No último jogo das oitavas, Inglaterra elimina Colômbia nos pênaltis

04/07/2018 08:190 comments
John Sibley/Reuters/Direitos reservados/Agência Brasil

A classificação inglesa, que parecia tranquila até o final do segundo tempo, foi dramática. Depois de controlar o jogo durante os 90 minutos, levou um gol de empate nos acréscimos e só se garantiu nas quartas de final nos pênaltis. A classificação inglesa encerra a fase de oitavas de final da Copa do Mundo. Com a vitória, a Inglaterra enfrenta a Suécia na próxima fase.

A Colômbia fez um jogo nervoso durante o tempo normal e melhorou na prorrogação. Mas dependia muito de Falcão Garcia e Cuadrado, seus principais nomes ofensivos, para se manter na competição. Mas eles não estavam em um dia inspirado. James Rodriguez, o craque do time e responsável pela armação de jogadas, sequer foi para o banco de reservas, devido a uma lesão.

Os colombianos ainda tiveram sobrevida na partida com o gol do zagueiro Mina. Com seus gols, ele já vinha salvando o time na Copa desde a fase de grupos. Mas dessa vez não foi o suficiente. O placar de 1 a 1 levou o jogo para os pênaltis. Uribe e Bacca perderam suas cobranças, enquanto Henderson errou pela Inglaterra.

John Sibley/Reuters/Direitos reservados/Agência Brasil

O jogo

Foi um primeiro tempo de um time só. A Inglaterra passou a maior parte dos primeiros 45 minutos no campo da Colômbia. Mais eficiente no ataque, os ingleses chegavam bem pelos lados, com Trippier apoiando de um lado e Young de outro. Além disso, o centroavante Harry Kane saiu da área e buscou o jogo, dando trabalho para a defesa na intermediária do ataque.

A melhor chance do English Team foi aos 15 minutos, Trippier cruzou pela direita. A bola passou pelo goleiro e chegou em Kane. O centroavante se esticou para cabecear a bola que já saía do outro lado e quase marcou. O primeiro chute da Colômbia em direção ao gol foi só aos 46 minutos, com Quintero. Ainda assim, não ofereceu dificuldades para Pickford.

A Colômbia teve muitas dificuldades para ligar contra-ataques na primeira etapa. A principal válvula de escape do time sul-americano, Cuadrado, estava preso na boa marcação do adversário e pouco fez. Assim como o centroavante Falcão Garcia. O primeiro tempo ainda mostrou duas equipes muito nervosas, protagonizando pequenas confusões entre os jogadores. Uma dessas confusões rendeu cartão amarelo para o colombiano Barrios por uma cabeçada em Henderson.

Segundo tempo

O segundo tempo começou da mesma forma. Presença inglesa na área e muita animosidade entre os jogadores. Aos 8 minutos, Carlos Sanchéz derrubou Kane na área durante uma cobrança de escanteio e o juiz marcou pênalti. Os colombianos reclamaram muito, mas não teve jeito. O próprio Kane cobrou, no meio do gol, e abriu o placar.

Os colombianos estavam muito irritados na partida. Reclamavam muito das decisões do árbitro. O time do técnico José Pékerman não se concentrava na partida e reclamava mais do que jogava. Os ingleses se aproveitavam disso, controlando o jogo sem correr riscos na defesa.

A Colômbia chegou com perigo, já perto do final do jogo, graças a um presente de Dier. O volante inglês errou na saída de bola e deu de presente para Bacca. Ele avançou em velocidade e abriu o jogo para Cuadrado, que entrava livre pela direita. Mas o atacante chutou a bola muito forte, por cima do gol.

Prorrogação

Nos acréscimos, já na base do desespero, a Colômbia foi para o ataque. Uribe acertou um belo chute de voleio, e obrigou Pickford a fazer uma ótima defesa e espalmar a bola para escanteio. Na cobrança, Mina, o zagueiro artilheiro da Colômbia, subiu mais alto que todo mundo, cabeceou com firmeza para para o fundo do gol. O estádio explodiu em êxtase, enquanto os ingleses mal acreditavam na vitória que escapava-lhes pelos dedos no último minuto do tempo normal.

A prorrogação mostrou um time colombiano totalmente diferente. Mais calmo, passou a ameaçar mais a Inglaterra. Era melhor na defesa e tinha mais presença ofensiva. Como o treinador inglês havia tirado seus principais articuladores de jogadas, Sterling e Dele Alli, para reforçar a defesa no final do tempo regulamentar, o time ficou sem saída de bola.

