Interior fica com 90% dos 246 mil empregos criados no Paraná

30/04/2018 11:380 comments
Indústria de Aves Copagril, em Marechal Cândido Rondon.
Foto: O Presente

O Interior do Estado abriu 90,3% das vagas de emprego geradas no Paraná desde 2011. No embalo do agronegócio e investimentos atraídos pelo programa Paraná Competitivo, foram criadas 222,1 mil novas vagas com carteira assinada até março de 2018 no Interior. Somando a capital, foram 246 mil contratações realizadas em todo o Estado no período.

Indústria de Aves Copagril, em Marechal Cândido Rondon.
Foto: O Presente

O volume é o saldo entre admissões e demissões no período, conforma levantamento do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes) que está baseado no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho. “É uma notícia importante. A descentralização da economia permite o crescimento do emprego em todo o Estado. Estas novas oportunidades geram renda, movimentam a economia local e melhoram a vida da nossa gente”, comemora a governadora Cida Borghetti.

Mesmo com a crise, que jogou o País na maior recessão da sua história e aumentou o desemprego, o Paraná foi o terceiro Estado que mais criou empregos formais no Brasil nesta década. Ficou atrás apenas de São Paulo (429.132) e Santa Catarina (249.553). O saldo do Estado respondeu por 10,8% do total de empregos gerados no País.

Para a governadora Cida Borghetti, boa parte desse resultado se deve ao fato de o Paraná ter criado um ambiente mais favorável para o setor produtivo, atraindo mais investimentos que resultaram em novos empregos. “Temos uma gestão focada nas pessoas e na qualidade de vida das famílias. Por isso, o governo continuará em busca de novos empreendimentos e ajudará no fortalecimento das empresas paranaenses para que a criação de empregos seja ainda mais acelerada”, disse Cida.

FATORES – A predominância do interior na geração de vagas se deve a uma combinação de fatores, de acordo com Julio Suzuki Júnior, diretor presidente do Ipardes. “Por um lado, o agronegócio foi um dos grandes motores do desenvolvimento nos últimos anos. Por outro, os municípios da região de Curitiba foram duramente afetados pela crise brasileira, com retração de setores como indústria, serviços e construção civil. O Interior foi mais resiliente à crise econômica”, explica.
Além disso, de acordo com ele, o Paraná Competitivo, programa de incentivos fiscais do governo estadual, que atraiu mais de R$ 45 bilhões em investimentos produtivos para o Estado desde 2011, teve papel importante na desconcentração da economia paranaense.

Instalação de novas fábricas e ampliação de linhas de produção, apoiadas pelo programa criaram empregos e geraram efeitos multiplicadores também no comércio e no setor de serviços do interior.

SETORES – De acordo o Ipardes, o setor de serviços foi o que mais criou empregos no Estado desde 2011, com um saldo de 169.451 vagas. A seguir vem o comércio, com 87.029 vagas, e a agropecuária, com 6.423 empregos.

O levantamento mostra que Curitiba foi a cidade, isoladamente, a cidade que mais gerou vagas, com 20.240 empregos, entre janeiro de 2011 e março de 2018. Em seguida estão Maringá, com 18.684, Cascavel, com 14.534, Foz do Iguaçu, com 10.608 vagas, Ponta Grossa, com 8.902 e Londrina, com 8.013 vagas.

PARTICIPAÇÃO – No primeiro trimestre de 2018, o interior segue na dianteira, mas com o fim da crise econômica, a região de Curitiba voltou a contratar e a diferença diminuiu. “A tendência é que, aos poucos, o interior volte ao patamar tradicional de participação na geração de empregos”, afirma Suzuki Júnior.

De janeiro a março, o interior ficou com uma participação de 65,4% nas contratações com carteira assinada no primeiro trimestre. Foram 17.022 vagas de janeiro a março de 2018. Já a região metropolitana de Curitiba respondeu por 34,6%, ou 8.995 vagas.

