11 viram réus por ingressos da copa

11/07/2015 4:03 am0 comentários
13/05/2014 Crédito: Ed Alves/CB/D.A Press. Brasil. Brasília - DF. Retirada de Ingressos para a Copa.

O juiz Marcello Rubioli, do Juizado do Torcedor e dos Grandes Eventos, aceitou a denúncia do Ministério Publico contra 11 acusados de vender ilegalmente ingressos da Copa do Mundo em 2014. Uma audiência de instrução foi marcada para 10 de agosto.

Entre os réus está Mohamadou Lamine Fofana, considerado o chefe da quadrilha internacional de venda ilegal de ingressos. De acordo com o juiz, Raymond Whelan, executivo de uma empresa ligada à Fifa, a Match Services, havia sido incluído na denúncia do Ministério Público, mas as acusações contra ele foram arquivadas pela 6ª Câmara Criminal em 2014. O Ministério Público já adiantou que vai recorrer da decisão.

De acordo com a Globonews, Ozeas Nascimento funcionava como um relações públicas da quadrilha. Ele quer chamar como testemunhas de defesa o ex-presidente da FIFA, Joseph Blatter, e José Maria Marin, ex-presidente da CBF e atualmente preso na Suiça.

Mas antes de aceitar esse pedido, o juiz determinou que os advogados expliquem a necessidade dos depoimentos desses executivos, já que um mora na Suíça e o outro está preso na Suíça.

Também foram ram denunciados Alexandre da Silva Borges, o “Xandy”; Antonio Henrique de Paula Jorge, “Pará”, “Patrão” ou “Jogador”; Marcelo Pavão da Costa Carvalho, o “Caju”; Sergio Antonio de Lima, o “Serginho”; Julio Soares da Costa Filho; Fernanda Carrione Paulucci; Ernani Alves da Rocha Junior, o “Junior”; Alexandre Marino Vieira e José Massih. Todos vão responder por cambismo, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e corrupção ativa.

Ao todo, 12 pessoas foram presas na operação da Polícia Civil, batizada de “Jules Rimet”. Destes, apenas o CEO da Match, única empresa autorizada a vender ingressos para a Copa, está em liberdade, graças a um habeas corpus.

“Consta dos autos que a organização criminosa foi constituída para reiteradamente, desviar, fornecer e facilitar à distribuição a terceiros, ingressos de evento esportivo (Copa do Mundo de 2014), para venda por preço superior ao estampado no bilhete, cujas penas variam de 02 (dois) a 04 (quatro) anos de reclusão e multa”, diz um trecho da decisão. Em outro trecho, o juiz afirma que o grupo chegava a vender um único ingresso por R$ 25 mil.

Os acusados conseguiam ingressos através da Sociedade Empresária Match Ser-vices AG e Match Hospitality, jogadores de futebol ou seus agentes de seleções participantes do evento esportivo, que têm uma cota preestabelecida pela entidade responsável pela organização do evento. De acordo com a decisão, a Confederação Brasileira de Futebol possuía alguém de dentro da entidade que também desviava as entradas-. Foram desviados também ingressos do fundo Governamental destinado a ONGs e escolas.

Os encontros aconteciam nos hotéis Copacabana Palace e o Radisson da Barra da Tijuca. Durante o processo, foi possível constatar mais de 900 ligações telefônicas entre Whelan e Fofana, com inúmeras vendas ‘por debaixo dos panos’ de pacotes de hospitalidade e bilhetes VIP’s, através de pagamento à vista e em dólar. Foi comprovado, através de escutas, que numa única venda o acusado faturou U$ 600 mil, o equivalente a R$1,4 milhões.

Fonte: G1

Governo inicia emissão de passaportes com validade de 10 anos

Governo inicia emissão de passaportes com validade de 10 anos

A partir desta semana, o governo brasileiro passa a emitir o novo modelo de passaporte, que terá o prazo de validade dobrado de cinco para dez anos. O documento conta agora com novos mecanismos de segurança.

A emissão no novo formato já está sendo feita desde segunda-feira (6) pela Polícia Federal e a Casa da Moeda. O valor da taxa cobrada foi reajustada em 65%, e passou de R$ 156,07 para R$ 257,25. Entre as mudanças implementadas, a adoção de nova criptografia para assinatura digital, além de modificações na capa e imagem invisível fluorescente.

De acordo com o Ministério da Justiça, o país também passa a fazer parte do Diretório de Chaves Públicas da Organização Internacional da Aviação Civil, o que vai agilizar a verificação de autenticidade dos documentos.

O ministro interino das Relações Exteriores Sérgio Danese, que participou de cerimônia de lançamento no Ministério da Justiça, nesta sexta-feira, 10, ponderou que haverá uma defasagem na emissão das novas cadernetas em representações consulares do governo brasileiro no exterior por questões de logística.