No segundo tempo da prorrogação, a Inglaterra melhorou e equilibrou as ações. Aos 6 minutos, Rose, que entrara já no tempo extra, invadiu a área pela esquerda e bateu cruzado. A bola passou rente à trave. Mas ficou só nisso e o jogo foi para os pênaltis.

Pênaltis

Depois de sofrer o jogo todo com um time que pouco respondia em campo, o torcedor colombiano se sentiu praticamente garantido nas quartas de final quando Ospina defendeu a cobrança de Henderson. Isso acabou deixando o desfecho ainda mais cruel, porque Uribe e Bacca desperdiçaram as duas últimas cobranças do time. Dier tratou de garantir o voo dos colombianos de volta para casa, ao acertar a última cobrança.

Agência Brasil

Suécia vence Suíça e avança para as quartas de final

03/07/2018 14:420 comments
Suécia vence Suíça e avança para as quartas de final

A Suécia venceu a Suíça por 1 x 0 e avançou às quartas-de-final da Copa do Mundo. Com isso, o país escandinavo volta ao grupo dos oito melhores times de uma Copa após 24 anos. A última vez foi em 1994, nos Estados Unidos, competição vencida pelo Brasil, quando chegou até as semifinais.

Foi uma partida que exigiu muito do sistema defensivo sueco, sobretudo no segundo tempo. Mas a defesa se comportou bem e garantiu a vitória. Lá na frente, Fosberg fez o gol da vitória. Após a partida, o treinador sueco Janne Andersson exaltou o esforço da equipe.

“É muito empolgante ver que o grupo passa por isso junto. Estou orgulhoso de tudo, de todo o grupo. Foi bom porque conseguiram controlar a partida depois do gol. Sairemos daqui orgulhosos quando formos para casa”, disse ainda no gramado, enquanto seus comandados festejavam com a torcida.

Copa 2018, Suíça e Suécia, GolLustig REUTERS/Lee – Lee Smith/Reuters/

O jogo

A partida começou sem muitas emoções, mostrando o equilíbrio do duelo. Os suíços buscavam o ataque em jogadas que saíam dos pés de Shaqiri e Xhaka, principalmente. Já a Suécia tinha em Fosberg, seu camisa 10, o principal articulador.

Aos 28 minutos, finalmente um lance emocionante. A Suécia trocou passes na área adversária, até que a bola chegou a Berg, na entrada da pequena área. O centroavante ajeitou o corpo e chutou no canto de Sommer. O goleiro suíço se esticou todo para impedir que a bola entrasse em seu gol, conseguindo manter o placar zerado.

A Suíça se lançou mais ao ataque no segundo tempo, mas a defesa adversária se garantia lá atrás. E no ataque, ameaçava com Berg e Fosberg. O placar foi aberto aos 20 minutos do segundo tempo. Fosberg recebeu a bola na entrada da área e arriscou. Ela desviou em Akanji no meio do caminho e tirou Sommer do lance, acertando o canto superior direito do goleiro suíço.

Depois do gol, o jogo melhorou em movimentação. A Suíça passou a ser mais ofensiva. A Suécia, recuada, passou a jogar em contra-ataques. E foi exatamente no último lance do jogo, em um contra-ataque, o suíço Lang derrubou Olsson na entrada da área. O árbitro chegou a marcar o pênalti, mas consultou o vídeo e reverteu a decisão, marcando falta fora da área.

De qualquer forma, não havia tempo para mais nada. Sommer fez boa defesa na cobrança da falta e o juiz apitou o fim da partida. Com a vitória, os suecos aguardam o vencedor de Inglaterra e Colômbia, para saber com quem joga nas quartas de final.

Agência Brasil

Bélgica vira no último lance e enfrenta o Brasil nas quartas

02/07/2018 20:550 comments
Copa 2018: Bélgica e Japão. Nacer Chadli, da Bélgica, comemora o terceiro gol com os companheiros de equipe.

A Bélgica venceu o Japão por 3 a 2 no último lance do jogo e vai enfrentar o Brasil sexta-feira (6) nas quartas de final da Copa do Mundo da Rússia. A vitória veio em uma partida de recuperação na segunda metade do segundo tempo. Os japoneses fizeram 2 a 0 e impuseram muita velocidade contra a lenta defesa dos belgas.

A equipe europeia jogou mal, mas lances de qualidade de Hazard, Chadli e Fellaini contribuíram para a vitória. Durante todo o primeiro tempo, os belgas jogaram como se tivessem certeza de que o gol sairia naturalmente. Não saiu. Enquanto isso, o Japão, mais ligado no jogo, surpreendeu e, por pouco, não avançou na Copa. A Bélgica enfrentará o Brasil na próxima sexta-feira (6), às 15h.