Agência Estadual de Notícias

Ex-prefeito de Piraí do Sul deve pagar R$ 10 mil em multas por falhas em 2014

25/04/2018 09:330 comments
Ex-prefeito de Piraí do Sul deve pagar R$ 10 mil em multas por falhas em 2014

O ex-prefeito de Piraí do Sul (Campos Gerais) Valentim Zanello Milleo (gestão 2005-2008 e 2013-2016) foi multado em R$ 9.864,00 devido a cinco irregularidades comprovadas no julgamento da Prestação de Contas (PCA) de 2014. A decisão é da Segunda Câmara do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR), que emitiu Parecer Prévio pela irregularidade das contas.

Prefeito Tim Milléo. Foto: Correio dos Campos (https://correiodoscampos.com.br/pirai-do-sul/2017/09/18/vereadores-julgam-contas-de-2005-de-tim-milleo-na-sessao-de-hoje)

As irregularidades comprovadas foram: contas bancárias com saldos negativos; falta de comprovação de regularidade previdenciária; utilização dos recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) abaixo do devido; ausência de pagamento de aportes para cobertura do deficit atuarial do regime próprio de previdência social (RPPS); e falta de registro do passivo atuarial no sistema contábil.

Na primeira análise realizada pela Coordenadoria de Fiscalização Municipal (Cofim) do TCE-PR, a unidade técnica apresentou 12 irregularidades na PCA daquele ano: contas bancárias com saldo negativo; divergência de valores entre as informações do balanço patrimonial e os dados encaminhados ao Sistema de Informações Municipais-Acompanhamento Mensal (SIM-AM); ausência de publicação dos Relatórios de Gestão Fiscal do primeiro e do segundo quadrimestres de 2014; não atingimento do índice mínimo de 25% em manutenção e desenvolvimento da educação básica; utilização dos recursos do Fundeb abaixo do devido (95%); falta do parecer do Conselho Municipal de Acompanhamento do Fundeb.

Outras irregularidades foram a ausência da resolução do Conselho Municipal de Saúde (CMS); falta do parecer do CMS; não comprovação da regularidade previdenciária junto ao Ministério de Previdência Social; falta de encaminhamento do laudo atuarial vigente para o exercício de 2014; e entrega com atraso, de 123 dias, dos dados do encerramento do exercício ao sistema SIM-AM.

Na segunda análise realizada pela unidade técnica mais dois itens irregulares apareceram: ausência de pagamento de aportes para cobertura do deficit atuarial do RPPS e falta de registro do passivo atuarial nas contas de controle do sistema. Nessa mesma análise, alguns itens foram regularizados: divergência de valores entre as informações do balanço patrimonial e os dados encaminhados ao SIM-AM; ausência da resolução e do parecer do CMS; e ausência de encaminhamento do laudo atuarial vigente naquele ano.

A Cofim considerou possível de ressalva os itens relacionados à ausência de publicação do RGF do 1º e 2º quadrimestres; não atingimento do índice mínimo de 25% em manutenção e desenvolvimento da educação básica; e falta do parecer do Conselho Municipal de Acompanhamento do Fundeb. O Ministério Público de Contas (MPC-PR) concordou com o entendimento da unidade técnica

 

Decisão

Após a manifestação do responsável pelas contas, permaneceram irregulares os itens: contas bancárias com saldos negativos e utilização dos recursos do Fundeb abaixo do devido. Naquele ano, o valor arrecadado foi de R$ 7.574.488,63 e o gestor deixou para aplicar no primeiro trimestre do ano seguinte 6,82% dos recursos (que corresponde a R$ 516.684,18). Porém, o máximo permitido é de 5%, sendo obrigatória a aplicação de 95% do valor arrecadado.

