semifinais

A Croácia venceu a Rússia nos pênaltis após uma partida difícil, com gols no tempo normal e na prorrogação. A Croácia volta às semifinais de uma Copa do Mundo após 20 anos e tentará, contra a Inglaterra, chegar à sua primeira final de Copa do Mundo.

Kramaric e Vida fizeram os gols da Croácia com a bola rolando. Nas cobranças de pênaltis, o goleiro Subasic fez uma defesa e o brasileiro naturalizado russo, Mário Fernandes, perdeu sua cobrança. Fernandes havia marcado o gol que garantiu o 2 x 2 na prorrogação e levou a disputa para as penalidades.

Apesar de tecnicamente pobre, o jogo teve muita emoção, sobretudo na reta final. A Croácia teve a bola e as iniciativas ofensivas na maior parte do jogo, mas a Rússia mostrou raça e determinação tanto para se defender, quanto para atacar. A torcida russa sentiu o gosto da semifinal algumas vezes durante a partida. Sua seleção terminou eliminada, mas aplaudida pelos russos em Sochi, orgulhosos de um time que foi muito além do que se esperava.

As semifinais ficaram definidas com França x Bélgica, na próxima terça-feira (10) às 15h, e Inglaterra x Croácia, na quarta-feira (11), também às 15h.

Brasil perde para a Bélgica e está fora da Copa do Mundo

07/07/2018 09:200 comments
Torcedores assistem ao jogo entre Brasil e Bélgica, pelas quartas de final da Copa do Mundo da Rússia 2018, na Praça Mauá.

O Brasil perdeu para a Bélgica por 2 a 1 e está fora da Copa do Mundo. A seleção brasileira criou chances, pressionou o adversário, mas perdeu muitos gols e sofreu com 20 minutos muito ruins no primeiro tempo, quando a Bélgica fez os dois gols.

Os belgas aproveitaram o mau momento da seleção brasileira no jogo e impuseram seu melhor futebol. Com imposição física e contra-ataques em velocidade, o time europeu foi melhor no primeiro tempo e soube segurar o resultado no segundo tempo. O gol de Renato Augusto, descontando na segunda etapa, não foi suficiente para manter o Brasil na Copa.

Torcedores assistem ao jogo entre Brasil e Bélgica, pelas quartas de final da Copa do Mundo da Rússia 2018, na Praça Mauá.

O jogo

O Brasil partiu para o ataque logo no começo do jogo. E aos 7 minutos quase abriu o placar. Em uma cobrança de escanteio, Miranda escorou para o meio da área e Thiago Silva quase marcou. Ele tocou na bola e ela bateu na trave. O Brasil tentou o gol novamente em outro escanteio, pouco depois. Na cobrança, a bola chegou baixa em Paulinho, dentro da área, mas ele errou o chute.

Era um início promissor para o Brasil. A defesa belga ainda não estava completamente ligada no jogo. Mas, quando parecia que o Brasil iria se impor, sofreu o primeiro gol. Aos 12 minutos, em cobrança de escanteio para a Bélgica, a bola bateu em Fernandinho, enganou Alisson e entrou.

O Brasil ensaiou uma pressão, mas a defesa belga conseguia se fechar bem e saía rápido nos contra-ataques. E aos 30 minutos, foi fatal. Após uma cobrança de escanteio da seleção brasileira, a bola perdida deu contra-ataque à Bélgica. Lukaku avançou com velocidade e tocou para De Bruyne, que chutou de longe, no canto de Alisson. Antes de fazer a primeira defesa, goleiro brasileiro já havia levado dois gols.

Com dois gols de déficit, a seleção brasileira se lançou toda ao ataque, buscando um gol. A Bélgica se fechava com eficiência e puxava contra-ataques perigosos. Fagner tinha dificuldades para marcar Hazard, que ligava vários ataques do time belga. O ataque brasileiro não achou os espaços que procurava no primeiro tempo. Bem marcados, Neymar e Philippe Coutinho não conseguiam entrar com a bola na área e tentavam ameaçar com chutes de fora.

Segundo tempo

O Brasil voltou com Firmino no lugar de Willian e deu mais presença de área. O time brasileiro começou a segunda etapa pressionando. Foram cerca de dez minutos de ataque contra defesa. Mas jogadores importantes estavam abaixo do que vinham apresentando na Copa. Philippe Coutinho e Paulinho erravam passes e perdiam divididas. Neymar, por sua vez, não encontrava espaços na defesa.

