Com um a menos, São Paulo arranca empate com o Fluminense

03/09/2018 09:150 comments
Com um a menos, São Paulo arranca empate com o Fluminense

Torcida, superação e raça: estes foram os componentes que mantiveram o Tricolor na liderança do Campeonato Brasileiro! Na tarde deste domingo (2), com apenas dez jogadores após a expulsão exagerada de Diego Souza no primeiro tempo e uma série de desfalques, o São Paulo arrancou o empate por 1 a 1 com o Fluminense em duelo válido pela 22ª rodada.

Os cariocas largaram na frente no Morumbi, com gol contra de Anderson Martins, mas a equipe paulista foi buscar a igualdade no placar com técnica e espírito aguerrido: Régis fez grande jogada e Tréllez marcou de cabeça.

Com o resultado, o Tricolor defendeu a primeira colocação, agora com 46 pontos. Na próxima quarta-feira (5), às 21h45, com retornos importantes e com a missão de se manter no topo da tabela, o São Paulo visitará o Atlético-MG na Arena Independência.

Para escalar o time, o técnico Diego Aguirre teve uma série de desfalques: Jucilei e Nene (suspensos pelo terceiro amarelo), Everton (suspenso e se recuperando de um estiramento no músculo posterior da coxa esquerda) e Arboleda (questões pessoais), Rodrigo Caio (trauma no joelho direito), Araruna (tendinite no calcâneo esquerdo) e Gonzalo (dores musculares).

Assim, com as voltas de Hudson (recuperado de dores no joelho direito) e Liziero (cumpriu suspensão automática), o treinador uruguaio montou a equipe com Sidão; Bruno Peres, Bruno Alves, Anderson Martins e Edimar; Hudson, Liziero e Shaylon; Rojas, Diego Souza e Reinaldo. Já os visitantes atuaram com Júlio César; Léo, Digão, Ibañez e Ayrton Lucas; Richard, Dodi, Jadson e Sornoza; Everaldo e Kayke.

Na primeira etapa, o Tricolor teve dificuldades e viu o adversário carimbar o travessão logo no início. Após conseguir equilibrar as ações do jogo, o São Paulo melhorou e criou algumas oportunidades na frente. E quando tentava balançar as redes antes do intervalo, o time são-paulino sofreu uma dura baixa: Diego Souza foi expulso exageradamente pela arbitragem aos 33 minutos.

Na volta para o segundo tempo, fragilizado com apenas dez jogadores em campo, o São Paulo largou atrás no placar aos oito minutos: Anderson Martins tentou cortar lançamento e marcou contra. 1 a 0. O gol do rival, no entanto, não intimidou o Tricolor. Ao contrário: fez o time resgatar o espírito aguerrido que tem marcado a temporada!

Para deixar tudo igual, além da energia da torcida nas arquibancadas e uma atuação vibrante, o São Paulo contou com alterações decisivas de Aguirre: promoveu as entradas de Tréllez e Régis, que participaram do gol aos 26 minutos. O lateral fez grande jogada, deu um chapéu no marcador, acreditou no lance e cruzou na medida para o centroavante, que testou para arrancar o empate! 1 a 1!

O tento do colombiano fez o torcedor são-paulino vibrar e incendiou o confronto. Mesmo em desvantagem numérica, o Tricolor lutou pelo heroico ponto e encarou o Fluminense de igual para igual. Nos instantes finais, os visitantes contra golpearam e acertaram a trave, mas os anfitriões seguraram o ímpeto e somaram o importante ponto: 1 a 1.

SÃO PAULO 1 x 1 FLUMINENSE

Local: Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 02/09/2018 (domingo)
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (Fifa-PA)
Assistentes: Helcio Araujo Neves (PA) e Heronildo Freitas da Silva (PA)

Gols: Anderson Martins (contra, 9min/2ºT) e Tréllez (26min/2ºT)

Cartões amarelos: FFC: Jadson (38min/1ºT), Sornoza (19min/2ºT); SPFC: Tréllez (11min/2ºT), Bruno Peres (46min/2ºT)
Cartão vermelho: Diego Souza (33min/1ºT)

Público: 49.348 pagantes
Renda Bruta: R$ 1.881.675,00

São Paulo: Sidão; Bruno Peres, Bruno Alves, Anderson Martins e Edimar (Régis, 19min/2ºT); Hudson, Liziero (Luan Santos, 33min/2ºT), Shaylon (Tréllez, 8min/2ºT), Joao Rojas e Reinaldo; Diego Souza.Técnico: Diego Aguirre.

Fluminense: Julio Cesar, Ayrton Lucas, Sornoza (Luciano, 25min/2ºT), Dodi, Jadson, Kayke (Matheus Alessandro, 31min/2ºT), Digão, Richard, Léo, Everaldo e Ibañez. Técnico: Marcelo Oliveira.

