Hillary Clinton promete geração de empregos ao ser indicada candidata democrata

29/07/2016 12:300 comments
Hillary Clinton promete geração de empregos ao ser indicada candidata democrata

hilaryHillary Clinton foi oficialmente nomeada como candidata do Partido Democrata na disputa à Presidência dos Estados Unidos. O ato em que ela aceitou a nomeação ocorreu na noite dessa quinta-feira (28), no encerramento da convenção do partido. Hillary disse que sua prioridade será a geração de empregos, mas não excluiu uma referência ao seu rival na disputa, o republicano Donald Trump.

“Não vamos construir um muro, mas sim construir uma economia em que cada pessoa que queira um emprego possa tê-lo”, disse, em uma referência direta ao muro que Trump propôs construir na fronteira com o México.

Hillary fez história ao ser a primeira mulher a ser escolhida candidata presidencial por um dos grandes partidos. Venceu as eleições primárias nas disputas entre os outros pré-candidatos, entre eles o senador Bernie Sanders, que atraiu o voto progressista e jovem do partido e no final se uniu à sua campanha.

A candidata também falou contra o discurso de Trump sobre segurança, que ela considera separatista. “Escutamos Trump dizer na semana passada que quer nos separar do resto do mundo e entre nós mesmos. Ele quer que tenhamos medo do futuro e que tenhamos medo uns dos outros”.

O discurso de hoje – focado na geração de empregos e salários mais altos – tem aspectos da linha defendida por Sanders, que dizia que é injustificável que os norte-americanos tenham tido queda no poder de compra e salários em queda.

Hillary terá três meses de campanha, com comícios, debates regionais televisivos e três grandes debates televisivos nacionais com Trump. De perfis e ideias políticas antagônicas, os dois, entretanto, se aproximam no critério rejeição do eleitorado. Ambos tem índices de reprovação superiores aos 40%.

“Com toda humildade, determinação e confiança sem limites na promessa americana que aceito a nomeação”, disse Hillary, acrescentando que será “a presidente de democratas, republicanos e independentes”.

Antes de falar, Hillary foi apresentada pela filha, Chelsea Clinton, que disse que a mãe é um exemplo para ela e que Hillary tem seu voto por ser uma lutadora que “nunca desiste e que acredita na união de todos pelo bem comum”.

Hillary Clinton é primeira mulher a concorrer à Presidência dos EUA

27/07/2016 12:550 comments
Hillary Clinton é primeira mulher a concorrer à Presidência dos EUA

hillary-1A ex-secretária de Estado Hillary Clinton passou a ser nesta terça-feira (26), a primeira mulher candidata à Presidência dos Estados Unidos por um grande partido. A oficialização da candidatura de Hillary foi feita no segundo dia da convenção nacional do Partido Democrata, no Centro Well Fargo, em Filadélfia, estado da Pensilvânia.

Em votação nominal, os democratas asseguraram a escolha de Hillary Clinton antes do fim da contagem, quando a candidata atingiu o apoio de 2.383 delegados, que é o mínimo necessário para um candidato ser nomeado pela convenção.

Ao longo da campanha, Hillary Clinton obteve o apoio de 2.807 candidatos e foi com esse número que ela chegou à convenção como favorita, sendo inclusiva apoiada pelo seu principal rival Bernie Sanders. Mas, durante a convenção, esse apoio chegou a ser questionado depois que um setor do partido, que apoia Bernie Sanders, ameaçou desafiá-la.

No primeiro dia da convenção, esse setor desafiador do partido chegou inclusive a vaiar a pré-candidata Hillary cada vez que seu nome era mencionado, e até elogiado, por Bernie Sanders.  O comportamento desses convencionais que se opuseram a Hillary chegou a preocupar a direção do Partido Democrata, que passou a apostar no discurso do ex-presidente Bill Clinton, e marido de Hillary, como forma de acalmar os ânimos.

A oposição desse setor do Partido Democrata se fortaleceu na semana passado, quando foram vazados os conteúdos de milhares de emails que mostram claramente o favorecimento da cúpula partidária a Hillary Clinton, em prejuízo de Bernie Sanders. A cúpula dos democratas porém pediu desculpas a Sanders e este apoiou Hillary durante a convenção.