Foram considerados irregulares, também, a ausência de pagamento de aportes para cobertura do deficit atuarial – após a análise foi identificada uma diferença de R$ 35.391,94; e falta de registro do passivo atuarial no sistema contábil. A Cofim verificou junto ao RPPS de Piraí do Sul encargos no valor de R$ 2.215.076,42, porém na contabilidade do município não havia nenhum valor registrado.

Devido à permanência das inconsistências, o relator do processo, conselheiro Ivan Bonilha, votou pela emissão de Parecer Prévio recomendando a irregularidade das contas e aplicou três multas ao então gestor. As sanções estão previstas no artigo 87, incisos III e IV, da Lei Orgânica do TCE-PR (Lei Complementar Estadual 113/2005). As multas equivalem, respectivamente, a 30 e 40 vezes o valor da Unidade Padrão Fiscal do Paraná (UPF-PR), que tem atualização mensal. Em abril, a UPF-PR vale R$ 98,64 e as três multas totalizam R$ 9.864,00.

Os membros da Segunda Câmara do TCE-PR acompanharam, por unanimidade, o voto do relator, na sessão de 21 de março. Em 4 de abril, Valentim Milleo ingressou com Embargos de Declaração contra a decisão contida no Acórdão nº 85/18 – Segunda Câmara, veiculada em 27 de março, na edição nº 1.793 do Diário Eletrônico do TCE-PR (DETC). Com relatoria do conselheiro Bonilha, o recurso será julgado pela Segunda Câmara.

Após o trânsito em julgado do processo, o parecer prévio do TCE-PR será encaminhado à Câmara Municipal de Piraí do Sul. A legislação determina que cabe aos vereadores o julgamento das contas do chefe do Executivo municipal. Para desconsiderar a decisão do Tribunal, são necessários dois terços dos votos dos parlamentares.

TCE/PR

 

Celulose já é o quarto produto mais exportado pelo Paraná

23/04/2018 10:380 comments
Exportação celulose.
 Fotos: André Kasczeszen

A nova fábrica da Klabin, de Ortigueira, que começou a produzir há dois anos, colocou a celulose no mapa de exportações do Paraná. Maior investimento privado da história do Estado, com R$ 8,5 bilhões atraídos pelo programa de incentivos Paraná Competitivo, a unidade direciona boa parte da produção para as exportações.

Exportação celulose.
Fotos: André Kasczeszen

Em seis anos, as exportações de celulose pelo Paraná aumentaram 112 vezes – de US$ 4,9 milhões (2011) para US$ 553,8 milhões em 2017. No primeiro trimestre de 2018 já foram embarcados US$ 180,6 milhões, de acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

A celulose, que ocupava a 81ª posição entre os produtos exportados pelo Paraná em 2011, passou para sétimo lugar em 2017 e no primeiro trimestre de 2018 subiu para a quarta colocação, atrás apenas de soja em grão, carne de frango in natura e farelo de soja.

“A celulose desbancou os automóveis em exportações no trimestre. Como é um produto com múltiplas aplicações, não apenas para fabricação de papel e embalagens, mas também fraldas e outros produtos de higiene, há um potencial muito grande para exportações pelo Paraná”, diz o diretor-presidente do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes).

EMPREGOS E DIVISAS – De acordo com ele, a instalação de uma fábrica como a da Klabin, além de transformar uma região com baixo índice desenvolvimento econômico, como Ortigueira, com geração de empregos e renda, também tem efeitos positivos em outras áreas. “Um projeto desse se desdobra no aumento da produção florestal, nas exportações e na movimentação logística até o porto de Paranaguá, e até mesmo no aproveitamento de resíduos para a geração de energia”, exemplifica.

QUINTO DO PAÍS – O Porto de Paranaguá, com forte atuação na movimentação de grãos e automóveis, vem se firmando também como um terminal de exportação de papel e celulose. Já é o quinto porto do País em movimentação desses produtos. China e Itália são os principais destinos da celulose exportada pelo Paraná. Juntos, os dois países respondem por 81% dos embarques.

