Libertadores: Decisivo, Michel Bastos entra, marca e garante vantagem tricolor

12/05/2016 13:360 comments
Libertadores: Decisivo, Michel Bastos entra, marca e garante vantagem tricolor

bambiCom mais um recorde de público no futebol brasileiro – mais de 61 mil torcedores nas arquibancadas -, o Tricolor largou na frente em busca de uma vaga na semifinal da Libertadores da América de 2016! E para derrotar o Atlético-MG na noite desta quarta-feira (11), no Morumbi, o São Paulo contou com mais uma exibição decisiva de Michel Bastos: o camisa 7 saiu do banco de reservas e marcou o gol que garantiu a vitória são-paulina por 1 a 0. Na segunda etapa, pelo alto, o meia-atacante balançou as redes e deu ao Tricolor a vantagem para o duelo de volta das quartas de final, que está agendado para a próxima semana.

Com o importante resultado na capital paulista, o São Paulo ganhou o direito de atuar pelo empate para seguir adiante na competição sul-americana. Em caso de derrota por 1 a 0, a decisão será nas penalidades máximas. Mesmo em caso de triunfo dos mineiros por 2 a 1, 3 a 2 e/ou 4 x 3, a vaga será dos paulistas. Antes de visitar os atleticanos, porém, o Tricolor terá a estreia no Campeonato Brasileiro pela frente: no final de semana, a equipe visitará o Botafogo pela rodada de abertura do torneio nacional.

Para encarar os atleticanos, o técnico Edgardo Bauza não pôde contar com o zagueiro Breno (tendinite no joelho direito), o lateral-esquerdo Carlinhos (lesão muscular de grau três no músculo posterior da coxa esquerda), o meia-atacante Daniel (trauma no joelho direito), o volante João Schmidt (entorse no joelho direito) e o atacante Rogério (aprimora forma física após se recuperar de lesão), além de Centurión (suspenso). O versátil Michel Bastos, que se recuperou de lesão muscular, não tinha condições para atuar os 90 minutos e portanto ficou como opção no banco de suplentes.

Dessa forma, o time são-paulino foi escalado com Denis; Bruno, Maicon, Rodrigo Caio e Mena; Hudson, Thiago Mendes e Paulo Henrique Ganso; Wesley, Kelvin e Calleri. Já os mineiros começaram a partida com Victor; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Erazo e Douglas Santos; Rafael Carioca, Leandro Donizete e Júnior Urso; Patric, Robinho e Lucas Pratto. Após o apito inicial do árbitro, o São Paulo começou com a bola e buscou as ações ofensivas, enquanto o Atlético-MG fez marcação no campo de defesa e tratou de ocupar os espaços.

A partida começou ‘quente’, com entradas mais fortes e alguns desentendimentos entre os atletas. O primeiro tempo foi disputado, com muita vontade de ambas as equipes, mas poucas chances claras de gol. Antes do intervalo, os anfitriões tiveram apenas uma oportunidade para balançar as redes: aos oito minutos, Kelvin cruzou da direita, a bola desviou na cabeça de Douglas Santos e Ganso cabeceou com perigo, por cima. O time são-paulino até tentava pressionar, mas a marcação justa do adversário dificultava as investidas.

Já os visitantes, com uma postura mais defensiva e cadenciada para tentar explorar os contragolpes, chegaram apenas uma vez ao gol de Denis. Aos 34 minutos, Patric chutou cruzado e Lucas Pratto chegou de carrinho e empurrou para a meta. No entanto, corretamente, a arbitragem invalidou o lance: o argentino estava impedido. Na reta final da primeira etapa, os rivais ainda sofreram uma baixa: com uma lesão muscular, o atacante Robinho teve que ser substituído e deu lugar ao companheiro Hyuri.

Na volta para o segundo tempo, os atleticanos deixaram o campo de defesa e se aventuraram mais vezes na frente. Ainda assim, o Tricolor foi mais agudo e criou boas chances. Aos 14 minutos, Ganso cobrou escanteio e Maicon desviou de cabeça. Rodrigo Caio quase tocou na bola. Pouco depois, aos 16, Ganso cobrou falta na área e Calleri cabeceou com perigo. Para render novas opções ofensivas, já que a equipe só conseguia assustar pelo alto, Patón promoveu a entrada de Michel Bastos no lugar de Kelvin aos 18 minutos.

No primeiro lance do camisa 7, o São Paulo passou perto de tirar o zero do placar aos 21. Em rápido contra-ataque, Michel Bastos foi acionado pela esquerda e chutou forte, por cima. Dois minutos depois, para manter a pressão e ter mais um atacante em campo, Bauza apostou na entrada de Wilder na vaga de Thiago Mendes. A terceira alteração são-paulina também teve que ser em sequência, pois Maicon sentiu um incômodo e teve que deixar o campo: o uruguaio Diego Lugano então foi para o jogo.

E foi assim, mais ofensivo e explorando as bolas áreas, que o Tricolor conseguiu largar na frente. Aos 33 minutos, Wesley cobrou falta pela esquerda e colocou a bola na cabeça de Michel Bastos, que testou com categoria e balançou as redes! 1 a 0! E muita festa dos jogadores. Na comemoração, alguns torcedores caíram no vão entre o gramado e arquibancada, mas prontamente foram socorridos e receberam atendimento médico.

