Atlético perde de virada para o Galo em Minas

11/09/2018 09:340 comments
Atlético perde de virada para o Galo em Minas
No encerramento da 24ª rodada do Campeonato Brasileiro, Atlético Mineiro e Atlético Paranaense se enfrentaram na noite desta segunda-feira (10), em Belo Horizonte.
O Furacão saiu na frente no Estádio Independência, mas sofreu a virada. Mesmo pressionando bastante o time da casa e acertando duas vezes a trave, foi derrotado por 3 a 1.
Na quinta-feira (13), o time rubro-negro volta a campo pelo Brasileirão. O adversário será a Chapecoense, em jogo adiado da 20ª rodada. A partida será em Chapecó, às 20h.
O jogo
Mesmo jogando fora de casa, o Furacão começou bem e chegando ao ataque. Aos oito minutos, Veiga chegou pela esquerda e cruzou rasteiro. A bola passou por toda a área e o zagueiro adversário desviou para a linha de fundo, antes da chegada de Nikão.
Mas na cobrança de escanteio, saiu o gol do Atlético Paranaense. Raphael Veiga cobrou da direita, fechado. A bola passou por Thiago Heleno e Iago Maidana marcou contra. 1 a 0 Furacão.
O time da casa foi em busca do empate. Aos 13 minutos, Tomas Andrade recebeu na área e mandou para o gol. Bem colocado, Santos espalmou para escanteio. O goleiro atleticano fez outra boa defesa aos 22 minutos, após cruzamento da esquerda.
O Atlético Mineiro empatou aos 25 minutos. Após tabela pela esquerda, a bola foi cruzada na área. Leonardo Silva subiu bem e tocou de cabeça no canto de Santos. 1 a 1.
A segunda etapa começou com pressão do Furacão. Logo aos três minutos, Marcinho fez jogada individual e tocou para Veiga na área. Ele girou bonito e bateu rasteiro. Victor defendeu no canto direito.
Quatro minutos depois, Nikão carimbou o travessão do Atlético Mineiro. O camisa 11 recebeu na entrada da área e bateu forte. Victor só olhou a bola batendo no travessão, no chão e saindo.
Aos 16 minutos, foram duas chances seguidas do Rubro-Negro. Na primeira, Nikão foi até a linha de fundo e cruzou. Mas a zaga cortou. Logo em seguida, ele roubou a bola e tocou para Lucho. O meia bateu de primeira, por cima do gol.
E em um contra-ataque, o time mineiro chegou ao segundo gol. Aos 22 minutos, Luan arrancou pela direita e tocou na área. Elias dominou e bateu no alto. Sem chances para Santos.
O Furacão seguiu no ataque e assustou novamente aos 28 minutos. Léo Pereira recebeu na direita e bateu forte. Victor espalmou para escanteio.
Na cobrança, a zaga do Atlético Mineiro afastou e a bola sobrou para Pablo. O atacante mandou de primeira, com muita força, mas a bola parou na trave.
Aos 31 minutos, foi a vez de Rony tentar. O atacante que tinha acabado de entrar no jogo recebeu na área e bateu rasteiro. Mais uma vez o goleiro Victor apareceu bem e espalmou para escanteio.
O time da casa voltou a marcar aos 37 minutos. Cazares puxou contra-ataque e tocou para Ricardo Oliveira. Na primeira finalização, Santos defendeu. A bola sobrou de novo para o atacante, que fez o terceiro do Atlético Mineiro.
Nos acréscimos do jogo, Nikão fez falta e recebeu o cartão vermelho direto. O jogador desfalcará a equipe contra a Chapecoense.
Ficha técnica: Atlético Mineiro 3×1 Atlético Paranaense
Campeonato Brasileiro: 24ª rodada
Data: 10/09/2018 [segunda-feira]
Horário: 20h
Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira – SP [FIFA]
Assistentes: Luiz Alberto Andrini Nogueira – SP [categoria AB] e Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo – SP [FIFA]
Quarto árbitro: Magno Arantes Lira – MG [categoria AB]
Público: 20.922
Renda: R$ 293.068,00
Atlético Mineiro: Victor; Patric, Leonardo Silva, Iago Maidana e Fábio Santos; Adilson (Zé Welison, aos 33’ do 2º T), Matheus Galdezani (Elias, no intervalo), Tomas Andrade (Terans, aos 12’ do 2º T) e Cazares; Laun e Ricardo Oliveira.
Técnico: Thiago Larghi
Gols: Leonardo Silva, aos 25 do 1º tempo; Elias, aos 22’ do 2º tempo; Ricardo Oliveira, aos 37’ do 2º tempo
Cartões amarelos: Matheus Galdezani, Fábio Santos, Leonardo Silva, Patric
Atlético Paranaense: Santos; Jonathan, Thiago Heleno, Léo Pereira e Márcio Azevedo; Bruno Guimarães (Bergson, aos 33’ do 2º T) e Lucho González (Matheus Rossetto, aos 17’ do 2º T); Nikão, Raphael Veiga e Marcinho (Rony, aos 29’ do 2º T); Pablo.
Técnico: Tiago Nunes
Gol: Iago Maidana (contra), aos 9’ do 1º tempo
Cartões amarelos: Lucho González, Marcinho, Santos, Bergson
Cartão vermelho: Nikão