Atlético vence o Bahia e ganha a 4ª consecutiva no brasileirão

09:120 comments
Atlético vence o Bahia e ganha a 4ª consecutiva no brasileirão
O Atlético Paranaense segue sua ascendência no Campeonato Brasileiro! O Furacão venceu mais um jogo neste domingo (2), desta vez contra o Bahia, pela 22º rodada. Pablo e Rony marcaram os gols da vitória por 2 a 0. Com o resultado, o Rubro-Negro subiu para a nona posição, com 24 pontos.
O time comandado por Tiago Nunes volta a campo na quarta-feira (5), contra o Palmeiras, em São Paulo (SP). A partida está marcada para às 21h.
Furacão cria as melhores chances, mas para em boa atuação do goleiro adversário
Após uma pressão inicial do time visitante, o Furacão chegou ao ataque com Renan Lodi aos quatro minutos. Ele colocou uma bola cheia de açúcar dentro da área. O goleiro conseguiu desviar antes de chegar em Nikão. Foi a mesma coisa no minuto seguinte, em que Douglas colocou para lateral após cruzamento do camisa 12.
O Bahia se arriscou no ataque aos 19 minutos e o Furacão partiu em um rápido contra-ataque. A bola foi de pé em pé até Jonathan, que lançou Pablo dentro da área. O camisa 92 tentou o chute para o meio e o goleiro cortou com os pés. Na sobra, Marcinho bateu mas o chute foi cortado pela defesa na pequena área.
O Rubro-Negro continuou apostando nas jogadas trabalhadas. Foi assim que criou mais uma boa chance aos 29 minutos. Jonathan cruzou da direita, uma bola forte na segunda trave. Pablo cabeceou, mas a bola foi por cima.
Três minutos depois, cobrança de falta ensaiada e José Ivaldo soltou a bomba rasteira par ao gol. O goleiro foi buscar no canto. No rebote, Lodi tentou tocar para o meio da área, mas a defesa colocou para escanteio.
Aos 39’, Nikão recebeu na direita, viu o espaço e soltou a bomba no canto. Douglas espalmou. Na sequência da jogada, Renan Lodi foi lançado no fundo e fez o cruzamento. O defensor baiano tirou a bola com o braço, mas o árbitro nada marcou.
Nos acréscimos da primeira parte, o Bahia chegou com Elton. Ele bateu bem, rasteiro no canto, mas Santos praticou ótima defesa. Na sequência, Gilberto bateu para fora, com perigo.
Aos 48’, veio a resposta. Jonathan cruzou da direita na medida para a boa cabeçada de Marcinho. Douglas foi buscar no canto. Ótima defesa do goleiro do Bahia.
Pablo comanda vitória com gol e assistência na segunda etapa
O segundo tempo começou da mesma forma que o primeiro. O time visitante tentou uma pressão inicial, mas logo o time atleticano assumiu o controle da partida. Aos 11 minutos, após cruzamento de Marcinho, Renan Lodi apareceu na segunda trave para desviar. A bola, no entanto, foi para fora.
De tanto insistir, o Rubro-Negro abriu o placar aos 22 minutos. Nikão passou para o camisa 92, que com um toque sutil driblou o marcador. Ainda de fora da área, ele soltou a bomba no canto direito. Golaço de Pablo, em seu jogo 150 com a camisa atleticana! 1 a 0!
Aos 30’, Pablo teve mais uma chance. O chute de Rony parou na defesa e Pablo esticou o pé dentro da área para dominar. A bola ficou longe e ele tentou a finalização, que foi defendida pelo goleiro.
A dupla Pablo e Rony foi responsável pelo segundo gol atleticano, aos 32’. O camisa 92 recebeu cruzamento, dominou pelo lado direito e mandou rasteiro para o meio da área. Lá estava o estreante da noite, Rony, que bateu de primeira e estufou as redes. 2 a 0 Furacão!
O jogo, a partir de então, passou a ser controlado com tranquilidade. Sem poder de criação, o Bahia não assustou a defesa atleticana.
Ficha técnica: Atlético Paranaense 2×0 Bahia
Campeonato Brasileiro: 22ª rodada
Data: 02/09/2018 [domingo]
Horário: 16h
Local: Estádio Joaquim Américo, em Curitiba (PR)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS) [categoria MTR]
Assistentes: Jorge Eduardo Bernardi (RS) [categoria AB] e Lucio Beiersdorf Flor (RS) [categoria AB]
Quarto árbitro: Jefferson Cleiton Piva da Silva (PR) [categoria CD]
Árbitros assistentes adicionais: Rafael Gomes Felix da Silva (SP) [categoria CD] e Thiago Duarte Peixoto (SP) [categoria AB]
Público total: 13.433
Público pagante: 11.471
Renda: R$ 238.580,00
Atlético Paranaense: Santos; Jonathan, José Ivaldo, Léo Pereira e Renan Lodi; Wellington e Bruno Guimarães; Nikão, Raphael Veiga (Bruno Nazário, aos 27’ do 2ºR) e Marcinho (Rony, aos 17’ do 2ºT); Pablo (Bergson, aos 36’ do 2ºT).
Técnico: Tiago Nunes
Gols: Pablo, aos 22’ do 2º tempo; Rony, aos 32’ do 2º tempo.
Cartão amarelo: Raphael Veiga
Bahia: Douglas (Fernando, no intervalo); Bruno (Nino Paraíba, no intervalo), Tiago, Lucas Fonseca e Léo; Gregore, Elton, Vinicius e Elber; Edigar Junio (Clayton, aos 24’ do 2ºT) e Gilberto.
Técnico: Enderson Moreira
Cartão amarelo: Elton, Elber

Paraná tem gol legítimo anulado e perde para o Sport por 1×0, na Ilha do Retiro

09:050 comments
Paraná tem gol legítimo anulado e perde para o Sport por 1×0, na Ilha do Retiro

Duas bolas na trave, um gol mal anulado e o Paraná Clube retorna de Recife com mais uma derrota no Campeonato Brasileiro da Série A. Em situação difícil, o Tricolor está, agora, a nove pontos do primeiro time fora do Z4. O Sport-PE fez 1×0, com gol de Gabriel, ainda no primeiro tempo. Um cenário que obriga o time de Claudinei Oliveira a vencer os jogos em casa. E serão dois, em sequência, na Vila Capanema, contra Chapecoense e Santos.

“O duro é a gente saber que criou boas chances. Fizemos um gol legítimo, mas que acabou anulado pela arbitragem”, lamentou Claudinei Oliveira. “Não entendo esse critério de colocar, num jogo importante como esse, um árbitro que ainda não havia apitado na Série A nesta temporada”. O alerta do treinador já havia acontecido antes mesmo da partida.

Com a bola rolando, a primeira real oportunidade foi do Paraná, logo aos 6 minutos. Nadson cobrou falta, Igor desviou de cabeça e Magrão fez milagre. Na sobra, Cléber Reis acertou o travessão. A resposta do Sport, porém, foi contundente. Aos 14, Rogério avançou pela esquerda e cruzou, Andrigo fez o corta-luz e Gabriel, livre, bateu cruzado: 1×0.

