Boletim da gripe confirma 83 mortes no Estado desde janeiro

19/07/2019 10:240 comments
Boletim da gripe confirma 83 mortes no Estado desde janeiro

O informe sobre a situação da gripe no Paraná divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde nesta quarta-feira (17) confirma 83 óbitos no Estado em função do vírus. O boletim que é atualizado semanalmente desde janeiro apresentava na publicação anterior 77 mortes por Influenza.

Os seis novos óbitos apontados no boletim desta semana foram registrados nos seguintes municípios: em Ponta Grossa duas mulheres, uma de 72 anos e outra de 67 anos; em Foz do Iguaçu, uma mulher de 88 anos; em Curitiba, uma mulher de 80 anos; em Porecatu, uma mulher de 85 anos, e em São José dos Pinhais, um homem de 80 anos. As mortes ocorreram entre 26 de junho e 9 de julho, período em que começaram a ocorrer as temperaturas mais baixas no Estado.

O boletim totaliza 415 casos confirmados de Influenza no Paraná. Na semana anterior eram 374 casos. As 22 Regionais de Saúde do estado apresentam casos da doença.

“Entre os casos e óbitos confirmados para a Influenza, podemos notar que a idade é um fator de risco”, explica a coordenadora da Vigilância Epidemiológica da Secretaria da Saúde do Paraná, Acácia Nasr. “No caso dos idosos, o sistema imunológico pode apresentar debilidades e, no caso das crianças, está em formação”.

CUIDADOS – A gripe é uma doença causada pelo vírus da Influenza, que ocorre predominantemente nos meses mais frios do ano. A transmissão do vírus acontece por via respiratória, pela inalação de partículas de secreção infectada em suspensão no ar.

A secretaria estadual ressalta no boletim os principais cuidados que devem ser tomados para diminuir o risco de contaminação – a frequente higienização das mãos, manter os ambientes bem ventilados, cobrir o nariz e a boca com a dobra do braço ao tossir ou espirrar e não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas.

A médica destaca que os sintomas da Influenza são febre alta, que surge de forma repentina associada à tosse, dor de garganta, dor de cabeça, dores articulares, calafrios e falta de ar. “E diante da permanência deste quadro orientamos a busca por atendimento médico. O início do tratamento nas primeiras 48 horas evita complicações. A rede pública de saúde tem à disposição o antiviral com Fosfato de Oseltamivir (Tamiflu). O medicamento é fornecido gratuitamente pelas unidades de saúde mediante apresentação da prescrição médica”, disse a médica.

AEN/PR

Aumenta a inadimplência e cai arrecadação do IPVA

12/07/2019 09:070 comments
Foto: Jaelson Lucas / ANPr

O primeiro semestre deste ano revela aumento na inadimplência no pagamento do IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) no Paraná. O índice é de 19,9% em relação ao valor lançado, o que significa crescimento sobre 2018, que registrou inadimplência de 19,0%; e sobre o ano anterior, que havia sido de 18,2%.

Foto: Jaelson Lucas / ANPr

Mais de 1,3 milhão de veículos do Paraná estão com valores pendentes, o que representa 31,5% da frota de 4,3 milhões de veículos tributados no Estado. Por enquanto, a Receita Estadual deixou de arrecadar R$ 691 milhões, apenas em relação ao IPVA de 2019, de um total previsto de R$ 3,47 bilhões.

Para reverter a queda na arrecadação, a Receita Estadual vai intensificar a fiscalização no segundo semestre, segundo informa o diretor Luiz Moraes Júnior. De acordo com ele, estão sendo planejadas várias ações em conjunto com a Polícia Militar, a fim de cobrar os devedores.

NOTA – O não pagamento do IPVA pode resultar em inscrição tanto em dívida ativa quanto no Cadin (Cadastro Informativo Estadual), o que impede a utilização dos créditos do programa Nota Paraná, entre outras consequências. A dívida com o IPVA também impede a emissão do CRLV (certificado de registro e licenciamento do veículo), documento de porte obrigatório. Sem ele, o motorista pode ser multado e ter o veículo apreendido.