Emoção no discurso

Em tom pessoal e emotivo, o ex-presidente dos Estados Unidos, Bill Clinton, discursou ontem (26) na convenção nacional do Partido Democrata, enaltecendo as qualidades profissionais e pessoais de sua mulher, Hillary Clinton, para concorrer às próximas eleições presidenciais, em novembro deste ano. Ele advertiu aos eleitores que a Casa Branca, residência dos presidentes norte-americanos, não pode ser o local de moradia de Donald Trump, candidato do Partido Republicano. “A escolha certa é Hillary Clinton”, disse Bill.

Dirigindo-se ao auditório –  surpreendentemente unido – depois de várias desavenças ocorridas no primeiro dia da convenção, Bill Clinton disse: “Hillary é a única qualificada para aproveitar as oportunidades e reduzir os riscos [que os Estados Unidos enfrentam]”. Acrescentou que ela é a pessoa certa para tomar decisões que impliquem mudanças de políticas, em uma resposta às constantes críticas de Donald Trump de que a candidata democrata não é capaz de alterar os rumos das políticas adotadas até o momento pelo governo.

Ao contrário das acusações de Trump, Hillary fez, ao longo da campanha, várias promessas de que vai combater a desigualdade de renda, encaminhar medidas regulamentando a posse de armas e controlar Wall Street (o centro financeiro dos Estados Unidos).

Marco histórico

Ao oficializarem a candidatura de Hillary, que se tornou a primeira mulher a se candidatar à presidência dos Estados Unidos, os delegados do Partido Democrata, reunidos ontem (26) no centro de convenções Wells Fargo, na Filadélfia, no estado da Pensilvânia, tomaram uma decisão que se tornou um marco histórico. Na trajetória histórica de 240 anos da política norte-americana, as mulheres só alcançaram o direito de voto em 1920, depois da aprovação da 19ª emenda na constituição dos Estados Unidos.

Sem estar pessoalmente presente na convenção – ela se encontrava em Nova York -, Hillary Clinton fez ontem a seguinte declaração satélite aos participantes do evento: “Para algumas das meninas presentes [à convenção}, e que ficaram até tarde para assistir [ao evento], tenho o seguinte a dizer: eu posso me  tornar a primeira mulher presidente, mas uma de vocês pode ser a próxima”.

Apesar da união dos delegados, no âmbito da convenção, do lado de fora havia protestos contra a escolha de Hillary Clinton para representar o Partido Democrata nas eleições presidenciais norte-americanas. Três pessoas foram presas.

Partido Republicano oficializa candidatura de Trump à Presidência

20/07/2016 12:420 comments
Partido Republicano oficializa candidatura de Trump à Presidência

054325331A candidatura do empresário Donald Trump à Presidência dos Estados Unidos foi oficializada na noite desta terça-feira (19) pelo Partido Republicano. Ele atingiu o número mínimo necessário de delegados para sua indicação como candidato republicano no segundo dia da convenção do partido, em Cleveland. O anúncio de que ele tinha conseguido esse apoio foi feito pelo filho mais velho, Donald Jr., delegado por Nova York. A eleição será em novembro.

No segundo dia da convenção nacional, em Cleveland, Ohio, grandes nomes do partido enfatizaram a união dos delegados em torno das ideias republicanas. O governador de Nova Jersey, Chris Christie, um dos maiores amigos de Trump, e o presidente da Câmara dos Deputados, Paul Ryan, que só recentemente deu apoio ao candidato, estavam entre eles., assim como os filhos do candidato, Donald Trump Jr. e Tiffany, de 22 anos.

Porém, o sentimento que domina as conversas entre os convencionais é de perplexidade e preocupação com as acusações de que Melania, esposa de Trump, cometeu plágio em discurso feito na abertura da convenção, ontem (18) à noite, possa apagar o brilho do evento. Em todas as campanhas presidenciais, a convenção nacional de cada partido é a melhor oportunidade que os partidos têm de promover seus candidatos e divulgar suas ideias. Em vez disso, as redes de televisão dos Estados Unidos mostram, a todo momento, que Melania Trump repetiu frases inteiras de um discurso feito em 2008 pela atual primeira-dama Michelle Obama, durante convenção do Partido Democrata.