Copa 2018: Brasil e Bélgica. Renato Augusto, do Brasil, marca o primeiro gol da equipe.

Mas o Brasil continuava insistindo. Tite colocou Doulgas Costa no lugar de Gabriel Jesus e o time ganhou em velocidade pelo lado direito do ataque. Aos 30 minutos, finalmente, o Brasil fez seu gol. Philippe Coutinho, que vinha mal no jogo, acertou um passe perfeito na cabeça de Renato Augusto, que havia acabado de entrar. O meia cabeceou no canto de Courtois, colocando o Brasil no jogo. Aos 35 minutos, quase o empate. Em contra-ataque, Coutinho tocou para Renato Augusto, que bateu colocado. A bola passou rente à trave.

O Brasil continuava perdendo chances claras de gol. Aos 38 minutos, Neymar recebeu em contra-ataque rápido, entrou pela esquerda da grande área e tocou para o meio. Livre, Coutinho chegou e chutou muito mal, longe do gol. Aos 48 minutos, Courtois salvou a Bélgica pela última vez. Neymar recebeu na entrada da área e bateu colocado. O goleiro belga fez uma grande defesa e decretou a eliminação brasileira da Copa do Mundo.

França elimina Uruguai e vai à semifinal da Copa

08:310 comments
Jason Cairnduff/Reuters/Direitos reservados/Agência Brasil

A França eliminou o Uruguai e agora espera o vencedor de Brasil e Bélgica para o confronto nas semifinais da Copa. A vitória de 2 a 0 foi construída com tranquilidade. Varane e Griezmann, contando com uma falha do goleiro uruguaio, construíram o placar.

A seleção francesa não foi ameaçada em nenhum momento do jogo. A defesa não teve dificuldade para proteger sua área. Já o Uruguai sentiu a ausência de Cavani. Parceiro de Suárez no ataque, ele ficou de fora da partida por lesão e isso comprometeu o jogo de sua seleção. Suárez pouco participou no jogo, isolado na frente.

Jason Cairnduff/Reuters/Direitos reservados/Agência Brasil

O jogo

A França começou o jogo tomando a iniciativa e atacou o Uruguai. A defesa celeste, no entanto, conseguia se segurar e não deixava a bola chegar com perigo ao goleiro Muslera. Era também um jogo de muitas faltas. Aos 14 minutos, a França perdeu uma chance clara de gol. Giroud recebeu cruzamento na área e escorou para Mbappé. Sem marcação, na frente do gol, o francês cabeceou errado, por cima do gol.

O Uruguai tentava responder nos contra-ataques, mas a ausência de Cavani fazia diferença. Em um ataque em velocidade, com o time francês ainda voltando, Stuani, substituto de Cavani, errou um passe importante. O time sul-americano não conseguia ameaçar e sofria nas ligações entre meio-campo e ataque.

A seleção uruguaia, que só tinha recebido um cartão amarelo na Copa inteira, recebeu mais um, com o mesmo jogador. Bentancur cometeu falta perto da área e levou seu segundo cartão na Copa.

E foi exatamente na cobrança dessa falta de Bentancur que, aos 39 minutos, a França conseguiu abrir o placar. Griezmann cobrou falta na área e Varane se desvencilhou da marcação e cabeceou no canto de Muslera. O Uruguai respondeu ainda no primeiro tempo, da mesma forma. Após cruzamento na área, Cáceres cabeceou no canto, mas Lloris fez uma grande defesa. Por pouco o gol de empate não saiu.

O segundo tempo começou com o Uruguai mais presente no ataque, mas com os mesmos problemas ofensivos. Suárez pouco tocava na bola e não tinha chances de gol. A França atacava menos, mas atacava. E foi em um desses ataques que saiu o segundo gol. Griezmann recebeu de fora da área e arriscou. O chute saiu forte, com efeito, e o goleiro falhou. Muslera tentou afastar e acabou espalmando para dentro do próprio gol. Lance infeliz de um dos grandes goleiros da história do Uruguai.

O gol levou o time uruguaio para o ataque de qualquer maneira. O time tentava chegar, mas sem organização. As chegadas pelo meio eram interceptadas pela defesa e os cruzamentos não chegavam na cabeça dos atacantes. Isolado e bem marcado, Suárez participava pouco do jogo. Nos últimos minutos de jogo, o time já sentia a eliminação próxima. Com a bola ainda rolando, o zagueiro Giménez não segurava as lágrimas.

A França avança, fazendo uma campanha melhor do que na Copa anterior. Em 2014, foi eliminada pela Alemanha nas quartas-de-final. Agora, poderá ter o Brasil pela frente, caso a seleção brasileira avance à semifinal.