O lance reclamado pelo Paraná veio aos 23 minutos. Silvinho cruzou para a área e Grampola, em condição legal, cabeceou para a rede. Atendendo indicação do assistente Marcus Vinícius Gomes, o árbitro Émerson de Almeida Ferreira anulou o empate paranista.

Precisando do resultado, o Paraná se expôs e aos 27 minutos Richard fez grande defesa no cabeceio de Andrigo. Mesmo com a saída de Silvinho, lesionado, o Paraná manteve o ritmo, com Carlos no ataque. Na arrancada de Alex Santana, o atacante recebeu e tentou uma “meia lua” em Magrão, desperdiçando boa chance para o empate. Claudinei, no intervalo, trocou Jhonny Lucas por Wesley Dias, mando a mesma estrutura tática.

Aos 6 minutos, Júnior mandou uma pancada no travessão. Na sobra, Carlos marcou, mas o impedimento foi assinalado. Logo depois, Richard fez uma grande defesa no chute de Rogério. O jogo seguiu equilibrado e o Paraná ainda teve uma boa chance para empatar aos 41minutos. Nadson abriu espaço e bateu para a defesa de Magrão, no rebote, Carlos não conseguiu mandar para a rede. No último lance, Richard ainda mostrou reflexo para impedir o gol de Marlone. Final: Sport 1×0.

 

Sport 1×0 Paraná Clube

Sport: Magrão; Cláudio Winck, Ernando, Durval e Sander; Nonoca (Neto Moura), Fellipe Bastos e Andrigo; Gabriel (Ronaldo Alves), Hernane e Rogério (Marlone). Técnico: Eduardo Baptista.

Paraná: Richard; Júnior, Cléber Reis, Renê Santos e Igor; Jhonny Lucas (Wesley Dias), Alex Santana (Rodolfo), Caio Henrique e Nadson; Silvinho (Carlos)  e Rafael Grampola. Técnico: Claudinei Oliveira.

Local: Ilha do Retiro (Recife-PE)

Árbitro: Émerson de Almeida Ferreira (MG)

Assistentes: Celso Luiz da Silva (MG) e Marcus Vinícius Gomes (MG)

Renda: R$ 88.950,00

Público total: 13.966

Gol: Gabriel aos 14’ do 1º tempo

Cartões amarelos: Júnior e Jhonny Lucas (Paraná). Fellipe Bastos, Cláudio Winck e Magrão (Sport)

 

Departamento de Comunicação – PRC

Palmeiras perde para o Cerro Porteño, mas garante classificação

31/08/2018 09:190 comments
O jogador Dudu, da SE Palmeiras, disputa bola com o jogador Caceres, do C Cerro Porteño, durante partida valida pelas oitavas de final (volta), da Copa Libertadores, na Arena Allianz Parque.

O Palmeiras recebeu a equipe do Cerro Porteño-PAR na noite desta quinta-feira, no Allianz Parque, em São Paulo (SP) pelo jogo de volta das oitavas de final. Após ter vencido por 2 a 0 o jogo de ida, o Alviverde avançou às quartas de final da Conmebol Libertadores mesmo perdendo por 1 a 0, com gol sofrido no segundo tempo. O próximo adversário do Alviverde no Continental será o Colo-Colo, do Chile, que passou pelo Corinthians na última quarta-feira (29).

O jogador Dudu, da SE Palmeiras, disputa bola com o jogador Caceres, do C Cerro Porteño, durante partida valida pelas oitavas de final (volta), da Copa Libertadores, na Arena Allianz Parque.

Após garantir classificação com um jogador a menos desde os três minutos do primeiro tempo – Felipe Melo, expulso –, o Verdão, apesar do revés, segue com números impressionantes na disputa desta edição do Continental: seis vitórias um empate e uma derrota, com 16 gols marcados apenas quatro tentos sofridos.

Além da classificação, alguns jogadores, individualmente, tiveram a oportunidade de ampliar suas próprias marcas, como – por exemplo – Dudu. O dono da camisa 7 palmeirense é o atleta com maior número de partidas no Allianz Parque (90), com mais vitórias na arena (64 triunfos), o maior artilheiro (com 24 gols) e também o maior garçom (22 assistências). Em todas as vezes em que o atacante fez gols no estádio, o Palmeiras jamais saiu de campo derrotado.

A noite também foi especial para o atacante Willian Bigode: o camisa 29 do Verdão pôde comemorar seus 100 jogos pelo Palmeiras. Contratado pelo Alviverde no início de 2017, o jogador marcou 31 gols. Neste ano, o atacante entrou em campo 47 vezes – com isso, é o atleta do elenco palestrino com mais jogos na temporada – e balançou as redes 14 vezes, sendo vice-artilheiro do time no ano, atrás apenas de Borja, com 17.

Além disso, a partida desta quinta-feira (30) fez com que Borja mantivesse a sina de ter atuado em todas as partidas da Libertadores 2018: são oito jogos disputados de oito possíveis, com oito gols marcados; ou seja, possui a incrível média de uma bola na rede por partida no Continental – número que faz do colombiano o vice-artilheiro do torneio, atrás apenas de Wilson Morelo, com nove (vale lembrar, entretanto, que o time de Morelo, o Independiente Santa Fé-COL, foi eliminado na primeira fase).

E não foram só jogadores que, individualmente, alcançaram marcas expressivas. Nesta noite, o técnico Luiz Felipe Scolari voltou a comandar uma partida válida pela Libertadores no Palestra Italia / Allianz Parque. Ao longo de suas três passagens pelo clube, o treinador orientou o time verde e branco 11 vezes no local e nunca foi derrotado – foram oito vitórias, dois empates e uma derrota. Curiosamente, o primeiro triunfo foi justamente diante do Cerro Porteño-PAR, em 1999, por 2 a 1. Foi o segundo jogo de Felipão no estádio – o primeiro havia sido contra o Olímpia-PAR e terminou empatado em 1 a 1.