O jogo

Copa 2018: Bélgica e Japão. Nacer Chadli, da Bélgica, comemora o terceiro gol com os companheiros de equipe.

O Japão começou o jogo com mais presença no ataque e foi melhor nos primeiros 15 minutos de jogo. Pressionava a Bélgica no campo de ataque, tinha mais a bola, mas não ameaçava o gol de Courtois. No começo do jogo, a Bélgica fechou-se na defesa e esperou os espaços para atacar. E os espaços apareceram. Depois do início dominante do Japão, os belgas começaram a pressionar.

A defesa japonesa passou sufoco dos 23 aos 28 minutos. Em vários momentos, afastava como podia os lances de perigo e parecia que a Bélgica abriria o placar a qualquer momento. O Japão resistiu a essa pressão inicial.

O jogo era bom. A Bélgica passou a dominar a partida, mas não finalizava com perigo. O sistema defensivo japonês resistia na base da correria e conseguia fechar a porta para os chutes de Hazard e as infiltrações de Lukaku. E, de quebra, o Japão subia vez ou outra para o ataque.

Aos 43 minutos, o Japão quase marca o gol, graças a uma falha do goleiro belga. Nagatomo cruzou rasteiro para Osako que, impedido, desviou a trajetória da bola com um leve toque. Courtois, considerado um dos grandes goleiros do torneio, tentou agarrar a bola, mas ela passou debaixo de suas pernas. A bola só não cruzou a linha porque ele se recuperou e fez a defesa.

Cinco gols no segundo tempo

No segundo tempo, a Bélgica tentou retomar, mas sofreu dois gols-relâmpago. Aos 3 minutos, Inui interceptou o passe e levou o time ao ataque com um toque rápido de bola. Haraguchi recebeu na velocidade e, com um erro do zagueiro, que furou, ao tentar afastar a bola, saiu na frente de Courtois. Inui tocou a bola no canto, tirando do alcance do goleirom fez Japão 1 a 0.

Aos 7 minutos, o Japão contra-atacou e a defesa belga não se fechou a tempo. Inui teve tempo para dominar e armar o chute e acertar um chute no canto de Courtois: Japão 2 a 0.

O Japão manteve-se ofensivo e, aos 19 minutos, quase marcou novamente. Aproveitando a lentidão da defesa belga, Sakai recebeu na linha de fundo, nas costas de Carrasco, e cruzou. Courtois cortou e Osako quase marca no rebote.

Aos 24 minutos, a Bélgica diminuiu. Em uma jogada estranha, o zagueiro Vertonghen pegou rebote no lado esquerdo da grande área e, de cabeça, jogou para o meio da pequena área. O goleiro Kawashima só percebeu que a bola ia em direção ao gol quando era tarde demais. A Bélgica diminuía e ganhava fôlego na partida. Aos 28 minutos, veio o empate: Hazard cruzou na área e Fellaini, mais alto que os zagueiros, marcou de cabeça.

O jogo continuou aberto. A Bélgica tinha mais a posse de bola, mas o Japão era perigoso nos contra-ataques.

A Bélgica garantiu a classificação no último lance, quando faltavam 30 segundos para terminar o jogo: a seleção japonesa foi toda para o ataque para uma cobrança de escanteio. Porém, Courtois interceptou o cruzamento e ligou o ataque rapidamente. A jogada pegou a defesa japonesa completamente desarrumada. Chadli recebeu sozinho dentro da área e marcou o gol que levou a equipe europeia para as quartas de final.

Com o apito final, os japoneses, que chegaram perto da classificação em boa parte do segundo tempo, “desabaram” no gramado, incrédulos.

Agência Brasil

Brasil vence o México por 2 a 0 e segue para as quartas

14:010 comments
MUN53-170. SAMARA (RUSIA), 02/07/2018.- El defensa mexicano Miguel Layún (c) y el delantero brasileño Neymar (d) durante el partido Brasil-México, de octavos de final del Mundial de Fútbol de Rusia 2018, en el Samara Arena de Samara, Rusia, hoy 2 de julio de 2018. EFE/Sebastião Moreira [ATENCIÓN EDITORES: Sólo Uso editorial. Prohibido su uso en referencia con entidad comercial alguna. Prohibido su uso en alertas, descargas o mensajería multimedia en móviles. Las imágenes deberán aparecer como fotografías congeladas y no podrán emular la acción del juego mediante secuencias o fotomontajes. Ninguna imagen publicada podrá ser alterada, mediante texto o imagen superpuesta, en el caso de que (a) intencionalmente oculte o elimine el logotipo de un patrocinador o (b) añada y/o cubra la identificación comercial de terceras partes que no esté oficialmente asociada con la Copa Mundial de la FIFA.]