Agência Brasil

Seis europeus e dois sul-americanos continuam na briga pela Copa

04/07/2018 09:180 comments
REUTERS/Carlos Garcia Rawlins/Direitos Resevados/Agência Brasil

A Copa do Mundo da Rússia se aproxima da sua reta final. Trinta e dois times começaram a competição e agora só restam oito. Algumas seleções gigantes do futebol, como Alemanha, Argentina e Espanha, já estão em casa, vendo a Copa pela televisão.

Dos times que ainda restam, seis são europeus e dois são sul-americanos. Uruguai, França, Brasil, Bélgica, Suécia, Inglaterra, Rússia e Croácia são os países que continuam na briga pelo topo.

O Brasil chega para a fase de quartas de final com atuações cada vez melhores. Depois de um empate na estreia, venceu a Costa Rica nos últimos minutos. Já contra a Sérvia, a vitória foi menos dramática. O jogo das oitavas, contra o México, mostrou um time com sistema defensivo bem ajustado, pronto para resistir à pressão. E lá na frente, o ataque tem se mostrado mais entrosado e eficiente.

REUTERS/Carlos Garcia Rawlins/Direitos Resevados/Agência Brasil

Os uruguaios, junto com o Brasil, têm a melhor defesa da Copa, com apenas um gol sofrido. Além disso, Suárez e Cavani têm sido cada vez mais eficientes no ataque. Cavani fez uma partida de gala nas oitavas de final, contra Portugal. O atacante fez os dois gols do time, mas saiu com uma lesão na panturrilha e ainda não está confirmado para a próxima partida.

A França fez um jogo eletrizante contra a Argentina nas oitavas de final. As falhas da defesa, que cederam três gols aos argentinos, foram ofuscados pela grande partida de Mbappé. Companheiro de Neymar no Paris Saint-Germain, o francês liderou o time às quartas de final com um futebol técnico, veloz e preciso.

Os belgas continuam na Copa após uma partida de recuperação contra o Japão no final do segundo tempo. O inimaginável quase aconteceu. Quando os japoneses marcaram 2 a 0, revelaram que a seleção belga, tão respeitada por sua geração atual de craques como Hazard e De Bruyne, tinha falhas ainda não demonstradas no torneio. Será difícil ver uma Bélgica jogando tão lenta e desconectada na partida contra o Brasil. Esses erros deverão ser acertados pelo técnico Roberto Martinez.

Liderados pelo camisa 10, Forsberg, os suecos têm méritos de sobra para estarem nas quartas de final. Se classificaram em primeiro em um grupo muito disputado e, mesmo após perderem para a Alemanha no último lance da segunda rodada, souberam manter a calma e garantiram a classificação sobre o México. Não aparecem como favoritos ao título, mas têm uma defesa alta e sólida, que pode fazer o time ir mais longe na Copa.

A Inglaterra veio para a Copa com um time jovem e já fizeram melhor que a geração anterior, que caiu na fase de grupos em 2014. Na última partida, dominaram a Colômbia durante todo o jogo, anulando suas principais armas ofensivas. Mas um minuto de desatenção tornou a classificação desnecessariamente dramática, com a vitória vindo só nos pênaltis. Apesar do susto, a Inglaterra ainda não foi testada ao limite. A Suécia poderá impor esse teste.

Há quem diga que os donos da casa já estão fazendo hora-extra na Copa do Mundo. A Rússia se aproveitou de uma Espanha sem criatividade para levar a partida de oitavas de final para os pênaltis e, lá, eliminar os campeões de 2010. O time do técnico Stanislav Cherchesov chega às quartas de final com um futebol de transpiração e aplicação tática, sobretudo na defesa.

A Croácia merece o lugar que ocupa. Está entre os oito melhores times da Copa com méritos. Com um meio campo de qualidade, os centroavantes são bastante acionados e conseguem participar do jogo com eficiência. O toque de bola frio e refinado na armação das jogadas remete ao futebol praticado no Real Madrid e Barcelona, onde com Modric e Rakitic jogam, respectivamente.

Os confrontos das quartas de final são:

Uruguai x França, sexta-feira (6) às 11h, em Nizhny Novgorod;

Brasil x Bélgica, sexta-feira (6) às 15h, em Kazan;

Suécia x Inglaterra, sábado (7), às 11h, em Samara;

Rússia x Croácia, sábado (7), às 15h, em Sochi.

Agência Brasil