Em desvantagem no marcador, os visitantes trataram de buscar o empate e atacar o São Paulo. No entanto, bem postado, o time são-paulino deu conta do recado e conteve o ímpeto dos atleticanos e soube levar o importante resultado para o confronto de volta. Na próxima semana, em Belo Horizonte, paulistas e mineiros ficarão frente a frente novamente para definir um dos semifinalistas da Libertadores da América de 2016.

Copa do Brasil: Atlético abre dois gols e cede empatem no fim

13:320 comments
Copa do Brasil: Atlético abre dois gols e cede empatem no fim

40532_14630200710_thumb-5-3O Rubro-Negro saiu na frente e chegou a abrir 2 a 0 na Arena Pantanal, em Cuiabá (MT), na noite desta quarta-feira (11). Mas o Dom Bosco (MT) buscou o empate no final e decretou o 2 a 2 no jogo de ida da segunda fase da Copa do Brasil.

O duelo de volta entre os clubes acontece na próxima quarta-feira (18), às 19h30, em Curitiba. O vencedor encara, na terceira fase, o classificado de Chapecoense x Paraná Clube.

Já no próximo sábado (14), o Rubro-Negro estreia no Campeonato Brasileiro 2016. No Allianz Parque, em São Paulo, o Atlético Paranaense encara o Palmeiras, às 16h.

Vinícius abre o placar com um golaço

Em casa, foi o Dom Bosco quem criou a primeira chance. Natan tocou em profundidade para Pretinho. Cara a cara com Weverton, ele finalizou à direita do gol.

O Rubro-Negro tinha mais posse de bola, mas encontrava uma forte marcação do clube de Cuiabá.

Aos sete, o time do Mato Grosso criou mais uma chance. Fernandinho pegou a sobra na área, pela esquerda e finalizou forte. A bola desviou na zaga atleticana e Weverton tocou para escanteio.

Aos 13 minutos, o Furacão chegou bem ao ataque. Após jogada pela direita com Eduardo, Marcos Guilherme pegou a sobra e bateu de longe. Jefferson, bem colocado, praticou a defesa.

O Dom Bosco seguiu com a forte marcação, criando dificuldades ao Rubro-Negro. Aos 25, Crysan fez bom cruzamento da direita. Na segunda trave, André Lima ajeitou de cabeça para trás para Vinícius, mas a zaga fez o corte.

Cinco minutos depois, o Atlético Paranaense abriu o placar. Vinícius recebeu bom passe na entrada da área e bateu colocado, no canto esquerdo alto do goleiro do Dom Bosco! 1 a 0!

Aos 35, o Furacão criou a chance para marcar o segundo. André Lima encontrou Marcos Guilherme na entrada da área. O camisa 10 bateu colocado, por cima do gol. Aos 40 minutos, mais uma oportunidade. Eduardo cruzou da direita. Crysan mergulhou e tocou de cabeça. Jefferson defendeu no canto esquerdo.

A última grande chance da primeira etapa foi do Dom Bosco. Robinho cobrou falta da direita direto para o gol. Weverton espalmou e, quase na pequena área, Amarildo completou por cima.

André Lima marca mais um, mas Dom Bosco empata

No intervalo, Paulo Autuori promoveu uma mudança no Atlético Paranaense: Anderson Lopes entrou no lugar de Crysan.

Aos sete minutos, veio a primeira chance atleticana, em cobrança de falta de Hernani. A bola passou muito perto do gol, à direita, na rede pelo lado de fora.

Dois minutos depois, o Rubro-Negro criou mais uma grande oportunidade. Vinícius pegou a sobra na entrada da área do time do Mato Grosso e finalizou com força, rasteiro. A bola passou à direita.

O Furacão pressionava e, aos 12 minutos, quase marcou novamente. Vinícius cobrou escanteio. Hernani tocou de cabeça e o goleiro observou a bola passar perto, à esquerda. Um minuto depois, Marcos Guilherme saiu cara a cara com o goleiro Jefferson e finalizou, mas o arqueiro praticou a defesa.

Por outro lado, o Dom Bosco seguia em busca do empate. Aos 21, Fernandinho recebeu pela esquerda, trouxe para o meio e bateu colocado. Weverton defendeu no canto esquerdo. Três minutos depois, Fernandinho apareceu novamente. Ele chutou forte, de longe. A bola explodiu na trave direita e saiu.

O Atlético Paranaense respondeu aos 29. Pará cobrou escanteio. Cleberson se livrou da marcação e apareceu livre na marca do pênalti para tocar de cabeça. Jefferson evitou o gol.

Aos 31 minutos, saiu segundo gol. Vinícius fez boa jogada, invadiu a área pela esquerda e cruzou. André Lima, na segunda trave, completou de peito! 2 a 0.

O Dom Bosco, no entanto, buscou o empate. Aos 40, Naian recebeu em profundidade e tocou na saída de Weverton. 2×1. No minuto seguinte, Fernandinho foi quem recebeu livre e empatou. 2 a 2.