A seleção brasileira encontrou um adversário difícil e ousado, mas venceu o México por 2 a 0 e avançou às quartas de final da Copa do Mundo. Neymar abriu o placar e Firmino, já nos minutos finais, garantiu a classificação. O Brasil espera o vencedor de Bélgica e Japão, que se enfrentam ainda hoje, em Rostov.

Foi a partida mais dura da seleção brasileira até agora. O México não esperou o Brasil; começou o jogo pressionando, marcando o Brasil na frente e dificultando a saída de bola. O sistema defensivo brasileiro, no entanto, fez uma partida segura e, apesar dos 30 minutos iniciais de pressão, a bola quase não chegou ao goleiro Alisson.

A partida marcou ainda o despertar de Willian. O meio campista fazia uma Copa apagada até o final do primeiro tempo de hoje. Na segunda etapa, finalmente fez o que se esperava dele. Com jogadas em velocidade pela direita e cortando para o meio, Willian abriu a defesa mexicana e participou do primeiro gol, dando a assistência para Neymar abrir o placar.

 EFE/Sebastião Moreira/direitos reservados/Agência Brasil

O jogo

O começo do jogo mostrou um México mais ofensivo, mais presente na área brasileira. O time mexicano marcava a saída de bola do Brasil na origem, dificultando o trabalho dos armadores das jogadas da seleção brasileira. O time do técnico Juan Carlos Osorio começou a partida mais ofensivo e perigoso; e o Brasil perdia a bola com facilidade. O México cercava a área brasileira mas o goleiro Alisson trabalhou pouco. Os chutes e jogadas próximas ao gol eram neutralizados pela defesa brasileira.

Aos 24 minutos, o Brasil finalmente entrou na área com perigo. Neymar entrou na área pelo lado esquerdo e tentou cruzar para o meio, mas Ochoa afastou parcialmente. O Brasil tentou outra finalização em sequência, com Philippe Coutinho, mas a bola subiu demais.

Após esse ataque, o Brasil voltou à área mexicana com Coutinho e Gabriel Jesus. Os dois tabelaram, Gabriel Jesus bateu para o gol, mas Ochoa espalmou. A partir dos 30 minutos, a seleção brasileira ficou mais solta no jogo, mas o México estava bem armado na defesa e continuava controlando a partida.

Segundo tempo começa com gol

O Brasil começou o segundo tempo mais perigoso. Aos dois minutos, Coutinho tabelou com Neymar e bateu forte para o gol; Ochoa defendeu. Aos cinco, o Brasil chega ao gol, com Neymar. Ele começou a jogada na entrada da área, deu um toque de calcanhar para Willian, que entrou pela esquerda e cruzou rasteiro. Neymar se jogou e empurrou a bola para o fundo do gol.

O Brasil quase ampliou aos 13 minutos, com Paulinho. O volante recebeu na entrada da área e bateu para o gol, mas Ochoa espalmou. Depois do gol, o Brasil melhorou no jogo, se soltando mais com Neymar e, principalmente, com Willian. O camisa 19 do Brasil começava a se soltar no jogo.

Mesmo melhor do que no primeiro tempo e na frente do placar, o jogo era difícil para o Brasil. Por várias vezes a defesa não conseguia sair jogando e precisava afastar com chutões. O México avançava e o Brasil, recuado, esperava a oportunidade para os contra-ataques. E aos 42 minutos, o Brasil teve a oportunidade que queria. Em contra-ataque rápido, Neymar invadiu a área pela esquerda e cruzou rasteiro para Firmino, que havia acabado de entrar. O atacante só precisou escorar para o fundo das redes e fazer a torcida respirar aliviada.

O México volta para casa como sempre: nas oitavas de final. É a sétima vez seguida que o time mexicano é eliminado nesta fase. Em 2018, chocou o mundo ao vencer a Alemanha na partida de estreia.

Pênaltis classificam Rússia e Croácia para as quartas de final da Copa

09:020 comments
Copa 2018: Croácia e Dinamarca. Luka Modric, da Croácia, marca pênalti para a equipe.