Operário vence nos pênaltis e está na final da Série C

10/09/2018 09:230 comments
Operário vence nos pênaltis e está na final da Série C

O Operário Ferroviário venceu o Bragantino-SP nos pênaltis, na tarde deste domingo (9), e garantiu a classificação para a final do Campeonato Brasileiro da Série C. No tempo normal, as equipes empataram em 0 a 0 e, nos pênaltis, vitória do Fantasma por 4 a 2 no Estádio Germano Krüger.

O alvinegro de Vila Oficinas criou chances durante a partida, mas não conseguiu balançar as redes do adversário. Com as equipes já haviam empatado, também sem gols, o primeiro jogo, em Bragança Paulista, a decisão foi para os pênaltis.

A primeira cobrança foi da equipe visitante: Robertinho chutou e balançou as redes. Para o Operário, Bruno Batata também marcou e deixou tudo igual. Rafael Chorão cobrou o segundo pênalti do Bragantino e Simão defendeu. Na sequência, Schumacher foi para a cobrança e marcou para o Operário.

Na terceira cobrança dos visitantes, Simão brilhou novamente e pegou o chute de Guilherme. Cleyton marcou para o time da casa e ampliou a vantagem. Na quarta cobrança, Marquinhos marcou para o Bragantino e Dione também converteu para o Fantasma, garantindo a classificação.

O Operário iniciou o jogo com Simão, Léo, Alisson, Sosa, Peixoto, Serginho Paulista, Erick, Robinho, Cleyton, Quirino e Bruno Batata. No segundo tempo, entraram Dione, Schumacher e Xuxa para saída de Robinho, Quirino e Erick.

Em entrevista, o técnico Gerson Gusmão falou sobre a classificação. “Sabíamos que o jogo seria dificílimo pela característica da equipe do Bragantino, que se fecha bem, toma poucos gols e tem um sistema defensivo muito sólido. Quanto aos pênaltis, a gente sempre tenta trabalhar muito durante a semana e não só antes de jogos que possam ter decisão nos pênaltis. A partir do momento que acabou o jogo, eu tinha certeza que a gente passaria nos pênaltis, eu tinha uma confiança muito grande no trabalho do Simão e de todos os nossos cobradores. Nós temos um aproveitamento muito bom e jogadores com qualidade para, neste momento, ter a qualidade e a frieza para fazer o gol. Então é mérito do trabalho de todos que estão envolvidos”.

O Fantasma enfrenta o Cuiabá na final da Série C do Brasileiro. A primeira partida será no Estádio Germano Krüger e a volta na Arena Pantanal.