Ficha técnica: Dom Bosco (MT) 2×2 Atlético Paranaense

Copa do Brasil 2016: Segunda fase – Jogo de ida

Data: 11/05/2016 [quarta-feira]

Horário: 21h30 [20h30 no horário local]

Local: Arena Pantanal, em Cuiabá (MT)

Árbitro: Eduardo Tomaz de Aquino Valadão (GO, CBF-1)

Auxiliares: Márcio Soares Maciel (GO, CBF-1) e Ygor Monteiro de Miranda (GO, CBF-2)

Dom Bosco: Jefferson; João Lennon, Jean, Amarildo e Wilson; Natan, Kiko, Profeta (Igor, aos 33′ do 2º tempo) e Robinho (Felipe Borges, aos 43′ do 2º tempo); Pretinho (Naian, aos 22′ do 2º tempo) e Fernandinho.

Técnico: Giani de Freitas

Gols: Naian, aos 40′ do 2º tempo; Fernandinho, aos 41′ do 2º tempo

Cartões amarelos: Kiko (34′ do 2º tempo)

Cartões vermelhos: –

Atlético Paranaense: Weverton; Eduardo (Bruno Pereirinha, aos 25′ do 2º tempo), Vilches, Cleberson e Pará; Barrientos e Hernani (Otávio, aos 35′ do 2º tempo); Marcos Guilherme, Vinícius e Crysan (Anderson Lopes, no intervalo); André Lima.

Técnico: Paulo Autuori

Gols: Vinícius, aos 30′ do 1º tempo; André Lima, aos 31′ do 2º tempo

Coxa perde para o Juventude em Caxias do Sul

13:300 comments
Coxa perde para o Juventude em Caxias do Sul
img_6698Na noite desta quarta-feira (11), o elenco coxa- branca voltou a campo após a perda do título estadual para o Atlético Paranaense. Poupando boa parte de seus atletas, o Coritiba não conseguiu segurar o Juventude, em Caxias do Sul, e acabou perdendo por 1 a 0. Com o resultado, a equipe coxa-branca precisa vencer por dois gols de diferença no jogo de volta para garantir a classificação para a próxima fase.

A novidade da partida foi a estreia do venezuelano Cesar Gonzalez com a camisa coxa-branca. Junto com ele, entraram em campo os jogadores Elisson, Dodô, Rafael Marques, que estampou a braçadeira de capitão do time, Juninho, Cesar Benitez, João Paulo, Ícaro, Thiago Lopez, Negueba e Leandro.

Com um clima frio, gramado molhado, e poucos torcedores das arquibancadas, o time da casa abriu o placar com gol de Wallacer. Com a desvantagem na bagagem, o Coxa volta para casa focado em reverter o resultado na partida de volta, no Couto Pereira. O jogo será no próximo dia 19.

Furacão faz 2 a 0 no Couto Pereira e garante o título do Campeonato Paranaense 2016

09/05/2016 01:250 comments
Furacão faz 2 a 0 no Couto Pereira e garante o título do Campeonato Paranaense 2016
Cap2Com mais uma vitória sobre o Coritiba, o Atlético Paranaense garantiu o título do Campeonato Estadual de 2016. Após fazer 3 a 0 como mandante, no domingo passado, o Furacão venceu por 2 a 0, no Couto Pereira, e ratificou a conquista. Os gols foram marcados por Walter e Ewandro, ambos no primeiro tempo. Este é o 23º título do Campeonato Paranaense conquistado pelo Rubro-Negro.
O jogo
Precisando reverter a vantagem atleticana conquistada no primeiro confronto, o Coritiba começou a partida no ataque. Logo aos sete minutos, Leandro recebeu dentro da área e bateu para fora. O Furacão respondeu no minuto seguinte, com Walter. O atacante dominou na direita e bateu cruzado, por cima do gol.
O goleiro Weverton apareceu bem em dois lances seguidos. No primeiro, aos 19 minutos, o capitão atleticano defendeu cobrança de falta de Alan Santos. Dois minutos depois, Leandro finalizou a queima roupa e Weverton fez grande defesa.
Mas foi o Furacão quem balançou as redes. Aos 29 minutos, Walter lançou Jadson, na direita. O volante cruzou rasteiro, Ewandro finalizou e Elisson defendeu. Walter pegou o rebote, bateu sem chances e marcou o primeiro.
Explorando bem os contra-ataques, o Rubro-Negro fez mais um aos 50 minutos. Walter recebeu na esquerda, fez ótima jogada e cruzou para Ewandro. Dentro da pequena área, o atacante tocou por baixo das pernas do zagueiro e ampliou a vantagem atleticana.
Com o placar agregado de 5 a 0, o Atlético Paranaense continuou bem postado e aproveitando a posse de bola. O Coritiba não conseguiu diminuir e terminou com o vice-campeonato.
Ficha Técnica: Coritiba 0x2 Atlético Paranaense
Campeonato Paranaense 2016: Final – Jogo de volta
Data: 08/05/2016 [domingo]
Horário: 16h
Local: Estádio Couto Pereira, em Curitiba
Árbitro: Edivaldo Elias da Silva
Auxiliares: Bruno Boschilia e Rafael Trombeta
Público pagante: 19.863
Público total: 22.939
Renda: R$ 912.960,00
Atlético Paranaense: Weverton; Léo (Eduardo, no intervalo), Paulo André, Thiago Heleno e Sidcley; Otávio e Jádson; Nikão, Pablo e Ewandro (Marcos Guilherme, aos 19’ do 2º); Walter (André Lima, aos 5’ do 2º T).
Técnico: Paulo Autuori
Gols: Walter, aos 29’ do 1º tempo; Ewandro, aos 50’ do 1º tempo
Cartões amarelos: Otávio, Nikão, Léo, Weverton
Coritiba: Elisson; Reginaldo (Thiago Lopes, aos 21’ do 2º), Luccas Claro, Juninho e Carlinhos; Alan Santos, João Paulo e Ruy; Leandro (Ortega, aos 15’ do 2º), Negueba (Vinícius, no intervalo) e Kléber.
Técnico: Gilson Kleina
Cartões amarelos: Alan Santos, Vinícius