As seleções da Rússia e da Croácia estão nas quartas de final da Copa do Mundo. A classificação veio por meio de cobranças de pênaltis, após empates no tempo normal e na prorrogação. A passagem da Rússia para a próxima fase,no Estádio Luzhniki, em Moscou, foi heroica. A seleção anfitriã montou um forte esquema defensivo e anulou o ataque da Espanha, uma das seleções favoritas para conquistar a Copa.

O gol espanhol aconteceu aos 11 minutos do primeiro tempo. Em uma falta cobrada pela direita, a bola bateu no zagueiro Ignashevich e entrou no gol de Akinfeev, fazendo 1 a 0 para a equipe espanhola. O empate viria aos 40 minutos, em cobrança de pênalti cometido por Piqué, que colocou o braço na bola em um cruzamento na área. Dzyuba cobrou no canto esquerdo de De Gea, fazendo 1 a 1 no placar.

Copa 2018: Croácia e Dinamarca. Luka Modric, da Croácia, marca pênalti para a equipe.

O jogo terminou no primeiro tempo, com a seleção russa mantendo o seu forte esquema defensivo, impedindo que o ataque da Espanha chegasse ao gol de Akinfeev. As duas equipes voltaram para o segundo tempo com a mesma postura de jogo: a Espanha atacava e a Rússia defendia. Assim permaneceu durante os dois tempos da prorrogação.

A decisão então foi para a cobrança de pênaltis. Os jogadores russos foram mais eficientes, acertando as suas cobranças. Os espanhóis, no entanto, erraram duas batidas, uma com Kobe, defendida por Akinfeev, e outra com Aspas, que chutou para fora. Com a classificação, os jogadores russos se abraçavam no gramado e a festa dos torcedores tomava conta das arquibancadas do Estádio Luzhniki.

Aos jogadores espanhóis só restou cumprimentar os colegas russos. O zagueiro Sérgio Ramos chorava no centro do campo, inconformado pela eliminação na Copa.

Croácia e Dinamarca

As seleções da Croácia e Dinamarca tiveram de ir para a prorrogação, após empate em 1 a 1 no tempo normal da partida, na segunda prorrogação na Copa para decidir a classificação para as quartas de final. O empata, no entanto, permaneceu no placar e foi preciso a cobrança de pênalti.

A classificação da Croácia para as quartas de final, aconteceu com Rakitic que colocou a bola no fundo das redes da Dinamarca, para a alegria dos torcedores croatas presentes no Estádio Nizhny Novgorod, depois de vários pênaltis perdidos pelos cobradores das duas seleções.

A Croácia foi uma das seleções com melhores campanhas na fase de grupo. A equipe dirigida pelo treinador Zlatko Dalic venceu os seus três jogos e se classificou em primeiro lugar na sua chave formada pela Argentina, Islândia e Nigéria.

Agência Brasil

Messi e Cristiano Ronaldo estão fora da Copa do Mundo

09:000 comments
Cristiano Ronaldo comemora seu terceiro gol contra a Espanha. SERGEI GRITS AP

Os dois melhores jogadores do mundo, Cristiano Ronaldo e Lionel Messi deram adeus ao mundial no sábado.

Cristiano Ronaldo comemora seu terceiro gol contra a Espanha. SERGEI GRITS AP

Argentina e Portugal foram eliminados nas oitavas de final na primeira rodada da segunda fase do Mundial.

A Argentina foi derrotada pela França por 4×3 num jogo que apresentou ao mundo um jovem de 19 anos que marcou dois gols para os franceses além de sofrer uma penalidade máxima, chamado MBAPPE.

Griezman de penalty fez 1×0 para a França mas ainda no primeiro tempo Di Maria empatou para a Argentina. Aos 3 minutos do segundo tempo, Mercado colocou a Argentina em vantagem. Pavard empatou para a França e

Mbappe marcou mais dois gols em 4 minutos, aos 19 e 23 minutos.

A Argentina descontou já nos acréscimos com Aguero, mas não tinha mais tempo. Final França 4 Argentina 3.

No segundo jogo o atacante Edinson Cavani foi o craque da partida. Fez o primeiro logo aos 7 minutos do primeiro tempo.

Pepe empatou para Portugal aos 10 do segundo tempo. Cavani voltou a colocar o Uruguai em vantagem aos 17 minutos e mais tarde contundido teve que ser substituído. O Uruguai aguentou a pressão portuguêsa e venceu o jogo por 2×1.

França e Uruguai passaram para as quartas de final e se enfrentam na próxima sexta feira, às 11 horas da manhã, em Nizhny Novgorod.