FICHA TÉCNICA

Operário 0(4) x (2)0 Bragantino-SP
Campeonato Brasileiro – Série C – Semifinal – Partida da volta
Estádio Germano Krüger – 09/09/18 – 15h30

Operário: Simão, Léo, Alisson, Sosa, Peixoto, Serginho Paulista, Erick (Xuxa), Robinho (Dione), Cleyton, Quirino (Schumacher) e Bruno Batata. Téc: Gerson Gusmão
Banco: Matheus, Rodrigo, Danilo Báia, Romano, Raphael Soares, Pedrinho, Gil Paraíba, Anderson Paraíba e Vinicius.

Bragantino: Alex Alves, Buiu, Juliano, Guilherme Mattis, Junior Goiano, Jonathan Costa (Marlon), Magno, Rafael Chorão, Danilo Bueno (Robertinho), Marquinhos e Adriano Paulista (Marcel). Téc: Marcelo Veiga
Banco: Luan, Walfrido, Léo Jaime, Fernandinho, Anderson Ligeiro e Rodriguinho.

Gols – pênaltis: Bruno Batata, Schumacher, Cleyton e Dione (Operário); Robertinho e Marquinhos (Bragantino).

Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
Árbitro Assistente 1: Kleber Lucio Gil (SC)
Árbitro Assistente 2: Neuza Ines Back (SC)
Quarto Árbitro: Leonardo Sígari Zanon (PR)
Analista de Campo: Afonso Vitor de Oliveira (PR)

Público pagante: 4.524 pessoas
Público total: 5.062 pessoas
Renda: R$ 90.690,00

Assessoria de Imprensa – Bianca Machado
Fotos: José Tramontin/OFEC

Com interferência direta da arbitragem, Paraná Clube perde mais uma

09:210 comments
Com interferência direta da arbitragem, Paraná Clube perde mais uma

Mais uma vez a trave e o juiz impediram que o Paraná Clube tivesse melhor sorte. No fim, o Santos-SP, com dois gols de Gabriel, fez 2×0 e chegou ao G8 do Campeonato Brasileiro da Série A. O Tricolor, mesmo tendo criado mais oportunidades, esbarrou na falta de objetividade do ataque, que passou em branco pela 14ª vez neste Brasileirão. A distância para o Vasco-RJ, primeiro time fora da ZR, segue em oito pontos.

O jogo começou muito disputado, mas com poucas chances de finalização. O primeiro chute a gol do Paraná veio somente aos 19 minutos, quando Alex Santana arriscou de fora da área, longe do gol. Logo depois, Gabriel fez a jogada pela direita e bateu cruzado, para a precisa intervenção de Richard. O Tricolor conseguiu impor pressão sobre o adversário e criou a sua melhor chance aos 23 minutos. Nadson, de fora da área, acertou a trave.

O jogo ficou “quente” e o árbitro paraense, Dewson Fernando Freitas da Silva, começou a aparecer – de forma negativa – no jogo. Aos 32, deu um amarelo inexplicável para o zagueiro Renê Santos, que comemorou ao cortar uma bola pela linha de fundo. Logo depois, numa discussão entre o técnico Claudinei Oliveira e o lateral Victor Ferraz, ele expulsou o treinador paranista. Na súmula, colocou que Claudinei “impediu a cobrança de um arremesso manual”, sendo que o jogo estava parado e um jogador do Santos caído.

Mas, o protagonismo de Dewson Freitas aumentou no segundo tempo. Aos 7 minutos, Rodrygo cometeu falta clara em Alex Santana. O árbitro nada marcou e o contragolpe foi fatal. Após defesa parcial de Richard em chute cruzado da direita, Gabriel pegou a sobra e conferiu: 1×0. Claudinei tentou mudar o panorama com as entradas de Deivid e, depois, Ortigoza. Na primeira jogada, Ortigoza já fez Vanderlei trabalhar. Maicosuel também entrou na equipe.

Porém, logo depois veio o golpe fatal. Num erro na saída de bola, novamente um cruzamento da direita terminou com o gol de Gabriel, aos 32 minutos. O Paraná bem que tentou, com Ortigoza e Rafael Grampola. Mas, o jogo terminou mesmo no 2×0 Santos, a 13ª derrota do Tricolor neste retorno à Série A.