Santos derrota o Audax e fatura o Paulistão pela quinta vez nos últimos 8 anos

01:100 comments
Santos derrota o Audax e fatura o Paulistão pela quinta vez nos últimos 8 anos

santosUm estádio centenário e uma história vencedora deram ao Santos mais um Campeonato Paulista, o segundo consecutivo, sustentando uma década de hegemonia no Estadual. Após dois jogos, o novato Audax sucumbiu à tradição – e a um lance de gênio do atacante Ricardo Oliveira, autor do gol que garantiu a vitória por 1 a 0, neste domingo, na Vila Belmiro.

Foi o quinto título paulista do Santos conquistado em oito finais consecutivas (desde 2009 o time jogou todas as decisões). A série arrasadora, que só pode ser comparada a Era Pelé (com seis títulos em oito finais), fez com que o clube santista se igualasse ao Palmeiras em títulos estaduais (22 a 22), superando o São Paulo (21) e só atrás do Corinthians (27).

Foi também um prêmio para a Vila Belmiro, o “alçapão” do time, que completa 100 anos em outubro deste ano. O estádio, que recebeu 16 mil pessoas, ajudou (e muito) o Santos no segundo tempo, quando o Audax atacava e pressionava o time do técnico Dorival Júnior, que perdia possibilidades de gols, colocando o título em risco.

Apesar de perder o título que seria inédito, o Audax deixou uma lição: é possível jogar de igual para igual (e até vencer) os grandes de São Paulo com um futebol bonito e um elenco que demanda pouco dinheiro – a folha salarial do time de Osasco é de R$ 350 mil por mês; a do Santos, R$ 4,5 milhões.

O primeiro tempo foi 80% Audax. O time teve domínio de jogo, trocou de passes e finalizou mais. O condutor, Camacho, jogou de uma intermediária a outra e armou o time. Não fosse a trave, a equipe do técnico Fernando Diniz teria aberto o placar no primeiro tempo.

A estratégia de Dorival Júnior não deu certo. Foi um erro escalar o meia Lucas Limas, que, claramente, não tinha condição de jogo. A contusão no tornozelo fez com que o melhor jogador do time fosse uma peça nula dentro de campo.

Até os 25 minutos do primeiro tempo, quando foi substituído, Lucas Lima nem criava e muito menos dava combate. Foi como jogar com 10 contra uma equipe completa. E essa marcação frouxa sem a bola fez com que o Audax se impusesse. A entrada de Paulinho deu ao Santos um homem a mais no primeiro combate.

O time santista, contudo, também tinha suas armas. Uma delas era o contra-ataque. Quando Vitor Bueno lançou Ricardo Oliveira, o atacante ganhou o campo adversário e mostrou porque, aos 36 anos, ainda é convocado para a seleção brasileira. Deu uma caneta no zagueiro e marcou um golaço, aos 44 minutos.

O alçapão explodiu. Fogos do lado de fora, sinalizadores e muita fumaça na arquibancada. O primeiro tempo terminou com um bate-boca entre jogadores dos dois times por causa de uma entrada forte no atacante Gabriel.

Na segunda etapa, ainda que o Audax tenha buscado o empate e Fernando Diniz tenha feito alterações na equipe, como a entrada de mais um atacante, o Santos conseguiu segurar a pressão. Dorival Júnior postou a equipe na defensiva, fechou os espaços e explorou mais os contra-ataques.

Foi uma decisão arriscada, ao passo que o Audax rondava a área do goleiro Vanderlei. A situação do Santos ficou delicada porque Ricardo Oliveira, cansado, deu lugar ao camaronês Joel. Sem seu artilheiro e já sem Lucas Lima, coube a Gabriel liderar o time.

A conquista poderia ter sido mais fácil se o gol de Joel tivesse sido anotado e não anulado pelo bandeirinha e se Ronaldo Mendes não tivesse perdido um gol inacreditável, sozinho, dentro da área, aos 45 minutos.

FICHA TÉCNICA

SANTOS 1 x 0 AUDAX

SANTOS – Vanderlei; Victor Ferraz, David Braz, Gustavo Henrique e Zeca; Thiago Maia, Renato, Vitor Bueno (Ronaldo Mendes) e Lucas Lima (Paulinho); Gabriel e Ricardo Oliveira (Joel). Técnico: Dorival Júnior.

AUDAX – Sidão; Francis (Rodolfo), Yuri, Bruno Silva (Felipe Rodrigues) e Velicka; Camacho, Tchê Tchê e Juninho (Wellington); Mike, Ytalo e Bruno Paulo. Técnico: Fernando Diniz.

GOL – Ricardo Oliveira, aos 44 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS – Victor Ferraz, Thiago Maia, Gabriel e Gustavo Henrique (Santos); Bruno Paulo e Velicka (Audax).