Felipão, aliás, é o treinador que por mais vezes comandou o clube no torneio continental (30 vezes), que mais venceu (15 triunfos) e que dirigiu o Alviverde em sua única conquista da competição: em 1999, diante do Deportivo Cali-COL, nos pênaltis, em duelo disputado no antigo Palestra Italia.

Assegurado nas quartas de final, o Palmeiras mira o Colo-Colo, do Chile, visando repetir 1999 e conquistar o segundo título da Libertadores em sua história. Experiência não falta, pois, cinco atletas do atual elenco alviverde já foram campeões do mais importante torneio das Américas. São eles: Edu Dracena, pelo Santos, Marcos Rocha, pelo Atlético Mineiro, Willian, pelo Corinthians, e Miguel Borja e Alejandro Guerra, ambos pelo Atlético Nacional-COL. Além disso, o técnico Luiz Felipe Scolari conquistou o título em 1999, pelo Palmeiras, e em 1995, pelo Grêmio.

Tradição na Liberta

O Palmeiras é o time brasileiro com mais edições disputadas da Libertadores. Neste ano, o clube alviverde chegou a 18 edições participadas no torneio continental, ao lado de Grêmio e São Paulo. São, ao todo, 170 jogos pela Libertadores, com 89 vitórias, 32 empates e 49 derrotas (303 gols marcados e 193 sofridos).

E não é só isso! O Verdão carrega ainda a fama histórica de ter sido o primeiro brasileiro a ter disputado uma final de Libertadores. Foi em 1961, quando enfrentou o Peñarol na grande decisão e ficou com o vice-campeonato. O Alviverde ainda chegou à final em 1968 e 2000, além de 1999, quando foi campeão.

O Maior Campeão do Brasil também é o clube brasileiro com mais gols na história da Conmebol Libertadores. Ao longo das 18 edições disputadas (já contando 2018), o time alviverde marcou 303 vezes. Com isso, a equipe palestrina ocupa a décima colocação do ranking geral de clubes, considerando times estrangeiros, neste quesito. O líder é o River Plate, com 541 bolas na rede.

A tradição do Palmeiras da Libertadores não acaba por aí. Ao longo de sua trajetória na competição, o Alviverde, campeão da Libertadores em 1999, já contou com quatro artilheiros no mais importante torneio das Américas: Tupãzinho (1968, com 11 gols), Lopes (em 2001, com nove gols), Marcinho e Washington (ambos em 2006, com cinco gols cada um).

Agenda

O Palmeiras volta a campo no próximo domingo (02), às 19h (de Brasília), na Arena Condá, em Chapecó (SC), para encarar a Chapecoense, pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro. Em seguida, o time de Felipão recebe o Atlético-PR em sua casa, no Allianz Parque, na próxima quarta-feira (05), pela 23ª rodada do Nacional.

Com vitória sobre o Vasco, Furacão ampliou invencibilidade na temporada

09:170 comments
Com vitória sobre o Vasco, Furacão ampliou invencibilidade na temporada
O Atlético Paranaense ampliou a sua sequência invicta na temporada para oito jogos. Na noite desta quarta-feira (29), o Furacão venceu mais uma partida no Caldeirão. Raphael Veiga anotou o tento que deu os três pontos diante do Vasco.
Além das partidas pelo Brasileirão, a sequência de oito jogos sem derrotas compreende os jogos contra o Peñarol, pela Conmebol Sul-Americana. No período, o Rubro-Negro conseguiu seis vitórias e dois empates. Foram 16 gols marcados e apenas dois sofridos. Confira os jogos:
– 26/07: Atlético Paranaense 2×0 Peñarol
Joaquim Américo – Conmebol Sul-Americana
– 29/07: Atlético Paranaense 4×0 Vitória
Joaquim Américo – Campeonato Brasileiro
– 04/08: Corinthians 0x0 Atlético Paranaense
Arena Corinthians – Campeonato Brasileiro
– 07/08: Peñarol 1×4 Atlético Paranaense
Campeón del Siglo – Conmebol Sul-Americana
– 11/08: Ceará 0x0 Atlético Paranaense
Presidente Vargas – Campeonato Brasileiro
– 19/08: Atlético Paranaense 3×0 Flamengo
Joaquim Américo – Campeonato Brasileiro
– 25/08: Atlético Paranaense 2×1 Grêmio
Joaquim Américo – Campeonato Brasileiro
– 29/08: Atlético Paranaense 1×0 Vasco da Gama
Joaquim Américo – Campeonato Brasileiro

Nos pênaltis, Grêmio vence o Estudiantes e está na próxima fase da Libertadores

29/08/2018 09:310 comments
Nos pênaltis, Grêmio vence o Estudiantes e está na próxima fase da Libertadores

A noite desta terça-feira foi de Copa Libertadores da América. Na raça, na garra e com muita emoção, o Grêmio venceu o Estudiantes, no segundo jogo das oitavas de final da competição. No tempo regulamentar, superou por 2 a 1, resultado que levou o jogo para os pênaltis. Neles, venceu por 5 a 3.

O Tricolor começou pressionando a equipe argentina, tanto que aos 5 minutos de bola rolando, a Arena foi a loucura quando Everton, com qualidade, abriu o marcador ao encobrir o goleiro Andújar. Mas infelizmente os argentinos responderam rapidamente, aos 8′, com Lucas Rodríguez, que empatou a partida. Durante a etapa inicial, os gremistas seguiram superiores, mas pararam na defesa adversária.

No intervalo, Renato promoveu sua primeira alteração, dando mais ofensividade ao time. Tirou Ramiro para colocar Alisson. O ritmo seguiu o mesmo, com o Grêmio se impondo na partida, mas o time argentino estava bem organizado defensivamente. Jael chegou a colocar uma bola na trave, que não entrou por detalhe.