UOL

Foragido se entrega por não conseguir emprego em Manaus

Foragido se entrega por não conseguir emprego em Manaus

Francisco Rauleson Silva Gama, 26, conhecido como “Alce”, se entregou a Polícia Civil, na tarde de quarta-feira (8). Ele possuía mandado de prisão em aberto por homicídio qualificado ocorrido em dezembro de 2011.

Ele foi apresentado na manhã desta quinta-feira (9) na sede da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS). A imprensa ele alegou que estava cansado de fugir e de não conseguir emprego com carteira assinada.

O crime que ele cometeu ocorreu no bairro Nossa Senhora de Fátima 2, Zona Norte, que teve como vítima José Edson Rodrigues, o “Toupeira”, motivado pelo tráfico de drogas.

Na apresentação, ele sorriu para as câmeras e disse que quer mudar de vida. A imprensa ele informou não estar arrependido de ter matado o desafeto.

Fonte: Acrítica

 

Casal acha boleto com R$ 220 na rua e paga conta

Casal acha boleto com R$ 220 na rua e paga conta

Com esta frase curta, postada no Facebook junto à imagem de uma conta de luz e seu comprovante de pagamento, um casal baiano conseguiu mobilizar uma multidão em torno do paradeiro de uma idosa que perdeu R$ 220 nas ruas de Camaçari, na Bahia.

Cleiton Tavares e Geiza Matos saíam do restaurante onde trabalham quando encontraram o envelope perdido. “Quando vi o dinheiro, brinquei com minha esposa: ‘estamos abonados!'”, diz Tavares à BBC Brasil. “Mas aí encontramos a conta e percebemos que o dinheiro tinha dono.”

Até o fechamento desta reportagem, a postagem já tinha mais de 16 mil curtidas e 17 mil compartilhamentos em menos de três dias. Sem encontrar a dona do dinheiro, que não tem perfis em redes sociais, o casal foi até o endereço indicado na conta de luz para entregar o comprovante de pagamento.

“Ela ficou muito surpresa. É uma senhora já, nos agradeceu, ficou comovida. Aí nós fomos embora para casa” – a dona da conta preferiu não dar entrevistas.

Tímido, Cleiton conta que ficou surpreso com a repercussão da postagem. “Achei embaraçoso”, diz. “Fiquei assustado porque uma situação que deveria ser normal acaba parecendo anormal. As pessoas esperariam que eu ficasse com o dinheiro”, diz.

O rapaz, que estudou até o fim do segundo grau, administra um restaurante familiar com a mulher e a mãe na pequena cidade industrial, a 41 quilômetros de Salvador.

“Meu momento financeiro é normal, não tá às mil maravilhas. Se fosse usar o dinheiro seria para futilidade, para curtir, para ir à praia. Mas eu fui doutrinado de outra forma. Aprendi a amar o próximo como a mim mesmo e a fazer o bem sem olhar a quem.”

‘Sementinha’

Caso raro no bangue-bangue costumeiro das redes sociais, todos os mais de três mil comentários da foto são positivos. A maioria destaca a honestidade do casal e comemora a boa ação.

“A humanidade ainda pode ser salva! Com atitudes assim, continuo a apostar nela”, escreveu Sérgio Vicentin.

“Imagino o sufoco que esta pessoa passou ao perceber que havia perdido isso?! Deus te abençoe!”, comentou Clarice Gande.

“Ética, compromisso consigo e com o outro. Lindo”, disse Eliana Taquary.

“Poxa vida, que bom ver uma notícia dessa! Parabéns pela atitude, notícias assim deixa nosso dia melhor!”, completou Nanci Pereira.

Histórias positivas, relacionadas a honestidade ou superação, costumam de fato viralizar nas redes sociais. A tal ponto que muitas empresas jornalísticas vêm aos poucos abandonando o tradicional jargão “Bad news is good news” (“más notícias são boas notícias” – em referência ao suposto interesse das pessoas por tragédias ou escândalos).

Segundo Cleiton, os elogios foram a melhor recompensa ao gesto. “Vale muito mais que R$ 220. Acho que a gente plantou uma sementinha. Espero que ela se espalhe por aí.”

Via BBC

‘Ajuste fiscal é realidade’, diz ministro da Educação sobre cortes

‘Ajuste fiscal é realidade’, diz ministro da Educação sobre cortes

Nomeado há três meses para conduzir a área que a presidente Dilma Rousseff diz ser sua prioridade, o ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, afirma trabalhar para que o ajuste fiscal não afete a essência dos programas da pasta.

“Tem-se menos dinheiro, então o que estamos fazendo é procurar preservar ao máximo possível a qualidade dos programas, a essencialidade dos programas, e escalonar o que não possa ser feito neste ano para fazer no futuro”, diz Janine à BBC Brasil.