ÁRBITRO – Raphael Claus (Fifa).

RENDA – R$ 934.920,00.

PÚBLICO – 16.018 pagantes.

LOCAL – Estádio da Vila Belmiro, em Santos (SP).

(Com Estadão Conteúdo)

Veja

http://veja.abril.com.br/noticia/esporte/santos-derrota-o-audax-e-fatura-o-paulistao-pela-quinta-vez-nos-ultimos-8-anos

Vasco empata com Botafogo no Maracanã e é bicampeão carioca de forma invicta

01:050 comments
Vasco empata com Botafogo no Maracanã e é bicampeão carioca de forma invicta

VascoO Vasco saiu atrás placar, sofrendo um gol no início do segundo tempo. O resultado levava a decisão para as cobranças de pênalti, pois o Almirante havia vencido o primeiro jogo pelo mesmo placar. Foi aí que apareceu a estgrela de Rafael Vaz. O defensou empatou a partida de cabeça e garantiu o triunfo cruzmaltino no Maracanã.

 

O JOGO

A partida começou de forma eletrizante. Aos dois minutos, Riascos teve a chance de abrir o placar após bom corta-luz de Julio dos Santos. O camisa 9 chutou sem força e Jefferson fez a defesa. No lance seguinte, foi a vez do Botafogo, com Gegê, em chute que Martín Silva defendeu. Assim como no primeiro confronto, o time adversário tentava marcar a saída de bola do Cruzmaltino no início do duelo. Porém, o Almirante conseguia chegar com mais perigo ao ataque, se desvencilhando bem da marcação imposta pelo rival.

Os dois times tentaram chegar em chutes de longa distância. Aos 10, Gegê chutou de fora da área e Martín ficou com a bola. Aos 30, Andrezinho arriscou de longe e a bola foi para fora. Muito pegado, o árbitro mostrou sete cartões amarelos apenas no primeiro tempo. Quatro para o time de General Severiano e três para o Cruzmaltino. Precisando do resultado, o Botafogo foi para o ataque e apareceu com perigo, aos 42, com Bruno Silva acertando forte chute e o goleiro vascaíno fazendo grande intervenção. Na última jogada do primeiro tempo, Nenê cobrou escanteio na cabeça de Jorge Henrique, que mandou pelo lado do gol, aos 46.

O segundo tempo teve o Vasco chegando com perigo, com o zagueiro Rodrigo cobrando falta firme, mas com Jefferson fazendo a defesa no meio do gol, aos três minutos. Na sequência, o Botafogo abriu o placar com Leandrinho, de cabeça, depois de cruzamento de Diego. Não demorou muito para o clube de São Januário buscar o empate. Aos dez, Rafael Vaz, que entrou no lugar de Luan no intervalo, cabeceou para o fundo da rede, aproveitando cruzamento de Nenê em cobrança de falta.

O time adversário se lançou ao ataque o Vasco esperava para sair no contra ataque em velocidade. Luís Ricardo, lateral botafoguense, aos 19, arriscou batida no canto direito do gol defendido por Matín Silva e o uruguaio efetuou outra grande defesa. Aos 23 foi a vez de Gegê chutar com força, para fora. O Botafogo pressionava e o time comandado pelo treinador Jorginho mantinha sua postura em campo. O Gigante apareceu com perigo em drible de Riascos pela esquerda, tirando o zagueiro e tocando para Andrezinho mandar uma bomba, e a defesa interceder. Com cinco minutos de acréscimo, o Vasco se defendeu bem e segurou o placar de 1 a 1, que garantiu o tréfeu para Saõ Januário.

FICHA TÉCNICA – VASCO X BOTAFOGO
Competição: 2º jogo da final do Campeonato Carioca de 2016
Local: Maracanã
Data: 08 de maio de 2016
Horário: 16h (Horário de Brasília)
Público presente: / Pagantes: 60.000 / 53.634
Renda: R$ 2.705.750
Árbitro: Leonardo Cavaleiro
Assistentes: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa e Dibert Pedrosa Moises
Cartões amarelos: Luis Ricardo, Bruno Silva, Salgueiro e Leandrinho (Botafogo) / Rodrigo, Andrezinho, Jorge Henrique, Nenê e Rafael Vaz (Vasco)
Gols: Leandrinho (Botafogo) e Rafael Vaz (Vasco)
VASCO: Martín Silva; Madson, Luan (Rafael Vaz), Rodrigo e Julio Cesar; Marcelo Mattos, Julio dos Santos (Yago Pikachu), Andrezinho e Nenê; Jorge Henrique e Riascos (Diguinho). Técnico: Jorginho.
Botafogo: Jéfferson; Luis Ricardo, Joel Carli, Emerson Silva e Diogo Barbosa (Diego); Bruno Silva, Rodrigo Lindoso, Gegê e Leandrinho (Neilton); Juan Salgueiro e Ribamar. Técnico: Ricardo Gomes.

Inter atropela Juventude, confirma hexa e domínio no RS

01:000 comments
Inter atropela Juventude, confirma hexa e domínio no RS

interO Internacional conquistou nesse domingo o terceiro hexacampeonato estadual de sua história. A equipe se impôs no estádio Beira-Rio e atropelou o Juventude por 3 a 0 para ficar com seu 45º troféu estadual. Os gols de Eduardo Sasha, Paulão e Gustavo Ferrareis foram mais do que suficientes para assegurar o título do Campeonato Gaúcho, já que o clube estava em vantagem por ter vencido por 1 a 0 em Caxias do Sul, no final de semana passado.