 

Paraná Clube 0x2 Santos

Paraná: Richard; Júnior, Renê Santos, Rayan e Igor; Jhonny Lucas, Alex Santana, Caio Henrique (Maicosuel) e Nadson (Ortigoza); Carlos (Deivid) e Rafael Grampola. Técnico: Claudinei Oliveira.

Santos: Vanderlei; Victor Ferraz, Robson Alves, Gustavo Henrique e Dodô; Yuri (Renato), Diego Pituca e Bryan Ruiz (Rodrygo); Derlis González (Copete), Gabriel e Bruno Henrique. Técnico: Cuca.

Local: Durival Britto (Curitiba-PR)

Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (Fifa-PA)

Assistentes: Cleriston Clay Barreto Rios (SE) e Heronildo S. Freitas da Silva (PA)

Renda: R$ 154.300,00

Público pagante: 4.504

Público total: 5.177

Gols: Gabriel aos 7’ e aos 32’ do 2º tempo

Cartões amarelos: Carlos, Renê Santos, Alex Santana e Jhonny Lucas (Paraná). Gabriel, Yuri e Robson Alves (Santos)

 

Departamento de Comunicação – PRC

Coxa perde para o Vila Nova na série B

09/09/2018 14:490 comments
Coxa perde para o Vila Nova na série B

O Coritiba teve uma alteração em relação ao último jogo. Guilherme Parede, artilheiro do clube no ano, suspenso por ter levado o terceiro cartão amarelo. Assim, o Coxa foi a campo com Wilson; Vinícius Kiss, Thalisson Kelven, Rafael Lima e Abner; Vitor Carvalho, Simião e Jean Carlos; Pablo, Guilherme e Bruno Moraes.

O primeiro tempo foi de domínio do time da casa. Logo aos 15 minutos, o árbitro da partida assinalou a penalidade máxima após entender que Abner, derrubado, pegou a bola com a mão, dentro da área. Alex Henrique cobrou e marcou o primeiro do Vila Nova. Aos 29’, Elias ampliou a vantagem no placar para o time goiano. O Coritiba ainda reagiu antes do fim do primeiro tempo, com gol de Thalisson Kelven, após cobrança de falta feita por Jean Carlos.

Para a etapa complementar, o treinador Tcheco promoveu a entrada de Thiago Lopes no lugar de Simião. O Coxa passou a ter mais posse de bola e controlar as ações de jogo,, mas sem jogadas ofensivas agudas. As outras duas substituições foram as entradas de Iago Dias e Alecsandro nos lugares de Guilherme e Vitor Carvalho.

O Coritiba procurou o gol de empate, mas não conseguiu chegar, sofrendo a derrota para o Vila Nova, fora de casa.

Próximo jogo

O Coritiba volta a campo na sexta-feira (14), às 19h15, contra o Londrina, no estádio Major Antônio Couto Pereira. Depois disso, o jogo é contra o CRB fora de casa, no dia 21.

Flamengo vence a Chapecoense em noite de homenagem e reencontro

14:480 comments
Flamengo vence a Chapecoense em noite de homenagem e reencontro
Em uma noite de emoções no Maracanã, o Flamengo bateu a Chapecoense e reencontrou o caminho das vitórias no Campeonato Brasileiro. O Mais Querido contou com gols de Renê e Diego para construir o placar de 2 a 0. Após o camisa 10 marcar de pênalti, o grupo fez questão de comemorar com uma camisa do zagueiro Juan, que sofreu uma grave lesão no último treino.
O outro momento marcante da noite foi o retorno de Orlando Berrío aos gramados. Após ficar quase 11 meses parado por uma grave lesão, o colombiano entrou aos 34 minutos e participou da parte final do triunfo rubro-negro no Maracanã.
Com a vitória sobre a Chapecoense, o Flamengo agora soma 44 pontos na tabela do Campeonato Brasileiro. De olho na Copa do Brasil, o elenco volta aos trabalhos na tarde deste domingo (9).

Diego Souza marca, e São Paulo bate o Bahia

14:460 comments
Diego Souza marca, e São Paulo bate o Bahia

Na marra, com apoio incondicional da torcida e nova alteração decisiva do técnico Diego Aguirre! Assim o São Paulo derrotou o Bahia por 1 a 0 na noite deste sábado (8), no Morumbi, e assumiu a liderança do Campeonato Brasileiro enquanto aguarda o desfecho da 24ª rodada.