A explicação que vem sendo dada pelo pelo coordenador da campanha de Trump, Paul Manafort, é que Melania usou “palavras e valores comuns” entre candidatos em qualquer campanha. Ele culpou Hillary Clinton, a representante do Partido Democrata, que será oficializada em convenção marcada para segunda-feira (25), por ter espalhado a notícia de que Melania plagiou Michelle.

Alguns assessores da campanha de Trump dão outra versão: a de que a semelhança entre os dois discursos é resultado de um erro dos redatores do pronunciamento de Melania. Ao comentar essas versões, o presidente do Comitê Nacional Republicano, Reince Priebus, chegou a dizer que, se comprovado o erro, os redatores seriam demitidos. Mais tarde, porém, o estrategista-chefe da Convenção Nacional do Partido Republicano, Sean Spicer, rejeitou a possibilidade de demissão. Ele disse que a controvérsia é uma “bobagem”.

Os dois discursos

Os trechos do discurso de Melania Trump que mais se assemelham aos de Michelle Obama são os seguintes:

Melania: “Meus pais incutiram em mim os seguintes valores: que você trabalhe duro para conseguir o que quer na vida: que a sua palavra é o seu compromisso; que você faça o que diz e mantenha a sua promessa; e que você trate as pessoas com respeito. ”

Michelle: “E Barack e eu fomos criados com muitos dos mesmos valores: que você trabalha duro para o que quer na vida; que a sua palavra é seu compromisso; e que você faça o que diz que vai fazer; que você trate as pessoas com dignidade e respeito, mesmo que não as conheça e mesmo que você não concorde com elas”.

Melania: “[Meus pais] ensinaram e me mostraram os valores da moral em sua vida diária. Essa é uma lição que eu vou passar para o nosso filho, e precisamos passar essas lições para as muitas gerações que se seguirem”.

Michelle: “E Barack Obama e eu partimos para construir vidas guiadas por esses valores, e passá-los para as próximas gerações.”

Quase 200 pessoas morrem em tentativa de golpe; cinco generais são afastados

16/07/2016 12:330 comments
Quase 200 pessoas morrem em tentativa de golpe; cinco generais são afastados

turquiaQuase 200 pessoas morreram em uma tentativa de golpe militar de Estado conduzida ontem (15 ), na Turquia, por uma facção das forças armadas do país. Os militares chegaram a realizar movimentos com tanques e helicópteros para tomar o poder: assumiram a TV estatal, impuseram a lei marcial e um toque de recolher, atacaram a sede do órgão de inteligência turco e atiraram no prédio do Parlamento do país e em um resort na cidade portuária de Marmaris.

No entanto, no final da noite de ontem (15) e na madrugada de hoje (16) milhares de turcos responderam positivamente ao apelo do presidente Tayyip Erdogan para resistir ao golpe e tomaram as ruas de Ancara (capital do país) e de Istambul (principal cidade da Turquia). Em consequência, dezenas de soldados que atuaram em favor do golpe abandonaram os tanques nas ruas. Esses tanques foram ocupados por civis que apoiam o presidente Erdogan.

Comunicado distribuído à imprensa pela Embaixada da Turquia em Washington, capital dos Estados Unidos, informou, no final da noite de ontem, que “o que se desenrolou na Turquia foi uma tentativa de golpe para derrubar o governo democraticamente eleito”.

O documento informou ainda que “a tentativa foi frustrada pelo povo turco em unidade e solidariedade”. Segundo o comunicado, a tentativa de golpe foi conduzida por “uma minoria” dentro das Forças Armadas.

Hoje pela manhã, a agência Anadolu, a principal do país, informou que 1.563 membros das forças armadas foram detidos em todo o país. De acordo com o Ministério do Interior, 5 generais e 29 coronéis foram afastados das suas funções.

Cerca de 200 soldados desarmados deixaram quartéis militares da Turquia e se entregaram à polícia, segundo informou a Agência Anadolu.

A tentativa de golpe começou a se reverter, ontem, a partir do momento em que o presidente Tayyp Erdogan desembarcou no Aeroporto de Istambul, vindo de um local não identificado. Em seguida, ele fez um apelo dramático para que a população do país fosse às ruas.