O título torna  Argel Fucks o sexto treinador colorado campeão do Gauchão em seis anos. O primeiro gol do título foi anotado aos 14 minutos, após Sasha concluir de cabeça uma cobrança de falta do lateral direito William. Paulão, aos 24 da etapa complementar, subiu mais alto em novo cruzamento de William para anotar o segundo. Gustavo Ferrareis, aos 37, completou um lançamento de Artur para decretar a vitória do Inter.

Com o troféu, o Inter iguala os feitos de times históricos. Entre 1940 e 1945, a equipe conhecida como “Rolo Compressor” conquistou os seis primeiros títulos estaduais consecutivos do clube. Anos mais tarde, o Colorado de Figueroa e Falcão se sagrou octacampeão do Gauchão entre 1969 e 1976.

Após celebrar o título, o Inter voltará aos treinos para estrear no Campeonato Brasileiro. O primeiro adversário da equipe será a Chapecoense, às 18h30 (de Brasília) do próximo domingo, no Beira-Rio. Já o Juventude estreará na Série C do Nacional contra os gaúchos do Ypiranga, no dia 22 desse mês, em Caxias do Sul.

Polícia Militar monta forte esquema de policiamento para o Atletiba deste domingo

07/05/2016 12:250 comments
Curitiba, 04 de Maio de 2016,
Reunião Atletiba 12º BPM,  
Fotos: Cabo Valdemir da Luz.
Curitiba, 04 de Maio de 2016, Reunião Atletiba 12º BPM,   Fotos: Cabo Valdemir da Luz.

Curitiba, 04 de Maio de 2016,
Reunião Atletiba 12º BPM,
Fotos: Cabo Valdemir da Luz.

A Polícia Militar montou um forte esquema de policiamento, com mais de 700 homens, para garantir a segurança dos torcedores que acompanharão o Atletiba deste domingo (08.05), que definirá o campeão paranaense deste ano. Para definir os horários de deslocamento das torcidas e outras questões relacionadas à segurança, foram realizadas reuniões na sede do 12º Batalhão de Polícia Militar (12º BPM).

“Agiremos de forma preventiva. Desde as primeiras horas da manhã vamos acompanhar a movimentação nos terminais de ônibus e deslocamentos das torcidas”, destaca o Comandante do 12º BPM, tenente-coronel Antônio Zanatta Neto. “Tratamos com os representantes dos clubes e das torcidas que a tolerância será zero no que tange as questões de dano ao patrimônio público, de rixa e ou qualquer outro comportamento que coloque em risco a integridade das pessoas que forem assistir a partida. Atuaremos até o encerramento do clássico, patrulhando não só no entorno do estádio, mas também no centro da cidade e nas periferias”, afirmou.

A Delegacia Móvel de Atendimento ao Futebol e Eventos também participará. O delegado Clóvis Galvão Bueno, disse que o objetivo é dar apoio à Polícia Militar na operação. “Há uma maior atenção porque se trata de um espetáculo que envolve emoção e muita rivalidade entre os clubes. Mas o planejamento feito pelo 12º BPM é eficaz e estaremos lá dando apoio a partir das 13 horas”, disse ele.

HORÁRIO DAS TORCIDAS – O esquema de segurança, que iniciará às 11 horas. Na reunião ficou definido que no período da manhã até 13 horas, a torcida do Atlético poderá usar o transporte público nos terminais. A partir das 13h30 é liberado para os torcedores do Coritiba. A Rondas Ostensivas Tático Móvel (ROTAM) do 13º BPM e a Polícia Montada fará a escolta da torcida atleticana, às 14 horas, da sede da Fanáticos para o Couto Pereira e no retorno, após o término do jogo. Já a ROTAM do 20º BPM ficará responsável pela escolta do time do Atlético a partir das 13h45. Também foi acordado entre as torcidas de ambos os times que a Ultras e a Fanáticos poderão entrar no estádio com uma faixa, sete instrumentos e o uniforme das organizadas.

De acordo com tenente-coronel Zanatta, mais de 700 policiais militares farão a segurança na área interna e externa do estádio, além dos 10 pontos de bloqueios nas ruas próximas para evitar tumultos e garantir o acesso dos torcedores. “Não vamos permitir luta corporal, tumultos ou qualquer outro dano durante o jogo. Atuaremos com muita firmeza e determinação, antes da partida e após o encerramento, justamente para coibir situações de violência”, afirmou.

A PM atuará, além do entorno do estádio, nas praças da área central de Curitiba, nos eixos de deslocamentos de torcedores, terminais de ônibus e estações tubo nas proximidades do Couto Pereira. Qualquer ocorrência registrada a até 5 mil metros do local do jogo será encaminhada para a Delegacia Móvel de Atendimento ao Futebol e Eventos.

CUMPRIDAS – Segundo o Diretor da torcida organizada Fanáticos, Gilmar Alves de Lima, as recomendações feitas durante a reunião serão cumpridas. “Sempre divulgamos nas redes sociais e no nosso site como funcionará a escolta e outras questões. Pedimos a colaboração de todos os nossos associados para que não haja confusões”, disse ele. “Solicitamos para que todos os torcedores possam ir ao estádio com o espírito de paz, que fiquem longe de confusões e não excedam com as bebida alcoólicas”, acrescenta o Presidente da Império, Juliano Rodrigues.