FACILIDADE – O IPVA pode ser pago com créditos obtidos com o Programa Nota Paraná, pelo qual a Secretaria da Fazenda devolve parte do imposto ao contribuinte que pede nota fiscal. Para isso, o interessado deve acessar o portal do Nota Paraná, em novembro, para transferir os créditos para pagamento do IPVA do ano seguinte.

Em 2017, 39 mil veículos se beneficiaram com o programa, usando R$ 6,1 milhões devolvidos ao contribuinte para quitar o imposto. O IPVA de 2018 foi pago com os recursos da Nota Paraná por 106 mil proprietários de veículos, no valor de R$ 13,2 milhões.

Em relação ao IPVA deste ano, 117 mil veículos usaram recursos devolvidos pelo programa Nota Paraná, no valor de R$ 15,5 milhões.

AEN/PR

Santuários e celebrações compõem o turismo religioso do Paraná

10/07/2019 09:510 comments
Igrejinha, um dos patrimônios tombados pelo Município

Entre as heranças culturais da diversidade étnica do Paraná está a religiosidade, uma expressão tão importante que se configura como um segmento turístico de destaque. Há uma riqueza de santuários, catedrais, festas, romarias e locais de peregrinação que atraem milhares de visitantes, movimentando a economia e propiciando a criação de empregos no Interior.

Muitos municípios do Estado são reconhecidos por esse tipo de turismo. Alguns, inclusive, abrigam rotas com percursos traçados.

Igrejinha de Arapoti faz parte da Rota do Rosário

ROTA DO ROSÁRIO – Criada em 2008 pelo Bispo Emérito Dom Fernando José Penteado, a Rota do Rosário, abrange diversos municípios do Norte e Norte Pioneiro. É um elemento do turismo religioso e também um estímulo para o turista a permanecer mais tempo e conhecer os demais atrativos destas regiões.

Os santuários mais visitados são o de São Miguel Arcanjo, e o santuário e festa Bom Jesus da Cana Verde, em Siqueira Campos.

Além destes, fazem parte da Rota do Rosário os santuários de Santa Terezinha do Menino Jesus, em Bandeirantes; Mãe Rainha e Vencedora Três vezes Admirável de Schoenstatt, Catedral de Nossa Senhora Imaculada Conceição e Nossa Senhora de Guadalupe, todos os três em Jacarezinho; Santo Inocêncio, em Tomazina; Diocesano do Sagrado Coração de Jesus, em Ibaiti, e Senhor Bom Jesus da Pedra Fria, em Jaguariaíva.

Santuário Bom Jesus da Pedra Fria em Jaguariaíva

Também integram esta rota o santuário São Vicente Palloti, em Ribeirão Claro; Divino Espírito Santo, em Ribeirão do Pinhal; Nossa Senhora das Graças, em Santo Antônio da Platina, e Igrejinha de Arapoti, em Arapoti.

FESTAS – As festas religiosas são tradicionais no Estado, atraindo milhares de turistas todos os anos. Os eventos ocorrem em todos os cantos do Paraná. No Litoral acontecem as festas de Nossa Senhora do Pilar, Nossa Senhora do Porto, Nossa Senhora do Rocio e a do Divino Espírito Santo.

Na região Norte e Norte Pioneiro são destaques as festas de Santa Rita de Cássia e a Senhor Bom Jesus da Cana Verde, além da celebração de Corpus Christi, que ocorre em todo o Estado.

PRUDENTÓPOLIS – Uma das cidades mais religiosas do Paraná e que atrai muitos turistas é Prudentópolis. É conhecido como a capital da oração, por conta de suas inúmeras igrejas, muitas delas com estilo bizantino, remetendo à tradição ucraniana, muito forte na região. Os visitantes podem conhecer os templos, muitos deles com missas celebradas em ucraniano.

Mesquitas, Templos Budistas e Catedrais também são boas opções para visitar nos municípios de Maringá, Londrina, Ponta Grossa, Lapa e Tibagi.

RELIGIOSO SUSTENTÁVEL – A partir desta quarta-feira e até sexta-feira (10 a 12), a Fundação San José, de Campo Mourão, promoverá o 15° Congresso Internacional de Turismo Religioso e Sustentável, no Centro de Convenções e Evento, em Guarapuava.

Para os três dias estão programados diversas atividades simultâneas, como conferências, workshops, mesas de discussão, espaços de negócios, shows culturais, degustação de pratos típicos, visitas e excursões. Já está confirmada a presença de especialistas das Américas e da Europa.