Copa do Mundo: começam neste sábado os jogos das oitavas de final

29/06/2018 09:150 comments
Copa 2018: Argentina e Nigéria. Lionel Messi e companheiros, da Argentina, comemoram o segundo gol da equipe.

A Copa do Mundo dá sua primeira parada. Esta sexta-feira é de folga geral. Os jogos recomeçam no sábado com o início das oitavas de final.

Serão dois jogos por dia até terça feira, sendo um às 11 horas e outro às 3 da tarde, ambos pelo horário de Brasília.

Empate nos 90 minutos leva o jogo para uma prorrogação de 30 minutos e se ainda persistir o empate a decisão será pelos tiros livres da marca do penalty sendo uma série de cinco cobranças para cada seleção e de forma alternada.

Se não decidir serão cobradas tantas séries de apenas uma penalidade para cada seleção possa tentar desempatar, havendo desempate está decidida a colocação.

Sábado, 30 de junho jogam às 11 horas – França e Argentina, em Kazan.

15 horas – Uruguai e Portugal, em Sochi.

Domingo, 1º de julho às 11 horas – Espanha e Rússia, em Moscou.

15 horas – Croácia e Dinamarca, em Nizhny Novgorod.

Segunda, 2 de julho às 11 horas – Brasil e México, em Samara.

15 horas – Bélgica e Japão, em Rostov-on-Don

Terça, 3 de julho às 11 horas – Suécia e Suiça, em Saint Petersburg
15 horas – Colômbia e Inglaterra, em Moscou

Copa 2018: até agora foram realizados 48 jogos e marcados 122 gols

09:130 comments
Copa 2018: até agora foram realizados 48 jogos e marcados 122 gols
  • Na fase de grupos foram realizados 48 jogos e marcados 122 gols. A média de 2,5 por jogo.
  • Aconteceu o gol de 2.500 de todas as Copas : Fakhereddine Ben  Youssef, Tunisia. Público: 2.178.894 espectadores. A média de público: 45.394 espectadores por jogo
  • Foram apenas 3 cartões vemelhos , mas 158 cartões amarelos. Os  jogos com mais gols: Belgica 5×2 Tunísia, Inglaterra 6×1 Panamá.
  • Jogos com maior diferença de gols: Rússia 5×0 Aábia Saudita e Inglaterra 6×1 Panamá. Jogo com mais cartões: Bélgica e Panamá, foram 8 cartões.
  • Os artilheiros até agora: 

1. Harry Kane (Inglaterra) com 5.
2. Romelu Lukaku (Bélgica) e Cristiano Ronaldo (Portugal) com 4.

Os artilheiros do Brasil:

Philippe Coutinho com 2.
Neymar, Paulinho e Thiago Silva com 1.

Jogos do Brasil:

1×1 Suiça
2×0 Costa Rica
2×0 Sérvia

– Uruguai, Croácia e Bélgica foram as 3 seleções que ganharam os 3 jogos que disputaram. Egito e Panamá as únicas que perderam os 3 jogos.

– A melhor campanha foi da Bélgica com 3 vitórias e 7 gols de saldo. A segunda foi da Croácia com 9 pontos e 6 gols de saldo.

– Uruguai em terceiro com 9 pontos ganhos e saldo de 5 gols. O Brasil ficou com a quarta melhor campanha com 7 pontos e 4 gols de saldo.

Colômbia vence Senegal por 1 x 0 e se classifica para as oitavas

28/06/2018 17:030 comments
Colômbia vence Senegal por 1 x 0 e se classifica para as oitavas

A Colômbia venceu o Senegal hoje (28) por 1 x 0 e garantiu sua vaga nas oitavas de final da Copa do Mundo. A derrota representou a eliminação do time africano, que terminou a primeira fase com o mesmo número de pontos do Japão, mas, por ter mais cartões amarelos, acabou fora da Copa.

O número de cartões recebidos é um dos critérios de desempate, depois de saldo de gols, gols marcados e confronto direto. Japão e Senegal empataram em todos os critérios antes dos cartões.

Senegal é o time africano que mostrou mais qualidade e chances de avançar na Copa da Rússia. Hoje, o empate classificava os africanos e eles começaram melhor o jogo. No entanto, diminuíram o ritmo no segundo tempo e deram chances a uma Colômbia desorganizada, mas com vontade de vencer.

A Colômbia pouco fez durante os 90 minutos. James Rodríguez, maestro do time, saiu aos 29 minutos com uma lesão. O time perdia o meio de campo para os africanos e Falcão Garcia, centroavante do time, pouco aparecia. Cuadrado, a principal válvula de escape do time colombiano, não estava em um bom dia. Errava dribles e passes e cedeu muitos contra-ataques ao adversário.