O atacante Diego Souza, após cruzamento de Nene e presença essencial de Tréllez na grande área – que puxou a marcação -, marcou o gol que deu o importante triunfo ao Tricolor neste final de semana. Com o resultado, a equipe são-paulina superou o Internacional (46) na tabela, agora com 49 pontos, e dormirá na primeira colocação antes do confronto do clube gaúcho.

No próximo domingo (16), às 16h, motivado pela vitória e firme na disputa pela ponta da tabela, o Tricolor enfrentará o Santos na Vila Belmiro na sequência da competição nacional.

Para encarar os baianos, o técnico Diego Aguirre contou com o retorno de Diego Souza (cumpriu suspensão), mas teve uma série de desfalques. Assim, o treinador escalou o time com Sidão; Régis, Bruno Alves, Anderson Martins e Edimar; Jucilei, Hudson e Nene; Rojas, Diego Souza e Everton Felipe.

Bruno Peres (estiramento no músculo adutor direito), Arboleda (Seleção Equatoriana), Rodrigo Caio (aprimora a forma física após trauma no joelho direito), Luan (Seleção Brasileira Sub-20), Everton (estiramento no músculo posterior da coxa esquerda), Reinaldo (suspenso pelo terceiro cartão amarelo) e Araruna (tendinite no calcâneo esquerdo) não estavam à disposição.

Já os visitantes atuaram com Douglas; Nino Paraíba, Everson, Lucas Fonseca e Léo; Gregore, Elton, Flávio, Zé Rafael e Vinícius; Gilberto. Na primeira etapa, diante de um rival bem postado defensivamente, o Tricolor teve dificuldades para chegar ao gol e não conseguiu criar muitas oportunidades para largar na frente.

Na volta para o segundo tempo, o São Paulo tentou pressionar o Bahia, mas também teve problema pra acionar Diego Souza. Então, o comandante promoveu duas alterações aos 12 minutos: Tréllez e Liziero herdaram os lugares de Everton Felipe e Régis – Hudson foi deslocado para a lateral direita.

E as mudanças de Aguirre foram decisivas! Aos 14, Nene cruzou pela esquerda, Tréllez puxou a marcação e Diego Souza apareceu entre os zagueiros para balançar as redes: o camisa 9 pegou de primeira e anotou um belo gol! 1 a 0!  Em vantagem no marcador, o Tricolor atuou com segurança e apostou nos contragolpes em busca do segundo gol.

Nas arquibancadas, com mais de 43 mil pagantes, a torcida são-paulina deu show e cantou durante todo o jogo para incentivar o time em campo. A vibração dos atletas, aguerridos durante toda a competição nacional, rendeu aplausos e o reconhecimento dos torcedores no importante triunfo deste sábado.

SÃO PAULO 1 x 0 BAHIA

Local: Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 08/09/2018 (sábado)
Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)
Assistentes: Fabrício Vilarinho da Silva (GO) e Bruno Raphael Pires (GO)

Gol: Diego Souza (15min/2ºT)

Cartões amarelos: SPFC: Régis (17min/1ºT), Joao Rojas (30min/2ºT), Bruno Alves (32min/2ºT); ECB: Clayton (36min/2ºT)
Público total: 43.550
Renda bruta: R$ 1.696.417,50

São Paulo: Sidão; Régis (Liziero, 12min/2ºT), Bruno Alves, Anderson Martins e Edimar; Jucilei, Hudson, Nene, Joao Rojas e Everton Felipe (Tréllez, 12min/2ºT); Diego Souza. Técnico: Diego Aguirre.

Bahia: Douglas; Nino Paraíba, Everson, Lucas Fonseca, Léo, Gregore, Elton (Élber, 17min/2ºT), Flávio, Vinícius (Edigar Junio, 26min/2ºT), Zé Rafael e Gilberto (Clayton, 32min/2ºT). Técnico:Enderson Moreira.