“Pedimos aos líderes de torcida que nos auxiliem na identificação das outras torcidas, justamente para que possamos agir de uma maneira melhor. Estaremos monitorando as redes sociais, inclusive com o apoio do Ministério Público e também da Delegacia Móvel de Atendimento ao Futebol e Eventos”, finaliza o tenente-coronel Zanatta.

COMEMORAÇÃO – O time que vencer o campeonato comemorará o título no Couto Pereira, sendo um palco montado no local para a entrega da taça ao campeão. A torcida pertencente ao time perdedor deverá sair primeiro do estádio. A PM reforçará o policiamento na saída para evitar tumultos ou confrontos.

BLOQUEIOSA partir das 12 horas, os seguintes cruzamentos de ruas nas proximidades do estádio estarão bloqueados:

Ubaldino do Amaral com Amâncio Mouro

Mauá com Dr. Muller

Barão de Guaraúna com Augusto Severo

Simão Bolívar com Augusto Severo

Floriano Essenfelder com Alberto Bolliger

Mauá com Itupava

21 de Abril com Floriano Essenfelder

Ubaldino do Amaral com Floriano Essenfelder

Pedro R. de Moura com Augusto Severo

21 de Abril com Itupava.

PARTICIPAÇÃO – O esquema de segurança será coordenado pelo 12º BPM e contará com o apoio do 13º BPM, 20º BPM e 23º BPM, Regimento de Polícia Montada (RPMon), Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTRan), Batalhão de Operações Especiais (BOPE), Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA), Academia Policial Militar do Guatupê, 17º BPM, 22º BPM e da Ação Integrada de Fiscalização Urbana (AIFU) da Polícia Militar. Conta com o apopio, também, da Guarda Municipal, da URBS, Secretaria Municipal de Trânsito, do Juizado Especial Criminal (Jecrim), do Ministério Público, do Poder Judiciário e da Polícia Civil.

CBF fez o lançamento oficial do Brasileirão 2016

06/05/2016 13:430 comments
CBF fez o lançamento oficial do Brasileirão 2016

CBFA bola só rola no próximo dia 14, mas o campeonato mais competitivo do mundo já começou. Cheio de novidades, o Brasileirão 2016 foi lançado oficialmente na noite desta quinta-feira (5), em São Paulo, em evento de gala, que reviveu grandes momentos da história da competição e reuniu personagens marcantes para o torneio.

Diretor de Competições da CBF, Manoel Flores, explica a série de mudanças que têm sido realizadas no Brasileirão desde 2014, com a introdução do protocolo de acesso ao gramado e da imprensa. Em 2015, os protocolos foram ajustados, o nível de exigência aumentou, e todas essas informações passaram a constar no Regulamento Específico do Campeonato Brasileiro da Série A. 

A partir de reuniões e avaliações com emissoras de televisão, agências de notícias internacionais e nacionais, empresas ligadas ao futebol, clubes e jogadores, a CBF concluiu que precisava observar os detalhes para agregar valor a seus campeonatos. E a inédita Festa de Lançamento é apenas uma das novas iniciativas.

– Com esses feedbacks, no segundo semestre de 2014, com a consolidação do formato da Série A, passamos a focar nos detalhes do nosso maior produto, tendo como referências as principais competições do futebol mundial – afirma Flores.

Para este ano, outros itens foram incorporados ao protocolo: utilização de coletes padronizados para a imprensa, criação de zona mista específica para radialistas, credenciamento para prestadores de serviço, dentre outros. 

O objetivo é entregar um campeonato melhor, mais valorizado e, consequentemente, mais atraente para torcedores, patrocinadores e mídias nacional e internacional.

– Nós analisamos os principais campeonatos do mundo, pincelamos o melhor de cada um deles e adequamos à nossa realidade. Assim conseguimos anunciar essas novidades para a edição 2016. Todas elas têm o objetivo de organizarmos um produto melhor e internacionalizar a competição que é a mais disputada e competitiva do mundo – reforça o diretor de Marketing da CBF, Gilberto Ratto.

As novidades, que prometem valorizar ainda mais o Brasileirão, não param por aí. Confira a lista completa:

Festa de Lançamento do Brasileirão, que será realizada sempre na cidade da casa do atual campeão;

Cerimônia de abertura do Brasileirão, na estreia do atual campeão no campeonato;

Álbum oficial do Brasileirão, em parceria com a Panini;

Música tema do Brasileirão;

Patch para o atual campeão da competição;

Retomada da Festa de Encerramento do Brasileirão;

Novo horário para o campeonato: segunda-feira, às 20h.

Grêmio é atropelado pelo Rosario Central e cai nas oitavas da Libertadores

13:410 comments
Grêmio é atropelado pelo Rosario Central e cai nas oitavas da Libertadores

GremioO Grêmio sabia que teria uma tarefa dificílima nesta quinta-feira diante do Rosario Central, na Argentina. Depois de perder por 1 a 0 na ida, em Porto Alegre, precisava reverter a situação no caldeirão do Gigante de Arroyito. Só não contava com um gol do adversário logo no início da partida. A partir daí, o time argentino dominou as ações, foi amplamente superior e atropelou por 3 a 0 para eliminar os brasileiros e se garantir nas quartas de final da Libertadores.