AEN/PR

Saúde registra aumento de casos de dengue no Paraná

09:430 comments
Saúde registra aumento de casos de dengue no Paraná

O Boletim Epidemiológico da Secretaria da Saúde do Paraná que monitora a dengue no Estado registra 18.780 casos confirmados da doença, desde agosto do ano passado. São 1.004 casos a mais que a semana anterior, que apontava 17.776 confirmações.

Segundo o Boletim, o número de municípios em epidemia também aumentou, de 81 para 88 nesta situação. As sete cidades que passaram a constar desta relação são Matinhos, Serranópolis do Iguaçu, Cidade do Iguaçu, São Manoel do Paraná, Terra Rica, Nova América da Colina e Sertaneja.

Em sinal de alerta para epidemia são 56 municípios; 4 a mais que na semana anterior. Os municípios são Atalaia, Nova Fátima, Santa Cecília do Pavão e Cambará.

A confirmação de óbitos segue registrando 21 casos no Estado.

CONTROLE VETORIAL – A Diretriz Nacional para a Prevenção e Controle de Epidemias de Dengue do Ministério da Saúde define o controle vetorial como ação de responsabilidade coletiva. “É fundamental a participação da população no combate ao mosquito transmissor da dengue, o Aedes aegypti”, diz a coordenadora da Divisão de Vigilância Ambiental da Secretaria, Ivana Belmonte. Segundo ela, este apoio se refere, principalmente, à eliminação dos criadouros nos quintais e até dentro das residências.

Pesquisa vetorial feita entre abril e junho deste ano mostra que 329 municípios paranaenses são considerados infestados, ou seja, 82,5% apresentam disseminação e manutenção de vetor nos domicílios.

O Índice de Infestação Predial (IIP) confirma que 77,5% dos imóveis pesquisados apresentaram criadouros e focos do mosquito passíveis de remoção como recipientes plásticos, garrafas, latas, sucatas, entulhos de construção, pneus, vasos de plantas, bebedouros e recipientes para degelo de geladeiras.

O Índice também mostra que 15,77% dos criadouros estão em depósitos ao nível do solo para armazenamento doméstico. O levantamento também detectou criadouros do mosquito transmissor em depósitos de água elevados, plantas, buracos em árvores e em rochas.

AEN/PR

Inverno será ameno e um pouco mais chuvoso, prevê Simepar

20/06/2019 10:310 comments
Inverno será ameno e um pouco mais chuvoso, prevê Simepar

O inverno começa às 12h54 desta sexta-feira, 21 de junho, e termina às 04h50 de 23 de setembro. No primeiro dia o tempo fica estável no Paraná, com temperaturas variando entre 8 e 26 graus. As menores temperaturas ocorrem em Rio Negro, Pato Branco e União da Vitória. Já as maiores estão previstas para Guaíra, Umuarama, Paranavaí e Foz do Iguaçu.

Segundo a previsão do Simepar, a estação entra sem chuvas e ensolarada na maioria das regiões. Há condições para formação de nevoeiros ao amanhecer nas regiões Centro-Sul, Metropolitana de Curitiba e Campos Gerais. O tempo deve ficar encoberto em Guarapuava e Rio Negro e parcialmente nublado na capital, Litoral, nas regiões Central, Centro-Sul, Sul e Norte Pioneiro.

O sábado prossegue sem chuvas, com leve aumento das temperaturas. No domingo o sol deve predominar em todo o Estado, com temperaturas entre 8 e 27 ºC.

NO PERÍODO – Segundo o meteorologista do Simepar, Reinaldo Kneib, o inverno deve ser ameno, pois a temperatura média do ar deverá ficar acima do comportamento climatológico normal. Embora se caracterize como a estação mais seca, é provável que neste ano seja ligeiramente mais chuvoso, sobretudo em julho. Estão previstos períodos prolongados sem chuva quando predominarem massas de ar frio e seco. Ondas de calor devem ser mais frequentes em agosto e setembro.

O fenômeno El Niño continua influenciando o clima na Região Sul, reduzindo as chances de geadas. No entanto, deslocamentos eventuais de intensas massas de ar frio podem causar geadas e queda acentuada nas temperaturas, principalmente nas regiões Sul, Centro-Sul, Centro e Campos Gerais.

