Boletim confirma 530 novos casos de dengue no Paraná

10/04/2019 09:280 comments
Aedes Aegipti, mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zica vírus. Foto: Agência Senado/Prefeitura de São Paulo em: http://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2016/02/01/datasenado-quer-ouvir-brasileiros-sobre-multa-a-quem-nao-colabora-na-luta-contra-aedes-aegypti

A Secretaria de Estado da Saúde confirmou 530 novos casos de dengue no Estado, conforme o boletim divulgado nesta terça-feira (9). O balanço desta semana indica o total de 2.553 casos da doença, contra 2.023 na semana anterior.

Aedes Aegypti, mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus. Foto: Agência Senado

Também foi confirmada uma morte por dengue em Cascavel – uma mulher de 80 anos, portadora de hipertensão arterial e diabetes, que contraiu a doença na cidade onde residia. Agora, são três mortes causadas pela doença no Estado. Os outros dois casos foram registrados em Londrina, em pessoas que moravam no município.

O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, destaca que a dengue é enfrentada com ações em parceia com os municípios e com apoio de todas as Regionais de Saúde. “Nossa mobilização é permanente, com atividades de orientação de combate ao mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zíka vírus em todas as cidades. Mas, precisamos da ajuda da população para a eliminação de focos, mantendo os quintais e terrenos limpos, sem lixo acumulado e sem recipientes com água parada”, alerta.

A médica veterinária da Secretaria da Saúde, Ivana Belmonte, explica que além da remoção de criadouros, um trabalho mais aprofundado é feito nos municípios. “Diante dos casos notificados, as equipes de Vigilância fazem a busca ativa por focos e criadouros em um raio de nove quarteirões do local de contaminação”.
O Paraná também registrou o primeiro caso autóctone de Zika Vírus, em São José dos Pinhais. Um homem, de 37 anos, contraiu a forma leve da doença e passa bem.
INCIDÊNCIA – A incidência da dengue no Estado é de 21,74 casos por 100 mil habitantes. O Ministério da Saúde classifica como baixa incidência quando o número de casos autóctones é menor do que 100 por 100 mil habitantes.
Os municípios com maior incidência de dengue são: Japurá, Francisco Alves, Lupionópolis, Uraí, Santa Mariana, Itambé, Rancho Alegre, Leópolis, Abatiá, Cafeara, Moreira Sales e Santo Antônio do Paraíso.
Seguem em risco de epidemia 78 municípios e 117 estão em estado de alerta.

AEN/PR

Aumentam os casos de dengue no Paraná

03/04/2019 09:390 comments
Aumentam os casos de dengue no Paraná

A Secretaria de Estado da Saúde anunciou nesta terça-feira (02) o aumento de casos de dengue no Paraná com 2.023 casos confirmados, contra 1.522 da semana passada. O aumento é de 501 casos registrados.

Dos casos confirmados, 1.926 são autóctones, adquiridos no município de origem, e 97 são “importados”, ou seja, as pessoas contraíram a doença fora da cidade onde residem.

Foto: Divulgação SESA

“O combate ao mosquito transmissor da dengue segue em todas as regiões. A Secretaria está ampliando a vigilância para a eliminação de focos e criadouros do Aedes aegypti. Estamos nos reunindo com prefeitos para a definição de estratégias diferenciadas para os municípios”, afirmou o secretário Beto Preto.

Além do fumacê, reuniões com moradores para orientações e mutirões de limpeza, as equipes da Secretaria estendem a busca em cisternas e fossas abandonadas.

As condições de infestação no Paraná atingem 82,45%, com ocorrências em 329 municípios. O Laboratório de Climatologia da Universidade Federal do Paraná informa que o período do outono ainda continua favorável à proliferação no mosquito.

Dez municípios estão em situação de epidemia: Lupionópolis, Francisco Alves, Uraí, Japurá, Itambé, Santa Mariana, Rancho Alegre, Cafeara, Moreira Sales e Santo Antônio do Paraíso.

Em situação de alerta para a dengue estão as cidades de Abatiá, Alvorada do Sul, Anahí, Leópolis, Capanema, Andirá e Nova Londrina.

MONITORAMENTO NACIONAL – Municípios do Paraná concluíram levantamento sobre o índice de infestação do Aedes aegypti para o Ministério da Saúde. Os dados serão usados como base para novas estratégias. Segundo Ivana Belmonte, da Vigilância Ambiental da Secretaria da Saúde, a pesquisa apresenta 78 municípios com índice maior que 4%, o que significa que em cada 100 imóveis visitados 4 apresentaram focos ou criadouros do mosquito.