Se a vaga já havia sido encaminhada no Brasil, o Rosario tratou de selá-la com autoridade. Teve mais uma grande atuação em seu estádio, para delírio da fanática torcida, e contou com outro dia inspirado de seu artilheiro Marco Ruben, que marcou duas vez. Donatti marcou o terceiro e confirmou a classificação do time argentino para encarar o colombiano Atlético Nacional na próxima fase.

Com a eliminação, o Grêmio agora volta suas atenções para a estreia no Campeonato Brasileiro, dia 15, contra o Corinthians no Itaquerão. Os dois clubes, aliás, precisam “recolher os cacos” após eliminações decepcionantes nas oitavas de Libertadores. O Palmeiras já havia caído na fase de grupos, o que faz com o Brasil mantenha somente dois times na competição continental: São Paulo e Atlético-MG, que se enfrentam nas quartas.

O jogo

O Grêmio começou tocando a bola e chegou a ir ao ataque uma vez com Ramiro, mas logo de cara levou um balde de água fria. Aos quatro minutos, Montoya puxou contra-ataque, arrancou sozinho no meio de campo e viu Marco Ruben. O atacante se colocou entre os dois zagueiros gremistas, nas costas de Fred, e recebeu ótimo lançamento para desviar com o pé direito e vencer Marcelo Grohe.

O gol relaxou o time argentino e, talvez por isso, o Grêmio encontrou espaços para se lançar ao ataque. Mesmo sem muita efetividade, passou a tocar a bola no campo de ataque e chegou com perigo aos 19 minutos, quando Ramiro recebeu de Giuliano e lançou de volta justamente para o meia, que cabeceou e exigiu ótima defesa de Sosa.

Mas o Grêmio errava demais na saída de bola, e o Rosario só não criava mais porque também falhava no último passe. Só que em uma destas saídas erradas do time brasileiro, Cervi aproveitou para mostrar habilidade, tentou fazer fila na entrada da área e foi calçado por Marcelo Hermes. Aos 23 minutos, Marco Ruben cobrou o pênalti com força no canto direito de Grohe, que não alcançou.

O Grêmio não se entregava, seguia com a posse de bola, mas não encontrava espaços para infiltrar na defesa, o que deixava o confronto extremamente confortável para o Rosario. Depois de muito insistir, o time gaúcho quase descontou aos 42. Walace deu ótima bola para Luan, que dividiu com a defesa. A sobra ficou com Marcelo Hermes, que bateu com perigo.

O Grêmio voltou para o segundo tempo com Pedro Rocha na vaga de Douglas e a esperança de que uma blitz ofensiva pudesse devolver a esperança da classificação. Mas quem começou dominando as ações e levando perigo foi o Rosario, que quase marcou aos 11, quando Fernández ficou com sobra na esquerda e bateu firme, rente à trave, com desvio. Só que na cobrança de escanteio, não teve jeito. Donatti subiu sozinho na marca do pênalti e tocou no canto esquerdo de Grohe para ampliar.

A decepção tomou conta do lado tricolor, o desespero resultou em algumas entradas mais fortes e Maicon foi amarelado por falta dura em Cervi. Com o adversário descontrolado, o Rosario aproveitou para pressionar. Chegou perto de transformar a vitória em goleada em duas oportunidades: em cruzamento da esquerda que Bobô quase tocou contra e em finalização de Marco Ruben dentro da área, por cima.

Aos 27 minutos, o centroavante do Rosario exagerou no preciosismo e perdeu grande chance. Herrera foi lançado em velocidade e dividiu com Marcelo Grohe. A sobra ficou com Ruben, que tinha o gol praticamente vazio, mas preferiu tentar devolver para Herrera e errou. Aos 32, o Grêmio perdeu ótima oportunidade para ao menos diminuir. Maicon tabelou com Bobô e finalizou de frente para Sosa, que fez grande defesa.

ROSARIO CENTRAL 3 X 0 GRÊMIO

ROSARIO CENTRAL
Sebastián Sosa; Víctor Salazar, Alejandro Donatti, Esteban Burgos e Javier Pinola; Montoya (Pablo Álvarez) Damián Musto (Gil Romero), José Fernández e Franco Cervi; Germán Herrera e Marco Ruben (Lo Celso)
Técnico: Eduardo Coudet

GRÊMIO

Marcelo Grohe; Ramiro, Pedro Geromel, Fred e Marcelo Hermes; Walace, Maicon, Giuliano e Douglas (Pedro Rocha); Luan e Miller Bolaños (Bobô)
Técnico: Roger Machado

GOLS –
Marco Ruben, aos quatro e aos 23 minutos do primeiro tempo. Donatti, aos 12 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Enrique Cáceres (Fifa/Paraguai).

CARTÕES AMARELOS – Damián Musto (Rosario Central); Pedro Geromel Maicon (Grêmio).

LOCAL – Estádio Gigante de Arroyito, em Rosário (ARG).

Superesportes

http://www.mg.superesportes.com.br/app/noticias/futebol/gremio/2016/05/05/noticia_gremio,335226/gremio-e-atropelado-pelo-rosario-central-e-cai-nas-oitavas-de-final-da-libertadores.shtml