“Os produtores de café devem ficar atentos às previsões de geadas para adotarem medidas de proteção dos viveiros e das mudas de até seis meses”, diz a agrometeorologista Ângela Costa, do Instituto Agronômico do Paraná (Iapar). O mesmo deve ser feito com as hortaliças. “Já o trigo e o milho devem desenvolver-se normalmente, atingindo boa produtividade”, afirma a pesquisadora.

ALERTA GEADAS – Mantido pelo Simepar e pelo Instituto Agronômico do Paraná, o serviço gratuito Alerta Geada emite previsões com antecedência de 48 e 24 horas. Boletins são divulgados pelo Disque Geada (43) 33914500, nas redes sociais e páginas http://www.simepar.br e http://www.iapar.br.

A base de dados históricos sobre o inverno paranaense apresenta baixos volumes de chuvas. Julho costuma ser menos chuvoso. Os registros de baixas temperaturas mais expressivos são de Palmas, no Sul do Estado.

Confira AQUI tabela de valores das médias históricas de chuva (faixa de variação), temperatura mínima e temperatura máxima para cada região do Paraná nos meses de julho, agosto e setembro.

Agência Estadual de Notícias

Paraná atrai R$ 12,5 bilhões e abre mais de 100 mil novas empresas

08:280 comments
Klabin  -  Foto: Acervo Klabin

Apesar da crise econômica nacional e de perdas na safra de soja, principal commodity do Paraná, o Estado atraiu até maio R$ 12,5 bilhões em investimentos privados e abriu 105.130 empresas, com saldo positivo de 8,4 mil novos negócios em relação ao mesmo período de 2018. Com o programa de incentivos do Estado, o governador Carlos Massa Ratinho Junior projeta a atração de R$ 20 bilhões em empreendimentos até o final deste ano.

Klabin – Foto: Acervo Klabin

O governador destaca que o País ainda enfrenta desafios em relação ao otimismo dos investidores e estagnação da economia, mas o Paraná lidera um processo para gerar novos empregos, reorganizar a infraestrutura rodoviária e aérea, com um novo pacote de concessões, e para abrir possibilidades de incremento da produção com base no fomento à tecnologia no campo e nas indústrias. “O Poder Público tem que colaborar com o setor produtivo, buscando a modernização. Nós incentivamos os investidores, repactuamos as contas públicas e estamos preparando um Paraná para os próximos dez anos”, afirmou o governador.

Além da programação de ampliar a produção no campo, a capacidade logística e o uso de tecnologia, o Estado também reorganizou a máquina pública com a reforma administrativa, que enxugou o número de secretarias e cargos, e revisão e renegociação de contratos, com economia anual estimada de pelo menos R$ 85 milhões. “Nosso foco não é apenas economizar, mas aumentar a eficiência. Estamos adotando esse ritmo no Governo, para dar respostas rápidas e priorizar aquilo que mais interessa, que é o desenvolvimento sustentável e a geração de emprego e renda no Paraná”, emendou.

INVESTIMENTOS – Os R$ 12,5 bilhões prospectados pelo Estado significam crescimento de mais de 500% em relação a tudo que entrou via Agência Paraná Desenvolvimento (APD) em 2018, em torno de R$ 1,99 bilhão. Esse valor foi puxado pelo investimento anunciado pela Klabin em Ortigueira, na casa de R$ 9,1 bilhões, maior anúncio de expansão da América Latina neste ano, e do Grupo Madero, em torno de R$ 600 milhões.

Ambos já passaram pelas três etapas de aprovação dentro do órgão, que consistem em intenção, proposta e confirmação do protocolo – num segundo momento, os processos são encaminhados para a Secretaria da Fazenda para a formalização dos incentivos fiscais.

Para o próximo ciclo, os principais objetivos da APD são a inserção do setor de turismo nas estratégias de prospecção e desenvolvimento e apoio ao aumento da competitividade dos municípios. O órgão também planeja apoiar o desenvolvimento das cadeias produtivas para aumentar o valor agregado dos produtos e focar na desburocratização por meio da facilitação de processos para maior ganho de produtividade.

AEN/PR