RECOMENDAÇÕES – A dengue é uma doença infecciosa causada por um vírus transmitido pela picada do Aedes aegypti, mosquito que se prolifera em depósitos de água parada e lixo acumulado.

O Aedes aegypti também é transmissor da chikungunya, com 343 notificações e 7 casos confirmados no estado, e da Zika, com 171 notificações e 2 casos confirmados.

AEN/PR

Paraná lidera ranking de saúde financeira das contas públicas

26/03/2019 09:130 comments
Paraná lidera ranking de saúde financeira das contas públicas

O Paraná lidera o ranking nacional de saúde financeira das contas públicas ao lado do Pará. O Estado atingiu 289 pontos na soma de dez indicadores e é classificado como muito bem gerenciado. A situação facilita o desenvolvimento de políticas públicas e possibilita investimentos em função da credibilidade da gestão dos recursos públicos.

O índice calculado pela RC Consultores, do economista Paulo Rabello de Castro, é usado como termômetro para o mercado. O trabalho divulgado pelo jornal Valor Econômico nesta segunda-feira (25) mostra que o Paraná e o Pará alcançaram o topo do ranking por já terem equacionado questões como endividamento e gastos com pessoal.

No índice que compara a receita disponível com a receita corrente líquida (RCL), o Paraná aparece em terceiro, atrás apenas do Distrito Federal e Ceará. Quanto mais próximas são as receitas, maior tende a ser a folga financeira do Estado. O Distrito Federal é a unidade da federação com o percentual mais elevado: 88%. No caso do Paraná, a relação é de 84%. No Rio de Janeiro, por exemplo, apenas 56% da RCL está efetivamente disponível. Em Minas, o índice está em 49%.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior afirma que o levantamento reforça a importância das medidas de austeridade anunciadas desde o início do ano para a economia de recursos públicos. Ele também ressalta que o reconhecimento do mercado mostra que o Paraná é uma boa opção para investidores.

“Vamos consolidar a política de parcerias público-privadas do Paraná, que tem a legislação mais atual do País, para atrair investimentos na modernização da nossa infraestrutura. Queremos dar mais competitividade a toda a nossa produção e fomentar o nosso turismo”, afirma o governador.

PLANO DE METAS – Para potencializar ainda mais o Paraná, o Governo do Estado prepara um programa de investimentos públicos que soma R$ 40 bilhões no período de cinco anos. Com isso, a administração estadual projeta um crescimento anual da economia na faixa de 4% e a geração de 500 mil novos postos de trabalho até 2023.

Os instrumentos para realizar esses objetivos fazem parte do projeto de lei de Eficiência na Gestão do Estado (LEGE), que estabelece os princípios e normas de gestão administrativa e de finanças públicas do Estado. O texto será encaminhado para a Assembleia Legislativa nesta semana. “Aqui no Paraná a eficiência será lei”, afirmou o governador.

REFORMA ADMINISTRATIVA – Ratinho Junior lembra que a primeira medida da gestão foi efetivar o corte de secretarias, de 28 para 15 – uma redução de 47%. O governo encaminhou projeto de reforma administrativa para a Assembleia Legislativa prevendo uma economia de pelo menos R$ 10,6 milhões com a redução de estruturas e cargos comissionados e funções gratificadas.

A reforma administrativa se divide em três etapas que, quando concluídas, devem reduzir gastos administrativos em mais de R$ 30 milhões por ano. A segunda fase vai tratar da junção de autarquias e empresas que atuam num mesmo segmento. A terceira será a reorganização da ocupação e potencialização do uso das estruturas físicas do Estado.

Outro ato importante foi o congelamento do salário do governador e dos secretários. Por lei, haveria um aumento automático nos vencimentos do grupo, já que a legislação estadual estabelece vínculo direto com a remuneração dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), que receberam reajuste de 16%. Neste caso, o Estado deixará de gastar R$ 7,2 milhões por ano.

Com foco na austeridade, e responsabilidade com o dinheiro público, o governador Carlos Massa Ratinho Junior determinou que todas as secretarias reduzam em 20% os gastos de custeio. A equipe tem até abril para as renegociações de contratos. O corte incluiu a devolução de um jato que ficava à disposição do governador. Com o encerramento do contrato de aluguel, o Estado vai economizar R$ 4,5 milhões.