A Colômbia aproveitava a redução de ritmo de Senegal no segundo tempo e ia ao ataque. E o herói do jogo foi Mina. O zagueiro, que já havia marcado de cabeça contra a Polônia, repetiu o repertório e leva o time às oitavas de final.

Como foi o jogo

Senegal começou melhor a partida, dominando as ações e indo ao ataque. A Colômbia se assemelhava ao  time que perdeu para o Japão na primeira rodada, e não ao que venceu a Polônia por 3 x 0. Aos 16 minutos, Cuadrado perdeu a bola no meio de campo, Mané puxou o contra-ataque e foi derrubado na área. O árbitro marcou o pênalti para o Senegal, mas, após consultar o vídeo, voltou atrás. Davinson Sánchez havia tocado a bola antes de atingir o senegalês.

Senegal tinha mais a bola e ameaçava com jogadas de velocidade. A Colômbia exibia dificuldades em conduzir a bola ao ataque e esbarrava na marcação senegalesa.

Aos colombianos restava as jogadas de bola parada, quando eles chegaram com perigo duas vezes no primeiro tempo. Para complicar mais a situação da Colômbia, James Rodríguez foi substituído aos 29 minutos, aparentemente após voltar a sentir uma lesão que já o persegue desde antes da Copa.

No segundo tempo, a Colômbia começou mais ofensiva e passou a rondar mais a área do goleiro N’Diaye. O time sul-americano ainda errava muitos passes e dribles. Cuadrado, a principal arma ofensiva na ligação entre meio-campo e ataque, não estava bem no jogo e perdia muitas bolas. Mas a Colômbia crescia na partida.

Gol de cabeça

E aos 28 minutos, a Colômbia abriu o placar em uma cobrança de bola parada. Cuadrado cobrou escanteio e o zagueiro Mina subiu mais alto e mandou de cabeça para o gol: 1 x 0. Foi o segundo gol do zagueiro em jogada de escanteio nesta Copa.

Imediatamente após o gol, Senegal tentou responder e quase empatou, mas o goleiro Ospina defendeu o chute de Niang. Os africanos estavam sonolentos na partida, acomodados com o empate. Após sofrer o gol, partiram para o ataque.

O jogo começava a ficar dramático para Senegal, que se via eliminado com a derrota, uma vez que o Japão também perdia por 1 x 0 para a Polônia no outro jogo, mas superava os africanos nos critérios de desempate.

Com isso, a Colômbia termina em primeiro no grupo H, com 6 pontos. O Japão, com 4 pontos, fica em segundo e também está nas oitavas de final.

A Colômbia enfrentará o segundo colocado do grupo G e os japoneses jogarão com o primeiro colocado. O grupo G já tem definidos os classificados, Bélgica e Inglaterra. Ambos os times jogam às 15h desta quinta-feira para definir quem será o primeiro colocado do grupo.

Veja os 16 países classificados para as oitavas de final

1  Uruguai

2  Rússia

3  Espanha

4 Portugal

5 França

6 Dinamarca

7 Croácia

8 Brasil

9 Argentina

10 México

11 Suíça

12 Suécia

13 Inglaterra

14 Bélgica

15 Colômbia

16 Japão

Agência Brasil

Brasil vence Sérvia por 2 a 0 e pega o México nas oitavas

10:370 comments
Copa 2018: Brasil e Sérvia. Thiago Silva, do Brasil, marca o segundo gol da equipe.

Em sua melhor atuação na Copa, até agora, a seleção brasileira venceu a Sérvia por 2 x 0 em Moscou. Com a vantagem do empate para se classificar, o Brasil teve paciência para tocar a bola, arriscar pouco e não ceder contra-ataques ao adversário. A defesa brasileira saiu-se bem contra os atacantes sérvios que, embora mais altos e fortes, tiveram poucas chances de gol.

Foi uma vitória sem sustos, em que o “jogo seguro” prevaleceu sobre o “jogo bonito”. Com gols de Paulinho e Thiago Silva, o Brasil soube se defender bem e aproveitar as falhas da defesa sérvia.

Na entrevista após a partida, Thiago Silva afirmou que a seleção teve paciência e aplicação durante o jogo e “soube sofrer”.

Copa 2018: Brasil e Sérvia. Thiago Silva, do Brasil, marca o segundo gol da equipe.