“Uma minoria dentro das forças armadas, infelizmente, tem sido incapaz de digerir a unidade da Turquia”, disse Erdogan ao canal de televisão privado NTV. Ele acrescentou: “O que está sendo perpetrado é uma rebelião e uma traição. Eles vão pagar um alto preço por sua traição à Turquia “.

Na entrevista, o presidente turco deu a entender que os conspiradores tinham tentado assassiná-lo, referindo-se a um bombardeio que ocorreu em um resort mediterrâneo na cidade portuária de Marmaris. “Parece que eles pensaram que eu estava lá”, disse o presidente.

A Turquia é um país integrante da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e um dos principais aliados dos Estados Unidos. A Otan é uma aliança política e militar que integra 28 países da América do Norte e Europa. Quase 100% da população turca se identifica como muçulmana.

A maior parte dos muçulmanos da Turquia são sunitas e professam a religião dentro de padrões moderados, ao contrário de outras nações muçulmanas, que seguem uma orientação fundamentalista. O presidente Erdogan, que também é muçulmano, tem dominado a cena política turca por mais de uma década.

Terrorismo: motorista de caminhão é identificado pela polícia francesa

15/07/2016 11:580 comments
Terrorismo: motorista de caminhão é identificado pela polícia francesa

NiceO motorista de caminhão que matou mais de 80 pessoas em Nice foi identificado pela polícia, informou a agência Reuters nesta sexta-feira (15).

“O motorista do caminhão foi formalmente identificado como Mohamed Lahouaiej Bouhlel”, diz o Twitter da agência francesa Nice-Matin.

De acordo com a mídia local, os serviços de segurança franceses fazem, no momento, buscas na casa do terrorista.

Mais cedo a Reuters havia informado que o motorista do caminhão era um francês da origem tunisiana de 31 anos, citando uma fonte próxima à investigação.

Na quinta-feira (14), um motorista de caminhão atropelou uma multidão de pessoas que acompanhava os fogos de artifício em homenagem ao feriado nacional da França – o Dia da Tomada da Bastilha.

Segundo as testemunhas, o caminhão fazia ziguezagues sem parar ao longo de dois quilômetros na avenida marginal. O motorista também disparou contra as pessoas, tendo sido eliminado pela polícia. Até o momento, as autoridade reportam 84 mortos.

O presidente francês François Hollande classificou o atentado como um ataque terrorista.

Theresa May assume hoje cargo de primeira-ministra britânica no lugar de Cameron

13/07/2016 12:410 comments
Theresa May assume hoje cargo de primeira-ministra britânica no lugar de Cameron

Britain's Home Secretary Theresa May delivers her keynote address on the second day of the Conservative party annual conference in ManchesterTheresa May será a nova primeira-ministra britânica e deve assumir o cargo hoje (13). Será ela a mulher que vai conduzir a saída do Reino Unido da União Européia (UE), após votação do referendo Brexit.

Durante toda a campanha do referendo, May foi defensora da permanência do Reino Unido na UE, mas afirmou que o resultado do plebiscito deve ser respeitado.

“Brexit significa Brexit. A campanha foi travada, a votação foi realizada, a participação foi alta e o público deu o seu veredito. Não deve haver tentativa para permanecer dentro da UE, nem tentativas de reintegrá-la pela porta dos fundos ou um segundo plebiscito”, afirmou May.

A corrida para ocupar o cargo começou logo após a divulgação do resultado do referendo, quando David Cameron anunciou que deixaria o posto e que não seria ele que iria conduzir o processo de saída do Reino Unido da União Europeia.

Na última segunda-feira (11), a secretária de Estado de Energia, Andrea Leadsom, que concorria com May pelo cargo, anunciou sua desistência, abrindo caminho para a posse de Theresa May.

Em um pronunciamento em frente ao parlamento britânico, May disse estar “honrada”, prometeu construir um país melhor e fazer do Brexit um “sucesso”.

Theresa May será a primeira mulher a assumir o cargo de primeira-ministra após o fim da era Margaret Thatcher, há quase 26 anos.