Outra decisão foi fazer uma auditoria na folha de pessoal para averiguar se todos os pagamentos estão de acordo com a lei. O trabalho será realizado ao longo de 2019. O atual governo também exonerou todos os cargos em comissão e estabeleceu normas rígidas para a nomeação de funções comissionadas.

COMPLIANCE – O governador também propôs instituir por lei o programa de Integridade e Compliance em todos os órgãos da administração direta e indireta do Executivo. Trata-se da primeira iniciativa de um Estado brasileiro de adoção de mecanismos de controle e conformidade com leis e regulamentos em todas as áreas da administração pública.

Além de reforçar o compromisso da gestão com a ética e a transparência, as normas darão legitimidade aos atos da equipe de governo e demais servidores públicos, de forma que o dinheiro público seja bem aplicado. O trabalho é desenvolvido pela Controladoria-Geral, reforçando o trabalho de controle interno nos demais órgãos estaduais.

AEN/PR

Governador anuncia isenção de impostos para carros elétricos

22/03/2019 09:140 comments
O governador Carlos Massa Ratinho Junior assinou nesta quinta-feira (21), durante o evento internacional Smart City Expo Curitiba, um projeto de lei propondo zerar a alíquota de IPVA de veículos elétricos, que hoje é de 3,5%. Ele também vai apresentar uma proposta de convênio ao Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) para que o Estado também possa isentar o ICMS para a aquisição desses veículos.  -  Curitiba, 21/03/2019  -  Foto: Rodrigo Félix Leal/ANPr

O Paraná será o primeiro estado brasileiro a conceder incentivo fiscal para estimular a produção e o uso de carros elétricos. O governador Carlos Massa Ratinho Junior assinou nesta quinta-feira (21), durante o evento internacional Smart City Expo Curitiba, um projeto de lei propondo zerar a alíquota de IPVA de veículos elétricos, que hoje é de 3,5%. Ele também vai apresentar uma proposta de convênio ao Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) para que o Estado também possa isentar o ICMS para a aquisição desses veículos.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior assinou nesta quinta-feira (21), durante o evento internacional Smart City Expo Curitiba, um projeto de lei propondo zerar a alíquota de IPVA de veículos elétricos, que hoje é de 3,5%. Ele também vai apresentar uma proposta de convênio ao Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) para que o Estado também possa isentar o ICMS para a aquisição desses veículos. – Curitiba, 21/03/2019 – Foto: Rodrigo Félix Leal/ANPr

Ratinho Junior afirmou que o Paraná sai na frente no incentivo ao uso de energia limpa para o transporte. “O Paraná será o primeiro estado a isentar o IPVA de carros movidos à energia elétrica, além de buscar com o Confaz, que autoriza as isenções fiscais, a possibilidade de também zerar o ICMS desses carros”, disse. “A ideia é diminuir cada vez mais o preço dos veículos elétricos e torná-los mais acessíveis à população”, afirmou no evento, que reúne mais de 6 mil pessoas, de 80 cidades brasileiras e de 25 cidades do exterior.

A ideia, ressaltou o governador, é diminuir o uso de automóveis movidos à combustão, que são mais poluentes. “Estamos trabalhando antenados naquilo que o mundo vem fazendo. A busca de soluções sustentáveis é uma realidade com o uso de carros que poluem menos”, enfatizou.

ELETROVIA – O Paraná já tem uma eletrovia, que é mantida pela Copel. São oito eletropostos na BR-277, ligando Paranaguá, no Litoral, a Foz do Iguaçu, no Oeste do Estado. “A Copel faz parte desse processo porque acredita que este é o futuro da mobilidade urbana, não só para os carros de passeio, mas também no transporte público”, afirmou o presidente da companhia, Daniel Pimentel Slaviero. “Temos um trabalho inovador, de termos implantado a maior eletrovia do país, ligando Paranaguá a Foz do Iguaçu, e hoje a iniciativa do governo é fomentar a produção e a utilização dos veículos elétricos”, disse ele.

A rede que garante a recarga gratuita para carros elétricos foi apresentada pela empresa no Smart City Curitiba Expo. Esta é a segunda edição brasileira do maior evento de cidades inteligentes do mundo, que acontece até esta sexta-feira (22).