A Klabin opera um terminal logístico a 5 quilômetros do cais do porto, que foi inaugurado com previsão de giro de 900 mil toneladas no primeiro ano. O governo federal pretende leiloar uma outra área para movimentação de celulose dentro da faixa primária do porto, com capacidade para 1,3 milhão de toneladas.

FÁBRICA – A unidade Puma, como foi batizada pela Klabin, possui capacidade anual de produção de 1,5 milhão de toneladas de celulose, sendo 1,1 milhão de toneladas de celulose branqueada de fibra curta (eucalipto) e 400 mil toneladas de celulose branqueada de fibra longa (pínus), parte convertida em celulose fluff.

FLORESTAS – O projeto da Klabin vem fomentando também a produção florestal no Estado. O Paraná ultrapassou São Paulo e já é o primeiro em produção de toras para papel celulose no Brasil. Em 2016, último dado disponível do IBGE, foram 15,9 milhões de metros cúbicos, 18,7% da produção nacional. Em 2011 o Estado ocupava a quarta colocação, com 12,7% de participação.

Agência Estadual de Notícias

Janela partidária provoca alterações nas bancadas da Assembleia Legislativa

17/04/2018 08:590 comments
Foto: Arte: Vinícius Leme / Alep

om o término do prazo para as mudanças de partido para as disputas eleitorais deste ano, oportunidade prevista pela legislação eleitoral, doze parlamentares da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) também passaram a integrar novas siglas. A “janela partidária” fez crescer bancadas como a do PSD, que passa a contar com mais três deputados, e PSL e PP, com dois parlamentares a mais cada um. O PODEMOS, com dois nomes, passa a formar uma nova bancada, até então inexistente no Legislativo estadual.

Foto: Arte: Vinícius Leme / Alep

Partido que mais ganhou nomes, o PSD conta agora também com os deputados Francisco Bührer e Mauro Moraes, que vieram do PSDB; e com Ademir Bier, que deixa o PMDB. Para o PP migram os deputados Gilberto Ribeiro, saindo do PRB; e Luiz Carlos Martins, que deixa o PSD. O PSL passa a contar com os deputados Felipe Francischini, que estava no SD; e Missionário Ricardo Arruda, que estava no PEN. O PODEMOS agrega os deputados Rasca Rodrigues, saído do PV, e Fernando Scanavaca, anteriormente no PDT.

A deputada Cantora Mara Lima deixa o PSDB para ingressar no PSC; o deputado Marcio Pauliki sai do PDT e passa ao SD; e Adelino Ribeiro, que sai do PSL, passa a integrar o PRP. De acordo com o presidente da Assembleia, deputado Ademar Traiano (PSDB), as composições deverão definir um novo panorama político, com naturais repercussões no Parlamento estadual. “A gente sente que teremos um novo momento dentro da Casa”, afirmou.

Janela partidária – A chamada “janela partidária” é o período de 30 dias (encerrado neste ano no último dia 6) que dá aos parlamentares que desejem se candidatar às próximas eleições a possibilidade de mudar de partido sem prejuízo dos respectivos mandatos. A Reforma Eleitoral de 2015 (Lei nº 13.165/2015) incorporou à legislação essa possibilidade de desfiliação. O dispositivo garante que os detentores de mandato eletivo em cargos proporcionais podem trocar de legenda nos 30 dias anteriores ao último dia previsto para a filiação partidária, que ocorre seis meses antes do pleito.

ALEP

Renda do paranaense aumentou em 2017, mostra pesquisa do IBGE

16/04/2018 09:590 comments
Renda do paranaense aumentou em 2017, mostra pesquisa do IBGE

Enquanto a renda do brasileiro caiu, a do paranaense teve aumento em 2017. O rendimento médio per capita domiciliar mensal ficou em R$ 1.476 – superior em 2,2% ao registrado em 2016 (R$ 1.444) no Paraná. No Brasil, o rendimento médio em 2017 foi de R$ 1.271 – valor 1,1% menor do que no ano anterior (R$ 1.285).

Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O rendimento per capita domiciliar inclui todas as rendas recebidas, do trabalho, da previdência e de aplicações e investimentos. A variação apurada pelo instituto é real, já descontada a inflação no período.

“A crise econômica e a retração no mercado de trabalho nos últimos anos fizeram encolher a renda do brasileiro. Mas no Paraná a situação é melhor, com uma recuperação mais acelerada da crise econômica”, diz Julio Suzuki, diretor-presidente do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes).

OUTROS ESTADOS – De acordo Suzuki Junior, o fato de a economia estadual ter crescido mais do que a do Brasil no ano passado fez diferença no bolso da população. Em 2017, o Produto Interno Bruto (PIB) do Paraná teve avanço de 2,5%, contra 1% da economia brasileira. O Paraná também aumentou a diferença de renda com o restante do País. Em média, o paranaense ganhava 16,1% mais do que a média do País em 2017. No ano anterior, essa diferença era menor, de 12,4%.

DESIGUALDADE – O levantamento também revela uma condição melhor do Paraná quando o assunto é desigualdade. A massa de rendimentos no Paraná no ano passado foi de R$ 16,69 bilhões. Desses, a parcela dos 10% mais ricos respondeu por 38,9%. Os 10% mais pobres participaram com 1,3%.

No Brasil, a desigualdade entre mais ricos e mais pobres é maior. Do total de R$ 263,08 bilhões da massa de rendimentos mensais no País, os 10% mais ricos detinham, no ano passado, 43,3%. Os 10% mais pobres ficaram com uma parcela de apenas 0,7% desse total.

“Ainda que essa desigualdade não seja desejável, ela é menor no Paraná, o que mostra uma condição de renda mais favorável aqui do que em outras partes do Brasil”, diz Suzuki Júnior. Também houve redução da participação dos 1% mais ricos na massa de rendimentos no Paraná – de 10,4% para 10,1%.

Agência Estadual de Notícias

Governo e Copel vão negociar com a CEF volta das lotéricas

13/04/2018 09:080 comments
A governadora Cida Borghetti e o presidente da Copel, Jonel Iurk, vão se reunir com a diretoria da Caixa Econômica Federal na próxima semana para discutir o rompimento do contrato pelo banco com a Copel. Por determinação da governadora, a reunião foi marcada pela Copel com o objetivo de retomar a negociação sobre o reajuste pedido pela Caixa para manter as casas lotéricas como agente arrecadador da fatura de energia.
Curitiba, 12/04/2018.
Foto: Jaelson Lucas/ANPr

A governadora Cida Borghetti e o presidente da Copel, Jonel Iurk, vão se reunir com a diretoria da Caixa Econômica Federal na próxima semana para discutir o rompimento do contrato pelo banco com a Copel. Por determinação da governadora, a reunião foi marcada pela Copel com o objetivo de retomar a negociação sobre o reajuste pedido pela Caixa para manter as casas lotéricas como agente arrecadador da fatura de energia.

A Caixa Econômica rescindiu, unilateralmente, o convênio que mantinha com a empresa para pagamento das contas de luz nas lotéricas. De praxe no mercado, as empresas pagam uma taxa por fatura para que os bancos aceitem o pagamento.

O contrato da Copel com a Caixa Econômica foi renovado em janeiro, com reajuste com base no IGPM conforme previsto em cláusula contratual, e possui vigência até janeiro de 2019. No entanto, em fevereiro o banco reivindicou um reajuste de 47% nesta taxa.

REDE ALTERNATIVA – A Copel possui rede credenciada para pagamento da fatura de energia elétrica em todas as cidades em que presta serviços. Ao todo, são 2.181 pontos de pagamento em 11 bancos credenciados e em 826 agentes  arrecadadores em todo Paraná e Porto União, em Santa Catarina.