As demais substituições foram feitas no decorrer do segundo tempo, com André e Pepê, ocupando os lugares de Léo Moura e Jailson.

Nos últimos minutos, quando só os gremistas ainda acreditavam, que nasceu o gol da virada, o qual levou a partida para os pênaltis. Aos 46′, Luan cobrou uma falta na cabeça de Alisson, que desviou para o gol. A bola bateu no travessão e morreu no fundo das redes.

Nas cobranças, o Grêmio venceu o Estudiantes por 5 a 3.

Com o resultado, o Tricolor segue para a próxima fase da Copa Libertadores da América e enfrenta o Atlético Tucumán.

Primeiro Tempo

O Grêmio já chegou bem nos primeiros segundos, com Léo Moura fazendo um bom lançamento na esquerda para Cortez, mas ao cruzar, o lateral mandou na marcação. Outra oportunidade criada pelo Tricolor surgiu aos 3 minutos, em uma cobrança de falta da esquerda. Luan colocou na área, mas Andújar saiu do gol para fazer a defesa.

O Estudiantes buscou responder logo em seguida com Facundo, que da intermediária, mandou direto a meta gremista, mas para fora, sem nenhum perigo.

Aos 5 minutos de bola rolando, a Arena foi a loucura quando Everton, com qualidade, abriu o marcador. A jogada iniciou com Maicon, que deu um passe para Jael. O centroavante, com muita técnica lançou Everton, que dentro da área recebeu e encobriu Andújar.

Mas os argentinos responderam na sequência, aos 8′. Depois de uma sequência de falhas da defesa tricolor, Lucas Rodríguez avançou com a bola e chutou cruzado. Marcelo Grohe ainda tocou nela, mas não conseguiu deslocar suficiente.

O Grêmio trabalhou novamente pela esquerda, com Everton recebendo passe e tentando o cruzamento na área, mas a defesa conseguiu o corte. No lance seguinte, uma falta para os gremistas da extrema esquerda. Luan colocou no primeiro poste, houve o desvio e a defensiva conseguiu o corte.

Aos 19′, Everton recebeu na direita, foi a linha de fundo e deslocou a marcação, finalizando, mas o arqueiro argentino segurou firme o chute do atacante.

Já com 25′, Everton foi acionado por Cortez na esquerda, saiu em velocidade, foi a linha de fundo e tentou o cruzamento, mas a zaga cortou. A bola voltou ao atacante, que dominou, puxou pro meio e arriscou, mas mandou por sobre a meta.

Outra chance surgiu após um bom trabalho de troca de passes. A bola chegou a Luan, que da intermediária direita cruzou na área, mas Andújar fez a defesa.

Aos 28′, o Grêmio teve uma falta frontal a seu favor, em que Jael cobrou na barreira. A bola voltou para o centroavante, que serviu Maicon. O capitão chutou, a bola bateu na zaga e saiu a linha de fundo. Em seguida, Ramiro deu um passe para Luan; o camisa 7 fez o cruzamento, mas a defesa argentina, mais uma vez, cortou.

Outra grande jogada gremista nasceu com Léo Moura, que foi cortando em velocidade da direita para o meio, avistou Cortez e fez o cruzamento. O lateral recebeu, mas carimbou a marcação, conseguindo escanteio. Luan colocou no primeiro poste, Andújar subiu e ficou com a bola.

Pela meia direita, o Grêmio fez uma jogada ensaiada. Maicon levantou no segundo poste, Geromel desviou para dentro da área e Kannemann tentou o giro com a bola dominada, mas ela saiu a linha de fundo, aos 33 minutos.

Os argentinos tentaram chegar com Erquiaga no minuto seguinte, pela esquerda, mas Marcelo Grohe fez a defesa com tranquilidade.

Com 37 minutos, Léo Moura fez um cruzamento da direita, mas o goleiro fez a defesa, sem rebote.

Em uma nova chance, Maicon deu um passe procurando Ramiro, que de cabeça colocou para o meio da área, mas novamente a zaga adversária ficou com a bola.

Na reta final da partida, aos 41′, o Tricolor teve uma nova cobrança de escanteio. Everton colocou no primeiro poste, houve desvio, a bola chegou a Luan, que pegou de primeira, mas Andújar conseguiu salvar.

Jogo finalizou aos 46′.

 

Segundo Tempo

O Grêmio voltou a campo com a seguinte alteração: entrou Alisson, saiu Ramiro.

Já em sua primeira chegada ao ataque, o Tricolor sofreu uma falta na intermediária, pela esquerda. A bola foi colocada em curva, mas a defesa cortou. Os argentinos também tiveram chance com falta na sequência. A bola foi colocada no primeiro poste, Sánchez desviou  e Grohe defendeu.

Aos 6′, Jailson e Alisson tabelaram na entrada da área, a bola sobrou a Jael, que não conseguiu a sequência na jogada.

Com perigo, o Tricolor chegou com uma bola alçada na área, Jael desviou de cabeça, mas Andújar conseguiu segurar. Em seguida, Léo Moura, da direita, cruzou na marca penal, mas Everton e Luan não se entenderam e a defesa cortou.

Aos 9′, Jael recebeu um cruzamento do lateral direito, tentou a finalização de primeira, de bicicleta, mas estava bem marcado. De longa distância, o centroavante aproveitou uma falha da defesa, passou por dois marcadores e chutou, mas mandou por sobre a meta adversária.

Depois de uma cobrança lateral, de pé em pé, a bola chegou a Jailson, que do meio arriscou, mandando no ângulo de Andújar, mas o arqueiro defendeu, espalmando a escanteio. Na cobrança, a bola foi alçada na área, mas mais uma vez o goleiro segurou, com 12 minutos.

Outra cobrança de falta foi feita com perigo por Jael, que mandou uma bomba, a bola desviou e passou raspando a trave da meta de Andújar.