Além da Copel, a Sanepar e a Celepar também apresentam novidades tecnológicas na exposição, que é chancelada pela FIRA Barcelona, organizadora do evento mundial Smart City Expo World Congress. “O Paraná trabalha para ser o estado mais inovador do Brasil, para aplicar tudo aquilo que existe em termos de inovação na gestão pública”, afirmou o vice-governador Darci Piana, que participou da abertura do evento.

SMART CITY – Quatro temáticas principais são discutidas durante o evento: viabilizando tecnologias para cidades inteligentes; governança em cidades digitais; cidades criativas, sustentáveis e humanas; e planejando cidades inovadoras e inclusivas. O evento é organizado pela iCities, empresa curitibana especializada em soluções para smart cities, em parceria com a prefeitura e o Vale do Pinhão.

O prefeito de Curitiba, Rafael Greca, lembrou que a capital sempre foi reconhecida pela inovação, o que levou a cidade a sediar o evento brasileiro. “Queremos evoluir cada vez mais. Ser escolhidos para sediar essa feira nos distingue como cidade que investe na inovação”, disse. “Temos parcerias com os governos estadual e federal na área. Mas queremos principalmente que o nosso povo seja inteligente, por isso buscamos novas opções, como o aplicativo Curitiba, que será lançado no aniversário da cidade, na semana que vem”, explicou.

A área de exposição conta com 35 empresas dos setores público e privado, exibindo soluções e inovações em áreas como iluminação pública, segurança, educação, saúde, saneamento básico, trânsito e urbanismo, além de mais de 80 especialistas e a participação de startups de Curitiba e região. Representantes das estatais paranaenses também participam de discussões sobre inovação e tecnologia no setor público.

Ricardo Zapatero, CEO da FIRA Barcelona, afirmou que os setores públicos e privados devem trabalhar juntos para construir cidades inteligentes. “O evento traz ao alcance de todos as novidades tecnológicas para o planejamento das cidades, como se pensam cidades inteligentes para melhorar a vida da população”, disse. “É muito importante a colaboração entre as administrações públicas e a iniciativa privada para buscar soluções e aportar a tecnologia”, afirmou.

PRESENÇAS – Participaram da solenidade o presidente da Frente Nacional de Prefeitos, Jonas Donizette, prefeito de Campinas; o diretor de novos negócios do iCities, Roberto Marcelino; e os deputados estaduais Emerson Bacil e Homero Marchese.

AEN/PR

Ex-governador Beto Richa é preso pela terceira vez

19/03/2019 10:210 comments
Foto: Arnaldo Alves / ANPr.

O ex-governador do Paraná Beto Richa foi preso, pela terceira vez, na manhã de hoje (19). A ação é do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Paraná. De acordo com a assessoria do MP, no âmbito da Operação Quadro Negro, foram presos também Ezequias Moreira e Jorge Atherino. A operação apura desvios de recursos destinados à construção de escolas no Paraná.

Foto: Arnaldo Alves / ANPr.

Foram cumpridos mandados de busca e apreensão na residência dos três investigados e em duas casas de veraneio do ex-governador, localizadas em Matinhos (PR) e em Porto Belo (SC).

Mais informações devem ser divulgadas em coletiva de imprensa marcada para as 10h.

Investigações

Iniciada em agosto de 2015, a Operação Quadro Negro investiga casos de corrupção ativa, peculato e desvios de verbas públicas ocorridos no âmbito da Secretaria de Estado da Educação, especificamente por meio da Superintendência de Desenvolvimento Educacional, entre os anos de 2012 e 2015.

As investigações, segundo o Ministério Público do Paraná, demonstram o conluio entre agentes públicos e privados para fraudar laudos de medições e viabilizar o pagamento antecipado de obras de construção, reforma ou ampliação de escolas sem a real execução das obras contratadas.

Governo prepara plano que prevê R$ 40 bilhões em investimentos e 500 mil empregos

18/03/2019 17:300 comments
Almoço e apresentação do plano de metas do governo,com governador Carlos Massa Ratinho Jr , bancada federal, senadores e Paulo Rabello.
Foto de Gilson Abreu/ANPr

O Paraná deve receber um programa de investimentos que soma R$ 40 bilhões no período de cinco anos. Com isso, o Governo do Estado projeta um crescimento anual da economia na faixa de 4% e a geração de 500 mil novos postos de trabalho até 2023.