Comparações

Após a definição de May como primeira-ministra, diversos meios de comunicação e especialistas começaram a tecer comparações entre ela e Thatcher (primeira-ministra britânica entre 1979 e 1990), inclusive apelidando-a de “nova dama de ferro”. Assim como Margaret Thatcher, May é conhecida por dizer algumas duras verdades sobre seus colegas e defender fortemente suas posições.

Theresa May nasceu em Sussex (sul da Inglaterra) e foi criada em Oxfordshire, no sudeste do país. Suas duas avós trabalharam como domésticas. Após frequentar escolas públicas, estudou Geografia na faculdade St Hugh, em Oxford, onde conheceu o marido Philip, com quem é casada até hoje. Os dois não têm filhos.

Foi eleita pela primeira vez em 1997 e assumiu a presidência do Partido Conservador, em 2002. Atualmente, aos 59 anos, é uma das pessoas que permaneceu mais tempo à frente do Ministério do Interior, onde está desde 2010.

Apesar de ser muito elogiada como ministra, vem recebendo críticas por não cumprir a promessa de manter o número de imigrantes que entram no país abaixo de 100 mil por ano. May apoia a igualdade entre os sexos e o casamento gay, embora em 2002 tenha votado contra o direito de adoção por casais homossexuais.

Saída da UE

Theresa May já disse que não ativaria o Artigo 50 do Tratado de Lisboa (para dar início formal à saída da UE) antes do fim de 2016, para que o Reino Unido tenha tempo de concluir as negociações.

Após acionar o tratado, o Reino Unido terá um prazo máximo de dois anos para concluir a transição. O Parlamento Europeu tem poder de veto sobre qualquer novo acordo que venha ser feito, formalizando o relacionamento entre o Reino Unido e a União Europeia.

Ataque suicida a aeroporto de Istambul deixa 31 mortos e 147 feridos

28/06/2016 23:570 comments
Ataque suicida a aeroporto de Istambul deixa 31 mortos e 147 feridos

05396995O ministro da Justiça da Turquia, Bekir Bozdag, informou que 31 pessoas morreram e mais 147 ficaram feridas no duplo atentado no Aeroporto de Ataturk, em Istambul na noite desta terça-feira (28), durante confronto com a polícia local. A informação do ministro é da emissora Haberturk na sua conta no Twitter.

Já a agência turca Dogan informou que pelo menos 32 pessoas morreram e 88 ficaram feridas. Segundo a agência, entre os mortos estavam dois policiais. Mas cedo, a agência Associated Press, que citou uma fonte do governo de Ancara, informou sobre 50 mortos.

De acordo com a emissora CNN turca, as bombas teriam sido acionadas no terminal internacional, mas ainda não há uma confirmação oficial do local exato das explosões. As autoridades de telecomunicações do país proibiram a divulgação de imagens que mostrem a cena do ataque, um tipo de censura recorrente na Turquia em caso de ações terroristas.

Pelo menos três suicidas participaram do duplo atentado no Aeroporto de Ataturk, o terceiro mais movimentado da Europa e o maior da Turquia, e alvo frequente de ataques, principalmente de separatistas curdos.

Nos últimos meses, o grupo Falcões pela Libertação do Curdistão (TAK) realizou diversos atentados em solo turco. Suas atividades são motivo de controvérsia, já que alguns acreditam que o TAK é apenas uma franja do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), a mais ativa organização militante curda, enquanto outros defendem que ele é totalmente independente.

Com 26 milhões de pessoas, os curdos são a maior etnia sem Estado próprio em todo o mundo.

Eles reclamam soberania sobre um território que cobre majoritariamente o Sudeste da Turquia e o Norte do Iraque e da Síria. Estima-se que o conflito de décadas com Ancara já tenha deixado mais de 40 mil mortos.

Brexit: Reino Unido decide sair da UE e primeiro-ministro anuncia renúncia

24/06/2016 13:210 comments
Brexit: Reino Unido decide sair da UE e primeiro-ministro anuncia renúncia

brexitCom 52% dos votos a favor, o Reino Unido decide deixar a União Europeia (UE) após 43 anos de participação. O resultado do referendo realizado nessa quinta-feira (23) foi divulgado nas primeiras horas da manhã de hoje (24).