Além disto, a Copel possui parceria com o Detran, por meio da qual é possível pagar a fatura com cartão de débito em 173 totens da entidade.

A Copel está fazendo esforços para aumentar a rede arrecadadora. A empresa já está negociando com setores varejistas para aumentar a rede de arrecadação, e até o final deste mês deve ampliar as opções de locais de pagamento.

A lista de toda a rede credenciada para pagamento da fatura de energia pode ser encontrada no site da Copel, no link “Como pagar sua conta”.

DÉBITO AUTOMÁTICO – É importante ressaltar que os consumidores também podem pagar a fatura no banco que possuem conta-corrente. O consumidor pode colocar a fatura em débito em conta-corrente. É uma forma mais segura de pagar a conta, já que a fatura da Copel é confiável.

– Curitiba possui 55 locais para pagamento da fatura, entre agentes arrecadadores e bancos credenciados à Copel.

– Londrina possui 20 locais para pagamento da conta, entre agentes arrecadadores e bancos credenciados à Copel.

– Maringá possui 17 locais para pagamento da conta, entre agentes arrecadadores e bancos credenciados à Copel.

Paraná tem pela primeira vez mulher no comando do Estado

10/04/2018 08:590 comments
Cida Borghetti assume o Governo do Estado do Paraná.
Curitiba, 06/04/2018.
Foto: Orlando Kissner/ANPr

Cida Borguetti, 53 anos, que foi duas vezes deputada e atuou também na Câmara Federal, tornou-se nesta sexta-feira (06) a primeira mulher a ocupar o cargo de governadora do Paraná. Formada em Administração Pública, ela passa a comandar um estado com 11 milhões de habitantes, 399 municípios e que movimenta um Produto Interno Bruto (PIB) de R$ 415,7 bilhões.

Cida Borghetti assume o Governo do Estado do Paraná. Foto: Orlando Kissner/ANPr

“Me sinto honrada. Estou bem consciente das expectativas que acompanham essa missão”, afirmou ela na solenidade de posse, no Palácio Iguaçu, em Curitiba. No Brasil, apenas outras dez mulheres ocuparam cargos de governadoras do Estado. No Paraná, antes de Cida, Emília Belinati ocupou o cargo, mas interinamente.

Já no momento da posse, Cida anunciou duas mulheres para ocupar cargos no seu governo. A coronel Audilene Rosa de Paula Dias Rocha, que já ocupava de forma pioneira a função de chefe do estado- maior da Polícia Militar do Paraná, se torna agora a primeira mulher no Comando-Geral da corporação. A chefia de gabinete do Governo do Estado passa a ser ocupada por Lucilia Dias, que exercia essa mesma função na vice-governadoria.

MAIORIA NO ESTADO – No Paraná, a participação feminina vem aumentando na administração pública. Hoje, as mulheres representam 59,13% do número total de servidores estaduais, sendo a secretaria de Educação a pasta que abriga a maior parcela: dos 83 mil servidores, 79,52% são mulheres. A segurança é ainda a área com menos mulheres no quadro, são 4.975 servidoras.

Já há mulheres ocupando cargos até então dominados por homens. Além da coronel Adilene, a policial civil Bruna Roberta Mayer, 33 anos é a primeira mulher operadora aerotática e membro do Grupamento de Operações (GOA) da Polícia Civil, grupo de elite da divisão estadual de narcóticos. Desde a criação, em 2016, tinha apenas homens na equipe.

Para a coordenadora da Política da Mulher da Secretaria da Família e Desenvolvimento Social Ana Claudia Cordeiro, exemplos como o de Bruna e da coronel Audilene motivam outras mulheres a seguirem o mesmo caminho. “Demonstram que atributos como o preparo técnico, a dedicação e o conhecimento determinam o sucesso profissional, não limitando esse resultado a uma questão de gênero”, afirmou.