Almoço e apresentação do plano de metas do governo,com governador Carlos Massa Ratinho Jr , bancada federal, senadores e Paulo Rabello. Foto de Gilson Abreu/ANPr

Os instrumentos para realizar esses objetivos fazem parte do projeto de lei de Eficiência na Gestão do Estado (LEGE), que foi apresentado nesta segunda-feira (18) pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior para a bancada federal do Paraná, no Palácio Iguaçu.

O anteprojeto, que estabelece as diretrizes e as ferramentas de gestão para um planejamento de longo prazo do Estado, também foi apresentado aos deputados estaduais e o texto final será protocolado na Assembleia Legislativa na próxima semana.

Na sequência, o Governo do Estado enviará o plano de longo prazo, com as metas para o desenvolvimento econômico e social do Paraná pelos próximos 20 anos. “Aqui no Paraná a eficiência será lei”, afirmou o governador.

Os R$ 40 bilhões previstos estão apoiados em recursos públicos e privados. Do total, R$ 26 bilhões virão do tesouro estadual. O restante deverá ser aplicado por meio de parcerias público-privadas (PPPs). Ratinho Junior destacou a importância da parceria dos deputados federais e senadores paranaenses.

“Temos desafios que vão passar por Brasília, principalmente para alavancar recursos para o grande pacote de projetos que estamos preparando”, disse.

LEGE – Lei Complementar, a LEGE estabelecerá os princípios e normas de gestão administrativa e de finanças públicas do Estado. O texto irá apontar mecanismos prudenciais de avaliação de controle das ações e políticas do governo. Também determinará medidas para se alcançar e manter o equilíbrio das contas públicas e o alinhamento do Plano Plurianual, da Lei de Diretrizes Orçamentárias e da Lei Orçamentária Anual, com metas estabelecidas no planejamento de longo prazo do Estado.

A elaboração da lei contou com o apoio do economista Paulo Rabello de Castro, chamado por Ratinho Junior no ano passado, logo após as eleições, para construir métricas e metas para o governo paranaense. Ex-presidente do IBGE e do BNDES, Rabello destacou a situação privilegiada do Estado.

EQUILÍBRIO – “Ao contrário da maioria (dos Estados), o Paraná não está quebrado. Está equilibrado, e em breve terá uma lei de eficiência, com metas superiores, inclusive, à Lei de Responsabilidade Fiscal”, afirmou.

Rabello também citou ranking preparado por ele que aponta o Paraná e o Pará como os estados que mais pontuam em termos de equilíbrio financeiro e fiscal em todos os aspectos. Segundo o economista, essa condição, acrescida da aprovação da lei da eficiência, vai ajudar a ampliar ainda mais os investimentos no Estado.

A expectativa é que o Paraná receba mais cerca de R$ 40 bilhões da iniciativa privada na ampliação ou instalação de negócios no Estado. “É um círculo virtuoso de prosperidade”, define o economista. “Acreditamos que o setor privado, olhando para um governo que planeja investir R$ 40 bilhões vai se sentir motivado a vir para cá.”

LONGO PRAZO – “Precisamos ter um olhar para o futuro, temos muitas demandas diárias, mas é necessário que tenhamos um instrumento para medir as ações do governo, como se gasta o dinheiro público”, ressaltou Guto Silva, Chefe da Casa Civil, que coordena a redação final da lei que será encaminhada à Assembleia Legislativa.

“Esta será uma lei moderna, inovadora, para que o Estado possa, através de métricas, acompanhar seu próprio desempenho e verificar se o recurso está sendo gasto com equilíbrio, eficiência e, sobretudo, se tem gerado resultado para a população do Paraná”, completou.

Segundo o líder do governo no Legislativo estadual, Hussein Bakri, debater antecipadamente os projetos estruturantes com os deputados é o espírito desta gestão. “Em projetos que tenham esse impacto, queremos a participação de todos os deputados, não importa o partido ou corrente”, disse.

BANCADA – A bancada federal também aprovou a iniciativa de reunir deputados e senadores para uma apresentação prévia do projeto. Para o senador Oriovisto Guimarães, a atividade parlamentar em Brasília fica melhor com o alinhamento e orientação do governo do Estado. “Além do orçamento do Estado, das emendas impositivas, fundos de participação, o Paraná também tem interesse em programas dos ministérios, transferências voluntárias e, nesse momento, a bancada é fundamental”, disse.

O deputado federal Aroldo Martins também aprovou a abertura do governo. “Essa reunião demonstra a seriedade da administração estadual, que entende que a bancada paranaense é suprapartidária e que todos devem ser ouvidos e podem colaborar”, afirmou.