“Desde o primeiro jogo até aqui, tivemos dificuldades em alguns momentos. O mais importante foi que a equipe soube sofrer. O outro lado também tem qualidades.” O Brasil não foi para cima da Sérvia, buscando o gol o mais rápido possível, como alguns poderiam esperar. Neymar usou pouco seu repertório de dribles e fez um jogo mais voltado para o coletivo.

O jogo

Aos 7 minutos do primeiro tempo, o lateral Marcelo sentiu uma lesão e pediu para ser substituído. O lateral é um dos líderes do time em campo e lamentou muito a saída precoce do jogo. Com Felipe Luís em seu lugar, o Brasil continuou jogando muito pelo lado esquerdo. Neymar jogava próximo do lateral substituto, trocando muitos passes.

A seleção abusou dos passes para o lado e inversões de jogo. Com o empate a seu favor, a seleção esperava a marcação sérvia abrir espaços naturalmente. Enquanto isso não acontecia, o Brasil trocava passes pacientemente de um lado para o outro. Essa postura da seleção chegou a irritar a torcida, que, em alguns momentos, vaiou a falta de objetividade do time. No primeiro tempo, foram 255 passes do time brasileiro contra 138 dos sérvios.

A Sérvia apostava em jogadas pelo alto com os atacantes aproveitando a vantagem da boa estatur para escorar bolas para os que vinham de trás. Entretanto, eles erraram muitos passes, principalmente na entrada da área brasileira. As jogadas mais perigosas do time europeu eram em cobranças de escanteio, mas o goleiro Alisson neutralizava as bolas aéreas com um soco.

Aos 24 minutos, finalmente o Brasil chegou com perigo à área. Neymar entrou tabelando com Gabriel Jesus e bateu cruzado, mas Stojkovic fez a defesa. Aos 29 minutos, outra boa chance: Neymar aproveitou que a defesa da Sérvia estava adiantada e deu um bom passe para Gabriel Jesus. Sem impedimento no lance, este entrou na área e bateu para o gol, mas a defesa cortou para escanteio.

Aos 35 minutos, o Brasil abriu o placar. Philippe Coutinho recebeu na intermediária do ataque e viu Paulinho entrando pela defesa com velocidade. Coutinho fez um bom passe por cima e encontrou o volante brasileiro, que deu um toque sutil na saída do goleiro. O gol foi no melhor estilo da seleção que Tite comandou nas eliminatórias, com Paulinho participando do ataque como elemento surpresa.

Após o gol, a Sérvia tentou ter mais posse de bola, enquanto o Brasil continuou trocando passes de um lado para o outro, com calma.

Segundo tempo

Aos 10 minutos, a Sérvia assustou a defesa brasileira. O jogador de número  22 cruzou na área e Miranda afastou com um chute para trás, por cima do próprio gol.

Na cobrança de escanteio, o Brasil conseguiu roubar a bola e sair em velocidade no contra-ataque. Coutinho tocou para Neymar, que entrou na área e chutou, mas o goleiro defendeu. Foi uma das poucas jogadas de contra-ataque em velocidade do Brasil no jogo.

Aos 15 minutos, quase o empate sérvio. Após cruzamento à meia altura na área, o goleiro Alisson socou mal a bola, em cima de Mitrovic. A bola bateu no centroavante e só não entrou porque Thiago Silva salvou. O lance animou a Sérvia, que começou a chegar com perigo na área pela primeira vez com consistência. Aos 19 minutos, Mitrovic aproveitou um bom cruzamento pela direita e cabeceou firme, mas no meio do gol. Alisson defendeu com tranquilidade.

Quando a torcida sérvia se animava nas arquibancadas, o Brasil marcou o segundo gol. E na especialidade do adversário. Em cobrança de escanteio, Miranda neutralizou o marcador e Thiago Silva subiu para ampliar. O segundo gol deu mais tranquilidade aos brasileiros e deixou o time sérvio mais desajustado na defesa. Com isso, ofereceu mais espaços para o toque de bola brasileiro, que continuava paciente. Nos últimos minutos, com a Sérvia já abatida em campo, o Brasil teve  chance de ampliar o placar duas vezes, ambas com Neymar, mas o camisa 10 parou no goleiro Stojkovic.

Oitavas de final

Com a vítória de hoje e o empate entre Costa Rica e Suíça, o Brasil termina a fase de grupos em primeiro lugar e enfrenta o México nas oitavas de final. A partida entre brasileiros e mexicanos será na próxima segunda-feira (2), às 11h, em Samara.

Primeira colocada no F, a Suécia enfrentará a Suíça, segunda colocada no Grupo E, do Brasil, também no sábado. O jogo será às 11h, em São Petersburgo.

Agência Brasil