O Grêmio chegava pela direita com Alisson, quando Campi cometeu falta forte sobre o atacante. Na cobrança, há dois passos da grande área, o atacante colocou no primeiro poste, mas a zaga cortou. Na sobra, Maicon alçou na área novamente, mas a bola sobrou para o goleiro argentino, aos 21′.

Depois de uma troca de passes pela esquerda, a bola foi invertida e chegou a Alisson, que invadiu a área e chutou, mas zaga cortou.

Substituição: Saiu Léo Moura, entrou André, aos 24 minutos.

Com 27′, a melhor chance gremista na etapa. Alisson fez uma jogada pela direita e cruzou na área para Jael, que recebeu, dominou e finalizou. A bola desviou e bateu na trave, saindo a escanteio.

Em uma tabela muito bem feita, a bola sobrou para Luan, que chutou, mas bateu fraco, facilitando a defesa de Andújar.

Substituição: Saiu Jailson, entrou Pepê, aos 33 minutos.

Pepê recebeu um baita lançamento de Everton na direita e cruzou, mas a zaga cortou a escanteio. Na cobrança, a bola foi colocada na área e Geromel mandou de cabeça. Em cima da linha, a defesa conseguiu interceptar a jogada.

Já na reta final da partida, Jael sofreu uma falta na intermediária, próximo a meia-lua da grande área. Na cobrança, aos 42′, Jael chutou rasteiro, desviou e saiu a linha de fundo. Tiro de meta.

O Grêmio pressionou muito nos minutos finais, mas não conseguiu ser efetivo. Luan ainda arrematou da entrada da área, mas mandou muito alto.

Foi nos últimos minutos, quando só os gremistas ainda acreditavam, que nasceu o gol da virada que levou a partida para os pênaltis. Aos 46′, Luan cobrou uma falta na cabeça de Alisson, que desviou para o gol. A bola bateu no travessão e morreu no fundo das redes.

Jogo finalizou aos 49′.

Pênaltis:

A primeira cobrança foi feita por Maicon, que mandou no ângulo direito de Andújar.

Lucas Rodríguez cobrou para o Estudiantes e deslocou Marcelo, chutando de chapa no canto esquerdo.

Everton converteu a segunda penalidade, no canto direito do arqueiro argentino.

Campi cobrou para os adversários. Canhoto, isolou a cobrança.
A terceira cobrança foi feita por Jael. O centroavante deslocou Andújar e mandou com classe para o canto direito.

O zagueiro Noguera corou para o Estudiantes, marcando.

Alisson, autor do gol, chutou com categoria e mandou no canto direito.

Lugüercio converteu o pênalti, encostando no placar.

André cobrou o quinto pênalti, mandando no canto esquerdo do arqueiro argentino.

Grêmio classificado para as quartas de final da competição.

Fotos: Lucas Uebel | Grêmio FBPA

Santos luta até o fim, mas fica empata em 0 a 0 e é eliminado pelo Independiente

09:290 comments
Santos luta até o fim, mas fica empata em 0 a 0 e é eliminado pelo Independiente

O Santos FC, na noite desta terça-feira (28), lutou até o fim, mas acabou empatando com o Independiente por 0 a 0, no Pacaembu completamente lotado, em duelo válido pela volta das oitavas de final da Conmebol Libertadores de 2018. Apesar dos resultados dentro de campo manterem o duelo igual, o Peixe foi punido pela confederação Sul-Americana e está eliminado da competição. Porém, o Clube declara publicamente que irá a todas as instâncias cabíveis.

Agora, a equipe comandada pelo técnico Cuca volta a entrar em campo no próximo sábado (1), contra o Vasco, às 19h, no Maracanã, pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O jogo – Precisando da vitória, o Santos FC se lançou ao ataque desde o começo. O Independiente, por sua vez, apostava nos contra-ataques. Aos 7 minutos, Rodrygo driblou a marcação na esquerda e deu lindo passe para Gabriel.

O centroavante apareceu na entre os zagueiros, mas chutou em cima do goleiro Campana, do Independiente. Já aos 30, Bruno Henrique tentou colocado, de fora de área, mas acabou parando no arqueiro rival. Oito minutos depois, Sánchez infiltrou para Gabriel dentro da área. Porém, o camisa 10 parou mais uma vez em Campana.

Na sequência, Pituca tentou cruzamento pela esquerda e acabou acertando a rede pelo lado de fora. Aos 43, porém, a arbitragem marcou pênalti para o Independiente. Mesmo com tudo contra, Vanderlei voou para defender a cobrança de Meza. Logo no início da segunda etapa, Victor Ferraz cruzou da direita e Gabriel chegou batendo dentro da área, mas mandou pra fora.

FICHA TÉCNICA

SANTOS FC 0 x 0 INDEPENDIENTE

Local: Estádio Paulo Machado de Carvalho (Pacaembu), em São Paulo (SP)

Data: 28 de agosto de 2018 (terça-feira)

Horário: 19h30 (de Brasília)

Árbitro: Julio Bascuñan (CHI)

Assistentes: Carlos Astroza (CHI) e Claudio Rios (CHI)

SANTOS FC: Vanderlei; Victor Ferraz, Gustavo Henrique, Lucas Veríssimo (Robson Bambu) e Diego Pituca; Alison (Jean Mota), Carlos Sánchez e Rodrygo; Derlis González, Bruno Henrique (Bryan Ruiz) e Gabriel. Técnico: Cuca

INDEPENDIENTE: Campanã; Figal, Brítez, Franco e G.Silva; Bustos, F.Silva, Hernández e Romero; Gigliotti e Meza. Técnico: Ariel Holan

(Foto: Ivan Storti/Santos FC)

Operário vence o Santa Cruz e conquista o acesso à Série B do Brasileiro

27/08/2018 08:560 comments
Operário vence o Santa Cruz e conquista o acesso à Série B do Brasileiro

O Operário Ferroviário está na Série B do Campeonato Brasileiro 2019. O alvinegro venceu o Santa Cruz por 3 a 0, na tarde deste domingo (26), no Estádio Germano Krüger. A partida foi válida pela volta das quartas de final da Série C. O Fantasma perdeu o primeiro jogo por 1 a 0, mas venceu no placar agregado por 3 a 1.