A reunião com a bancada paranaense contou com a presença dos deputados federais Toninho Wandscheer, Paulo Martins, Christiane Yared, Zeca Dirceu, José Carlos Schiavinato, Leandre, Luciano Ducci, Luiz Nishimori, Sérgio Souza, Ricardo Barros e Stephanes Junior, e os senadores Flávio Arns e Oriovisto Guimarães.

AEN/PR

Cresce o número de casos de dengue no Paraná

13/03/2019 09:340 comments
Cresce o número de casos de dengue no Paraná

Em uma semana, os casos de dengue confirmados no Paraná passaram de 798 para 962. O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, lembra que o Governo do Estado, junto com os municípios, vem intensificando os trabalhos de combate ao mosquito transmissor da doença. “No entanto, reafirmamos a importância do envolvimento da população nesse trabalho”, enfatiza o secretário.

Os casos autóctones (contaminação no próprio município) aumentaram de 740 para 896 e os importados passaram de 58 para 66.

Seis municípios paranaenses estão em alerta de epidemia, quatro a mais que na última semana epidemiológica – Itambé, Moreira Sales, Rancho Alegre, Santa Mariana, Nova Londrina e Capanema.

“A Secretaria da Saúde está atenta e apoiando os municípios nas ações de combate ao Aedes Aegypti. Ainda temos um período de transmissão que deve seguir até maio, exigindo muito cuidado por parte da população”, explica a médica veterinária Ivana Belmonte, da Vigilância Ambiental da Secretaria de Saúde.

PRIMEIROS CASOS – Cinco municípios apresentaram nesta semana seus primeiros casos autóctones de dengue, o que confirma a circulação local do vírus – Catanduvas, Cruzeiro do Sul, Nova Londrina, Santo Antonio do Caiuá e São João do Caiuá.

CUIDADOS – A população deve limpar os quintais todas as semanas, para evitar acúmulo de lixo que possa juntar água. Vasos de plantas também podem conter ovos ou larvas de mosquitos.

Os criadouros estão em qualquer acúmulo de água parada, por menor que seja, até em tampinhas de garrafa. Mas são encontrados com maior frequência em lixo, como resíduos plásticos, espalhados pelas ruas. É preciso atuar ativamente mantendo quintais limpos, sem acúmulo de lixo, pneus, garrafas, por exemplo; calhas, marquises e ralos.

Os pratos das plantas podem ser completados com areia grossa até as bordas ou ser lavados com água, bucha e sabão todas as semanas, para eliminar ovos do mosquito. Locais de armazenamento de água devem ser mantidos com tampas.

AEN/PR

Saúde pleiteia aumento das doses de vacina contra meningite

07/03/2019 09:090 comments
Vacinação  -  
Foto:Venilton Küchler

A Secretaria de Estado da Saúde está pleiteando junto ao Ministério da Saúde o aumento no número de doses da vacina contra a meningite, que está em falta em alguns municípios do Paraná. Emergencialmente, a secretaria fez o remanejamento dos estoques entre as várias Regionais de Saúde para evitar o desabastecimento, na medida do possível.

Vacinação –
Foto:Venilton Küchler

“Desde que o novo governo assumiu, detectamos a falta em alguns locais e acionamos o ministério imediatamente, mas ainda não temos uma posição oficial”, disse o secretário da Saúde, Beto Preto.

A região de Francisco Beltrão, um dos locais onde falta a vacina, registrou a morte de um adolescente de Pérola do Oeste que estudava em Capanema. O rapaz, de 16 anos, estava desde 1º de março no Hospital Regional do Sudoeste e morreu no dia 5.

Ainda não é possível saber o tipo de meningite, que está em análise no Laboratório Central do Estado (Lacen), mas a regional e o município tomaram as providências para proteger as pessoas que tiveram contato com o rapaz.

De acordo com a secretaria, o Paraná, assim como outros estados, está recebendo doses em quantidades insuficientes há mais de um ano. A demanda de meningogócica C conjugada é de 88 mil doses/mês e o ministério envia uma média de 66 mil, portanto, bem abaixo do necessário.

O secretário alerta que outros cuidados, além da vacinação, podem prevenir a meningite. Os principais são higiene, ventilação dos ambientes e não-compartilhamento de objetos.