Cida pauta gestão pelo rigor técnico, disciplina e responsabilidade

09/04/2018 09:110 comments
Cida Borghetti assume o Governo do Estado do Paraná.
Curitiba, 06/04/2018.
Foto: Orlando Kissner/ANPr

A governadora Cida Borghetti tomou posse nesta sexta-feira, 06, e reforçou que vai administrar o Estado com harmonia, unidade e humildade. Ela disse que a condução do governo será pautada pelo rigor técnico, a disciplina legal, a responsabilidade fiscal, honestidade intelectual e a idoneidade moral. “Com esta diretriz, todo o resto se torna mais fácil para quem faz e transparente para a sociedade”, sustentou.

Cida Borghetti assume o Governo do Estado do Paraná.
Curitiba, 06/04/2018.
Foto: Orlando Kissner/ANPr

Primeira mulher a ocupar o Governo do Estado, Cida disse, que a tarefa é dar continuidade e aperfeiçoar as ações da gestão. “Trabalhamos muito para transformar o Paraná e vamos buscar os melhores índices de prestação de serviços e indicadores de governança”, disse ela. “Estamos no meio de um trabalho, não no fim”, afirmou ela na solenidade de transmissão do cargo, realizada no saguão principal do Palácio Iguaçu, em Curitiba, e que reuniu mais de 2,5 mil pessoas.

No seu primeiro pronunciamento como chefe do Poder Executivo do Paraná, Cida reafirmou compromissos assumidos em 2014, como vice-governadora da gestão de Beto Richa, e destacou metas de governo. “Estou bem consciente das expectativas que acompanham minha posse como primeira mulher a governar o Paraná. Por isso, reafirmo o compromisso de manter, continuar e aperfeiçoar tudo o que o Paraná tem, e de construir o que ainda não tem”, declarou.

Ela ressaltou que fará uma gestão municipalista e pautada pelo apoio mútuo entre governo e sociedade. “Vamos administrar buscando o equilíbrio para cada demanda e cada situação. O bom governo é aquele que exerce a autoridade com celeridade, justiça e responsabilidade”, disse. “Reafirmo o compromisso de realizar um governo municipalista, focado no apoio a todas as cidades, porque é lá que as pessoas vivem”.

RECONHECIMENTO – O Paraná, disse Cida, é hoje um exemplo para o País, pelas finanças equilibradas e contas em dia. Ela afirmou que, a exemplo de seu antecessor, as medidas continuarão em vigor no Estado. “Beto Richa teve atitude de estadista ao colocar o futuro do Paraná acima dos interesses pessoais e políticos. Sabemos que há muito a ser feito e que sempre haverá espaço para melhorar o que já foi feito”, afirmou Cida.

SEGURANÇA – Para o prefeito de Fazenda Rio Grande, Márcio Wosniak, a mudança de governo se dá de forma tranquila para o Estado. “O Paraná está em seu melhor momento e a governadora contribuiu com a tomada de decisões que levou o Estado a esse patamar. Os municípios estão seguros quanto a continuidade do bom trabalho”, disse.

O sentimento é compartilhado pelo prefeito de Barra do Jacaré. “Um governo não é possível sem um vice e a Cida Borghetti sempre esteve presente nos municípios. Temos certeza de que os projetos serão continuados e aprimorados”, afirmou.

SECRETARIADO – Na solenidade de posse foram nomeados novos secretários de Estado. Silvio Barros fica à frente da Secretaria do Desenvolvimento Urbano e assume interinamente a chefia da Casa Civil. A chefia de gabinete será ocupada por Lucília Felicidade Dias. A Secretaria da Saúde será ocupada por Antônio Carlos Nardi.

A coronel Audilene Rosa de Paula Dias assume o Comando-Geral da Polícia Militar, substituindo ao coronel Maurício Tortato, que passa a chefiar a Casa Militar. O novo chefe do Estado-Maior será o coronel Elio de Oliveira Manoel.