O alvinegro abriu o placar aos 22 minutos da primeira etapa. Após cruzamento de Cleyton, Sosa recebeu e tocou para Alisson chutar forte no canto direito do goleiro. A vantagem foi ampliada na segunda etapa. Aos 28 minutos, Léo cruzou e Schumacher marcou o dele. Seis minutos depois, Dione recebeu na área, balançou as redes e decretou a vitória e o acesso do Operário.

O Fantasma iniciou a partida com Simão, Léo, Alisson, Sosa, Peixoto, Chicão, Erick, Robinho, Lucas Batatinha, Cleyton e Schumacher. No segundo tempo, entraram Dione, Quirino e Xuxa para saída de Lucas Batatinha, Schumacher e Robinho.

Em entrevista coletiva, o técnico Gerson Gusmão falou sobre a conquista. “Não tinha como ser fácil, a Série C é uma competição duríssima. A gente sabia, desde o início, que teríamos que matar um leão a cada jogo e os jogadores entenderam e compraram essa ideia. Então, hoje é a coroação do acesso, muito merecido por todo esse grupo, pela direção e pelo torcedor, que é o carro-chefe do Operário. Fazer parte disso é maravilhoso”.

O Operário aguarda o resultado da partida entre Náutico-PE e Bragantino-SP para a definição do adversário da semifinal da Série C. O primeiro jogo será fora de casa e a volta no Germano Krüger.

FICHA TÉCNICA

Operário 3×0 Santa Cruz
Campeonato Brasileiro – Série C – Quartas de final – Partida de volta
Estádio Germano Krüger – 26/08/18 – 15h

Operário: Simão, Léo, Alisson, Sosa, Peixoto, Chicão, Erick, Robinho (Xuxa), Lucas Batatinha (Dione), Cleyton e Schumacher (Quirino). Téc: Gerson Gusmão
Banco: Matheus, Rodrigo, Danilo Báia, Seginho Paulista, Romano, Pedrinho, Gil Paraíba, Anderson Paraíba e Vinicius.

Santa Cruz: Ricardo Ernesto, Vitor, Danny Morais, Sandoval (Augusto Silva), Allan Vieira, Willian Maranhão, Charles (Augusto), Arthur Rezende, Jaílson, Robinho e Pipico. Téc: Roberto Fernandes
Banco: Lucas Silva, Carlinhos Paraíba, Eduardo, Eduardo Brito, Mailton, Geovani, Jonathan, Leandro Costa e Genilson.

Gols: 1T 22 Alisson, 2T 28’ Schumacher, 2T 34’ Dione (Operário)

Árbitro: Raphael Claus (SP)
Árbitro Assistente 1: Danilo Ricardo Simon Manis (SP)
Árbitro Assistente 2: Rogerio Pablos Zanardo (SP)
Quarto Árbitro: Thiago Duarte Peixoto (SP)

Público pagante: 6.477 pessoas
Público total: 7.085 pessoas
Renda: R$ 241.950,00

Assessoria de Imprensa – Bianca Machado
Fotos: José Tramontin/OFEC

Corinthians vence com gol de bola parada. Paraná reclama da falta de critério do juiz

08:530 comments
Corinthians vence com gol de bola parada. Paraná reclama da falta de critério do juiz

O Paraná Clube não jogou mal, mas novamente pecou nos detalhes – deixou o Itaqueirão reclamando da arbitragem – e perdeu para o Corinthians (1×0), na noite deste sábado (25). O resultado mantém a equipe na 20ª colocação, agora a 6 pontos de distância para o primeiro time fora do Z4. Henrique, de cabeça, marcou o único gol do jogo, que teve chances para os dois lados, bolas nas traves e muita transpiração.

Logo no primeiro lance, numa boa tabela pela esquerda, Caio Henrique cruzou, mas a zaga tirou antes do cabeceio de Grampola. A resposta do Corinthians veio com Jadson, que exigiu uma grande defesa de Richard. A bola ainda foi na trave e voltou nos braços do goleiro paranista. O clima esquentou aos 15 minutos. Douglas agrediu Leandro Vilela e o árbitro deu apenas cartão amarelo. Por reclamação no lance, Alex Santana também acabou advertido.

O melhor momento do Paraná veio na sequência. De bicicleta, Rafael Alemão exigiu grande defesa de Cássio. No lance seguinte, foi a vez de Caio Henrique. O meia bateu forte, no alto, e o goleiro esticou-se todo para mandar a bola pela linha de fundo. Aproveitando que o Timão não se encontrava, Leandro Vilela mandou de fora da área, para mais uma defesa de Cássio (que se machucou no lance). Só que aos 35 minutos, o Corinthians foi mortal.

Na cobrança de escanteio de Jadson, Henrique subiu mais que a zaga tricolor e acertou o ângulo esquerdo: 1×0. Cássio saiu para a entrada de Walter e o Paraná voltou a questionar os critérios (ou a falta deles) do árbitro goiano André de Freitas Castro. Clayson, que já tinha amarelo, deixou o braço no rosto de Renê Santos. A falta foi marcada, mas nada de cartão.

No início do segundo tempo, o Corinthians foi só pressão. Com a entrada de Nadson no lugar de Raphael Alemão, Claudinei reequilibrou a equipe. Mais uma vez, o Paraná reclamou do apito. O volante Douglas, que já tinha amarelo, deu um carrinho faltoso em Grampola, mas nada de pintar o segundo amarelo. O Paraná  conseguiu uma boa finalização com Alex Santana, aos 27, mas Walter fez a defesa. Logo depois, o juiz expulsou Leandro Vilela, que já tinha amarelo, pois uma falta próximo à bandeirinha de escanteio.