CALENDÁRIO – As vacinas que fazem parte do calendário oficial são a Meningo C, a Pneumo 10-Valente, a Haemophilus influenzae e a BCG, que imuniza contra formas graves de tuberculose com possibilidades de evoluírem para meningite.

No caso da meningite do tipo B, a vacina não faz parte do calendário definido pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde. Por isso, não está disponível na rede pública.

NÚMEROS – Em 2018, o Paraná teve 1.601 casos de meningite dos mais variados tipos, com 108 mortes. Estes são dados preliminares, assim como os deste ano, quando ocorreram 144 casos com 14 mortes.

A meningite é geralmente causada por uma infecção viral, mas também pode ter origem bacteriana ou fúngica. Além, ainda, por outros microorganismos, como parasitas, ou até por complicações de outras doenças, entre elas o sarampo e a pneumonia. Daí a importância de todas as pessoas estarem com as vacinas em dia, para ficarem imunizadas contra meningite de forma direta e indireta. As vacinas podem prevenir algumas formas de meningite.
A maior ocorrência da meningite está entre as causadas por vírus (60%), que costuma ser a forma benigna, com boa evolução para cura. Outros 30% são causados por bactérias – existem mais de 200 que podem provocar a doença. Elas ocorrem por complicações de outras doenças ou são transmitidas pelo contato entre pessoas. Os 10% restantes são causados por fungos ou protozoários.

Os principais sintomas da meningite são dor de cabeça, rigidez da nuca, febre, convulsão e vômito. Nas crianças abaixo de um ano, observa-se choro persistente e inchaço na moleira. Em alguns casos, o paciente pode também apresentar manchas vermelhas na pele (petequias).

AEN/PR

Paraná registra aumento de casos de dengue grave

08:090 comments
Paraná registra aumento de casos de dengue grave

Como é previsto nesta época do ano, com muita chuva e altas temperaturas, os casos de dengue estão crescendo em todo Estado. Na última semana, mais três municípios entraram em estado de alerta – Rancho Alegre (Centro-Oeste) Santa Mariana (Norte) e Capanema (Sudoeste). Já estavam nesta condição as cidades de Itambé e Moreira Sales. Em situação de epidemia continuam Uraí e Lupionópolis.

A situação é preocupante porque mais doze municípios apresentaram casos autóctones de dengue, ou seja, quando a doença é contraída no próprio local. No total, os casos autóctones aumentaram de 483 para 740, o que significa 53% de aumento, espalhados em 83 municípios. Entre importados e autóctones, o Paraná registra 798 casos de dengue (na última semana eram 536).

“Os números estão dentro da média esperada, porém a doença apresenta mais casos graves”, alerta o secretário estadual da Saúde Beto Preto, que, por isso, reitera a necessidade de uma vigilância efetiva por parte da população. “Mais uma vez pedimos a atenção da população, que pode contribuir, e muito, para amenizar a situação”, diz.

PARCERIA EDUCAÇÃO – Ele destaca, por exemplo, as várias atividades realizadas em parceria com a Secretaria Estadual da Educação e com alguns municípios, que aproveitaram os feriados de Carnaval para fazer um mutirão de conscientização contra a dengue.

Em Japurá, Tapejara, Rancho Alegre d’Oeste, Campina da Lagoa e São Manoel, por exemplo, as crianças fizeram várias atividades alertando para a contaminação da doença, para a qual não existe vacina. Em Moreira Sales, a Escola São José realizou o “Paradão contra a dengue”, quando crianças saíram pelas ruas, acompanhadas de professores, para divulgar os cuidados a serem tomados – limpar as ruas, quintais, virar tampinhas e potes, lavar o recipiente de comida dos cachorros, por exemplo.

CRESCIMENTO – Os casos autóctones apareceram nos municípios de Ampére, Missal, Altônia, Diamante do Norte, Querência do Norte, Lobato, Paranacity, Califórnia, Sertanópolis, Nova América da Colina, Santo Antonio do Paraíso e São Sebastião da Amoreira.

O número de casos graves também aumentou – eles ocorrem em Uraí, Foz do Iguaçu, Londrina e Sertanópolis. Além disso, o número de casos com sinais de alarme passou de 6 para 28; oito deles em estão em Cascavel, os demais em Uraí e Foz do Iguaçu. O Paraná registrou ainda um novo caso de chikungunya na cidade de Foz do Iguaçu, mas trata-se de um caso importado.