Em declaração ao país, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, anunciou a sua demissão. Ele deve deixar o cargo em outubro. Cameron sempre se posicionou favoravelmente à permanência do Reino Unido na UE e, durante os meses que antecederam o referendo, afirmou que o Brexit – união das palavras Britain (Grã-Bretanha) e exit (saída, em inglês) – poderia trazer graves consequências econômicas para o país.

“O povo britânico votou para deixar a União Europeia, e sua vontade deve ser respeitada. A vontade do povo britânico é uma instrução que deve ser entregue. Será necessária uma liderança forte e empenhada”, disse David Cameron, ressaltando que outra pessoa deve liderar o processo de transição.

A taxa de participação no referendo foi de 71,8%, a maior em votações no Reino Unido desde 1992.

Nigel Farage, líder do partido Ukip e defensor do Brexit, afirmou ser o “dia da independência” do Reino Unido.

A Inglaterra e País de Gales votaram fortemente a favor da saída, enquanto cidadãos da Escócia e da Irlanda do Norte optaram pela permanência no bloco. Em Londres, 60% dos votos foram pela permanência na UE. No entanto, em todas as outras regiões da Inglaterra, a maioria votou pela saída.

O Reino Unido é o primeiro país a sair da União Europeia desde a sua criação, mas a decisão não significa que ele deixará imediatamente de ser membro da UE. Esse processo pode demorar dois anos, de acordo com o Tratado de Lisboa.

“Os tratados deixam de ser aplicáveis ao Estado em causa a partir da data de entrada em vigor do acordo de saída ou, na falta deste, dois anos após a notificação, a menos que o Conselho Europeu, com o acordo do Estado-Membro em causa, decida, por unanimidade, prorrogar esse prazo”, diz o Artigo 50 do Tratado de Lisboa.

Após o resultado do referendo, a libra caiu para o nível mais baixo em relação ao dólar desde 1985. Em declaração hoje de manhã, Mark Carney, o governador do Banco da Inglaterra, prometeu a liquidez necessária às instituições para que a crise política que começa agora, com a saída de David Cameron, não se torne uma crise financeira. Carney garante que há 250 bilhões de libras em fundos para assegurar o funcionamento dos mercados.

Sanders e Ted Cruz ganham primárias na campanha dos EUA

06/04/2016 12:570 comments
Sanders e Ted Cruz ganham primárias na campanha dos EUA

bernie sandersO democrata Bernie Sanders e o republicano Ted Cruz venceram as primárias no estado de Wisconsin, no Norte dos Estados Unidos, segundo projeções da imprensa norte-americana.

Segundo estimativas da estação de televisão CBS, Bernie Sanders obteve 55% dos votos contra 44% de Hillary Clinton.

Os 86 delegados democratas de Wisconsin serão divididos proporcionalmente entre os dois candidatos.

Do lado dos republicanos, o senador Ted Cruz venceu o magnata Donald Trump com 48% dos votos contra 38%, de acordo com a CBS.

O governador de Ohio, John Kasich, ficou em terceiro lugar na votação dos republicanos.

Durante as primárias são eleitos delegados às convenções nacionais dos partidos que, por sua vez, nomearão os respectivos candidatos às eleições presidenciais dos EUA, marcadas para novembro.

Hillary Clinton e Donald Trump são os candidatos com mais delegados eleitos até agora.

Desabamento de viaduto em Calcutá deixa pelo menos 14 mortos e 70 feridos

31/03/2016 14:000 comments
Desabamento de viaduto em Calcutá deixa pelo menos 14 mortos e 70 feridos

calcutaPelo menos 14 pessoas morreram hoje e 70 ficaram feridas quando um viaduto em construção desabou em Calcutá, no Leste da Índia, informou nesta quinta-feira (31) um responsável da Autoridade de Gestão de Catástrofes indiana Anurag Gupta.

“As operações de socorro prosseguem e várias pessoas continuam sob os destroços”, disse a autoridade indiana à agência de notícias France Presse (AFP).

O viaduto em construção desabou por volta da hora do almoço, numa zona densamente povoada da cidade indiana.