Beto Richa anuncia renúncia do cargo de Governador do Estado

26/03/2018 15:140 comments
Governador Beto Richa em reuni‹o com secretariado e em coletiva com a imprensa para anœncio da descompatibiliza‹o do cargo ˆ partir de 06 de abril.
Curitiba, 26/03/2018
Foto: Orlando Kissner / ANPr

O governador Beto Richa anunciou nesta segunda-feira, 26, sua descompatibilização do cargo no próximo dia 06 de abril. O comunicado foi feito em reunião administrativa com secretários e gestores de empresas, autarquias e outros órgãos do Estado, no Palácio Iguaçu. A vice-governadora Cida Borghetti assume o Poder Executivo a partir do dia 07 de abril.

AEN/PR

Richa fez um balanço da gestão, salientou o equilíbrio fiscal do Estado e agradeceu o apoio recebido de toda a equipe administrativa e dos deputados estaduais. “Tomo esta decisão com muita tranquilidade. Fizemos, e fizemos bastante”, afirmou. “Hoje, o Paraná dá exemplos ao Brasil. O País reconhece que as medidas adotadas aqui se revelaram muito bem-sucedidas”, disse.

O governador citou evoluções em todas as áreas da administração estadual e reforçou o empenho da gestão para levar obras, programas e serviços aos 399 municípios paranaenses. “Alcançamos incomparáveis avanços. Como não me orgulhar de um governo que garantiu mais qualidade de vida para os paranaenses”, afirmou ele, citando dados que mostram a redução da pobreza e da miséria no Paraná nos últimos sete anos.

“Saio de cabeça erguida, com a certeza de que cumpri a minha obrigação enquanto gestor público. Em todas as áreas, o Paraná merece destaque nacional”, prosseguiu Richa em sua explanação aos membros do governo, sustentando que este reconhecimento vem de instituições internacionais como a agência de classificação de risco Fitch. “O Paraná é um canteiro de obras e um dos estados mais competitivos do País”, disse.

CONTINUIDADE – A vice-governadora Cida Borghetti ressaltou que seu governo, que segue até dia 31 de dezembro, será de continuidade. “O Paraná tem uma gestão pública eficiente e vamos dar continuidade a ela, ampliar as politicas públicas já existentes e seguir a mesma linha de trabalho”, afirmou. Ele disse que qualquer mudança de nomes do primeiro escalão será discutida com o governador Beto Richa.

Agência Estadual de Notícias

Região passa a contar com Serviço Aeromédico de Emergência

20/03/2018 09:030 comments
Região passa a contar com Serviço Aeromédico de Emergência

Jaguariaíva – Nesta segunda-feira, 19, ocorreu em Ponta Grossa, com a presença do Governador Beto Richa, a entrega do helicóptero ao Samu Regional, para realização de serviço aeromédico de emergência.

Presente na solenidade, o prefeito de Jaguariaíva e presidente da Associação dos Municípios dos Campos Gerais, José Sloboda, comemorou a concretização do projeto, que também marca o início da implantação do Samu Regional, que contará ainda com 32 ambulâncias e atenderá aos municípios dos Campos Gerais.

“A implantação do SAMU Regional é uma bandeira da AMCG, desde o ano passado. O início das operações do helicóptero trará suporte ao atendimento de urgência e emergência em todos os municípios da região e será fundamental para salvar vidas”, diz Sloboda.

A base do helicóptero fica no Aeroporto Municipal de Ponta Grossa e o serviço atenderá a 57 municípios, num raio de 250 quilômetros. O governador ressaltou que a a aeronave é preparada para o transporte de pacientes e de órgãos para transplante e para resgate de pessoas em situações de urgência e emergência. Além disso, a base será utilizada, também, por helicóptero do Batalhão da Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA), para dar suporte a operações policiais.