É difícil entender o critério adotado. Lances parecidos, para um vem punição, para o outro não”, lamentou Claudinei. “É claro que não foi só isso. Erramos também. Mas, situações como essa minam o time durante o jogo”. O treinador agora terá uma semana para preparar o time, que volta a campo no domingo (02), para encarar o Sport, na Ilha do Retiro.

 

Corinthians 1×0 Paraná Clube

Corinthians: Cássio (Walter); Fagner, Henrique, Pedro Henrique e Danilo Avelar; Ralf, Douglas e Jadson (Angelo Araos); Pedrinho, Roger e Clayson (Mateus Vital). Técnico: Osmar Loss.

Paraná: Richard; Diego Tavares, Cléber Reis, Renê Santos e Igor; Leandro Vilela, Alex Santana (Rodolfo) e Caio Henrique; Raphael Alemão (Nadson), Rafael Grampola (Jhonny Lucas) e Silvinho. Técnico: Claudinei Oliveira.

Local: Arena Corinthians (São Paulo-SP)

Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)

Assistentes: Fabrício Vilarinho da Silva (GO) e Bruno Raphael Pires (GO)

Renda: R$ 1.019.205, 58

Público pagante: 28.136

Público total: 28.375

Gol: Henrique aos 35’ do 1º tempo

Cartões amarelos: Douglas, Clayson e Fagner (Corinthians). Alex Santana, Raphael Alemão e Silvinho (Paraná)

Expulsão: Leandro Vilela aos 30’ do 2º tempo

De virada, Atlético vence Grêmio e sai da ZR

08:510 comments
De virada, Atlético vence Grêmio e sai da ZR
O Atlético Paranaense mostrou muita raça e superação na noite deste sábado (25). Pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Furacão virou para cima do Grêmio, no Caldeirão, e somou mais três pontos na competição. Pablo e Jonathan anotaram os gols atleticanos. Com o resultado, o time atleticano ocupa provisoriamente a 14ª posição na tabela.
O Rubro-Negro volta a campo na quarta-feira (29), contra o Vasco, novamente dentro de casa. A partida é válida pela 15ª rodada, que havia sido adiada. A bola rola às 19h30.
Em pênalti duvidoso, Furacão sai em desvantagem, mas empata com Pablo
A primeira chance de perigo foi da equipe adversária. Pepê recebeu lançamento em condição legal e finalizou na trave.
Aos sete minutos, a arbitragem marcou pênalti de forma equivocada em lance de ataque do Grêmio. Cícero cobrou e marcou.
Mas de nada adiantou, pois aos 12 minutos o Furacão chegou ao empate. Pablo recebeu de Lucho dentro da área, girou e bateu colocado, no ângulo. Um golaço para igualar o marcador. 1 a 0!
Quem tentou a virada foi Marcinho. Ele recebeu na esquerda, puxou para o meio e bateu rasteiro. Paulo Victor fez a defesa.
Marcinho fez ótima jogada aos 23’. Ele partiu em velocidade, deixou o marcador no chão e bateu para o gol. A bola desviou e foi em escanteio. Na cobrança, o próprio Marcinho quase marcou o gol olímpico.
Já nos acréscimos da primeira etapa, Nikão recebeu de Renan Lodi e bateu colocado. A bola passou raspando a trave pelo lado esquerdo.
Virada no segundo tempo
Jogada bem trabalhada pelo Furacão aos 22 minutos da segunda etapa. De pé em pé, da direita para a esquerda, a bola chegou até Renan Lodi, que bateu rasteiro. O goleiro mandou para escanteio.
E a virada veio dois minutos depois. Jonathan tabelou com Nazário e saiu na cara do gol. De frente com Paulo Victor, ele tocou rasteiro, no canto, e colocou o Rubro-Negro na frente. 2 a 1!
A equipe comandada por Tiago Nunes continuou criando oportunidades. Renan Lodi tentou o cruzamento perigoso em contra-ataque, aos 38’, mas a zaga afastou.
Além da vitória e dos  três pontos, outro fator a se destacar na partida foi a reestreia de Márcio Azevedo com a camisa atleticana. Ele entrou na vaga de Raphael Veiga, aos 39 minutos da etapa final.
Ficha técnica: Atlético Paranaense 2×1 Grêmio
Campeonato Brasileiro: 21ª rodada
Data: 25/08/2018 [sábado]
Horário: 19h
Local: Joaquim Américo, em Curitiba (PR)
Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza [categoria AB – SP]
Assistentes: Anderson José de Moraes Coelho [categoria AB – SP] e Bruno Salgado Rizo [categoria AB – SP]
Quarto árbitro: Fabricio Porfirio de Moura [categoria AB – SP]
Público total: 13.577
Público pagante: 12.188
Renda: R$ 349.830,00
Atlético Paranaense: Santos; Jonathan, José Ivaldo, Léo Pereira e Renan Lodi; Wellington (Bruno Guimarães, aos 14’ do 2ºT) e Lucho González; Nikão (Bruno Nazário, aos 15’ do 2ºT), Raphael Veiga (Márcio Azevedo, aos 39’ do 2ºT) e Marcinho; Pablo.
Técnico: Tiago Nunes
Gols: Pablo, aos 12’ do 1º tempo; Jonathan, aos 24’ do 2º tempo.
Cartão amarelo: Nikão, Bruno Nazário
Grêmio: Paulo Victor; Leonardo, Paulo Miranda, Bressan e Marcelo Oliveira; Thaciano (linccoln, aos 38’ do 2ºT), Cívero e Douglas (Jean Pyerre, aos 27’ do 2ºT); Marinho (Thonny Anderson, aos 17’ do 2ºT), Pepê e Alisson.
Técnico: Renato Portaluppi
Gol: Cícero, aos 8’ do 1º tempo.
Cartão amarelo: Paulo Miranda, Marinho