Sua pasta teve um corte de 19% no seu orçamento para 2015.

Ele afirma ainda que, por causa do corte nos gastos do governo, o ministério tem buscado “reavaliar projetos e programas em andamento para ver onde podem ser aprimorados”.

Em entrevista na última quarta-feira, quando acompanhava a presidente em sua visita pela Califórnia, Janine questionou críticas ao ministério pelo atraso de bolsas a alunos de pós-graduação.

Segundo ele, “muitas das queixas não procedem”. “As pessoas querem uma prorrogação da bolsa quando isso não está nas regras, pedem exceção.”

Ele disse ainda que atrasos nos pagamentos do Ciência Sem Fronteiras nos Estados Unidos, principal parceiro do programa que financia a ida de alunos brasileiros a universidades estrangeiras, já foram sanados.

O ministério chefiado por Janine é tema do slogan do segundo mandato de Dilma, “Brasil: Pátria Educadora”.

Professor de ética e filosofia política na USP, ele diz que o principal objetivo de sua gestão é melhorar o ensino básico.

“Hoje temos no Brasil uma loteria perversa pela qual uns nascem com todas as chances, e outros nascem sem chances. Temos que igualar as oportunidades das pessoas ao nascimento.”

Leia abaixo os principais trechos da entrevista.

BBC Brasil – O que o senhor está achando da vida de ministro?

Renato Janine Ribeiro – É muito puxada. Quando você está no meio da pesquisa, você fixa seus próprios horários, tem sua própria agenda. Mas quando está num cargo público, tem uma responsabilidade muito grande com a demanda que vem de fora. Tanto com questões pontuais quanto com aqueles projetos estruturantes, que são realmente o essencial.

Não é somente uma questão de ter muito mais tempo ocupado, mas de conseguir, diante das crises momentâneas que sempre pipocam, tempo e espaço para articular o presente e o futuro.

BBC Brasil – Como é a relação do senhor com a presidente?

Janine – Muito boa. Conversamos sobre os objetivos da pasta, sobre ideias. Ela é muito atenta a tudo, à parte econômica, é claro. Examinou com muita atenção todo o projeto do novo Fies (Programa de Financiamento Estudantil) no ensino superior. Deu sinal verde porque isso tem a ver com a preocupação dela de ter uma qualidade do gasto muito boa.

BBC Brasil – Apesar de toda a correria, o senhor ainda consegue atualizar seu perfil no Facebook e dialogar com outras pessoas na rede. Como isso se relaciona com seu trabalho?

Janine – O Facebook ficou muito pouco, estou mantendo o mínimo, quase tudo ligado a meu próprio trabalho. Não está havendo diálogo como havia antes. Até porque boa parte das mensagens que recebo no “inbox” são de pessoas que não frequentam meu Facebook e querem a solução de problemas pessoais, como se imaginassem que essa é a via correta. Não é.

BBC Brasil – Na visita aos Estados Unidos, foi noticiado que universidades americanas conveniadas com o programa Ciência Sem Fronteiras se queixaram de atrasos nos pagamentos do governo brasileiro. Houve esse problema?

Janine – Essa notícia estava bastante atrasada. Tudo o que se devia no Ciência Sem Fronteiras nos Estados Unidos foi pago. Não há nenhuma pendência.

BBC Brasil – Ouve-se muitas queixas de alunos de pós-graduação no exterior sobre atrasos em suas bolsas e cortes de gastos. Qual é a situação?

Janine – Isso você tem que ver com a Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, fundação subordinada ao Ministério da Educação que financia alunos de pós-graduação).

BBC Brasil –Não há problemas?

Janine – O ministério não pode responder por tudo o que está acontecendo. Se existe algum caso episódico, tem que ver com a Capes. Não posso dar entrevista sobre cada problema que surgir na educação brasileira.

Muitas dessas queixas não procedem. As pessoas querem uma prorrogação da bolsa quando isso não está nas regras, pedem exceção.

Houve o caso notável, há cerca de um mês, da moça colocada na TV dizendo que tinha deixado o Ciência Sem Fronteiras porque não recebeu o dinheiro a tempo. Depois ela desmentiu, dizendo que era mentira do canal de TV, o qual se retratou.

Fonte: BBC

Novo tipo de inseticida é a mais nova arma na luta contra a dengue

09/07/2015 3:57 am0 comentários
Novo tipo de inseticida é a mais nova arma na luta contra a dengue

Novo tipo de inseticida é a mais nova arma na luta contra a dengue

Um novo tipo de inseticida biológico, em forma de comprimido, foi desenvolvido por pesquisadores da USP para ajudar na luta contra o mosquito da dengue.

Veja todos os vídeos do Jornal da Band.