CUIDADOS – a população deve limpar os quintais todas as semanas, para evitar acúmulo de lixo que possa juntar água. Vasos de plantas também podem conter ovos ou larvas de mosquitos.

Os criadouros estão em qualquer acúmulo de água parada, por menor que seja; até em tampinhas de garrafa. Mas são encontrados com maior frequência em lixo, como resíduos plásticos, espalhados pelas ruas. É preciso atuar ativamente mantendo quintais limpos, sem acúmulo de lixo, pneus, garrafas, por exemplo; calhas, marquises e ralos.

Os pratos das plantas podem ser completados com areia grossa até as bordas ou ser lavados com água, bucha e sabão todas as semanas, para eliminar ovos do mosquito. Locais de armazenamento de água devem ser mantidos com tampas.

AEN/PR

Relatório mostra queda no número de homicídios no Paraná

27/02/2019 09:560 comments
Foto: Divulgação/AEN-PR

Relatório da Secretaria de Estado da Segurança Pública e Administração Penitenciária mostra queda no número de homicídios dolosos no Paraná. Em 2018 foram 1.955 casos, o menor índice desde 2007, ano em que os dados começaram a ser contabilizados oficialmente. A redução é de 10,6% em comparação a 2017, que registrou 2.187 ocorrências e era até então o menor número do período. Em relação a 2007, o resultado do ano passado representa queda de 26%. A taxa de homicídios por 100 mil habitantes foi de 17,22%.

Foto: Divulgação/AEN-PR

Dos 399 municípios do Paraná, 37% (146) não registraram homicídios entre janeiro e dezembro, e 28% (113) registraram apenas um ou dois homicídios no período. Os números foram divulgados pela Coordenadoria de Análise e Planejamento Estratégico (Cape) da Secretaria da Segurança Pública e Administração Penitenciária, nesta terça-feira (26).

Curitiba registrou 293 homicídios em 2018, uma queda de 21% em relação ao mesmo período do ano anterior. Já na 2ª Área Integrada de Segurança Pública (AISP) de São José dos Pinhais, que compreende 22 municípios da Região Metropolitana de Curitiba, a redução foi de 17,6%. A tendência foi vista também em outras 12 AISP.

“Certamente um dos fatores que contribuíram com a redução da criminalidade no Estado, principalmente dos homicídios, é a integração entre as polícias e todos os outros órgãos que compõem a segurança pública”, afirma o secretário de Estado da Segurança Pública e Administração Penitenciária, Luiz Felipe Carbonell.

“De um lado, a prevenção à criminalidade feita pela Polícia Militar e de outro a investigação criminal feita pela Polícia Civil que se somam ao trabalho da Polícia Científica e outros atores, sempre num todo em prol da comunidade paranaense”, disse ele. A integração é uma orientação do governador, Ratinho Junior, que está empenhado em investir em segurança pública para que os cidadãos de bem do Paraná possam andar tranquilos pelas ruas.”

REGIÕES – De acordo com o relatório, as maiores reduções ocorreram na 20ª Área Integrada de Segurança Pública (AISP) de Londrina (-46%), com cinco municípios; seguida da 11ª AISP de Cascavel (-30%), com 22 cidades; da 19ª AISP de Rolândia (-24%), com 16 municípios; da 18ª AISP de Apucarana (-22,5%), com 26 cidades e da 23ª AISP de Jacarezinho (-21,8%), com 22 municípios da região.

OPERAÇÕES CONJUNTAS – Para o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Péricles de Matos, a redução da criminalidade em todo o estado do Paraná é resultado de diversos aspectos. “Operações conjuntas com a Polícia Civil, a intensificação das operações da Polícia Rodoviária Federal e Rodoviária Estadual, dos batalhões da PM que atuam no estado. Juntos, formam um efeito sinérgico que eleva o Paraná dentro do panorama nacional, proporcionando um cenário favorável de redução, principalmente dos homicídios”.

O delegado-geral da Polícia Civil, Silvio Rockembach, cita ainda dois fatores que segundo ele contribuíram para a redução de homicídio ao longo dos anos. “O primeiro foi a intensificação e o combate sistemático ao tráfico de drogas, pois sabemos da estreita relação existente entre tráfico e homicídios, e o segundo fator importante foi o aumento do percentual de elucidação desses crimes pela Polícia Judiciária, pois na medida em que a equipe soluciona mais ocorrências acaba desestimulando a prática de novos homicídios”, afirmou.

AEN/PR