Socorrista morre de infarto após atender acidente com vítimas fatais

14/05/2018 20:190 comments
Socorrista morre de infarto após atender acidente com vítimas fatais

Na manhã desta segunda-feira, 14, uma colisão frontal entre um Gol, com placas de Jaguariaíva, e uma caminhonete, com placas de Irati, na rodovia BR-153, no trecho entre Tibagi e Ventania, deixou dois mortos e três feridos. Um dos socorristas que atendeu ao acidente, um homem de 39 anos, teve um infarto após deixar os acidentados no Hospital Luiz Borba Carneiro em Tibagi.

Foto: Defesa Civil

Valdinei de Jesus  Gabriel atuava na Defesa Civil de Tibagi. Ele passou mal após o resgate, chegou a ser atendido, mas não resistiu e faleceu. De acordo com relatos, o homem já reclamava de dores no peito enquanto atendia o acidente na altura do Km 195 da BR-153, em Tibagi.

O acidente

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o condutor do Gol transitava sentido Tibagi quando invadiu a pista contrária e colidiu com a caminhonete, que seguia sentido Ventania. As vítimas fatais estavam no Gol e tratam-se do passageiro do veículo e do ocupante do banco traseiro do carro, do lado do motorista. Conforme informações obtidas no local, os homens de 26 e 32 anos eram funcionários terceirizados da empresa Klabin.

O motorista do Gol, um homem de 29 anos, ficou ferido gravemente. Ele foi encaminhado, juntamente com outro ocupante do carro, de 32 anos, que teve lesões leves, para o Hospital de Tigabi, pela Defesa Civil. O último ferido trata-se do motorista da caminhonete, de 35 anos, que também teve ferimentos leves e foi levado para o Hospital de Tibagi.

Conforme a PRF, o trecho onde o acidente aconteceu é uma reta com proibição de ultrapassagem no sentido Tigabi. Os corpos das vítimas mortas foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) de Ponta Grossa.

Com informações do Portal Massa News (Daniela Borsuk) e Portal Tibagi News

Foto: Divulgação/PRF

Paraná confirma segundo caso importado de febre amarela

09/05/2018 12:250 comments
Paraná confirma segundo caso importado de febre amarela

Foi confirmado no boletim epidemiológico desta terça-feira (8) o segundo caso importado de febre amarela registrado no Paraná em 2018. O caso se refere a um jovem de 30 anos, de São José dos Pinhais, que visitou uma cidade no Vale do Ribeira em março. Ela recebeu atendimento e passa bem. O primeiro caso de febre amarela confirmado no Paraná foi de uma mulher não vacinada que visitou a cidade de Mairiporã, em São Paulo, e evoluiu para cura.

“Esse registro mostra a importância das pessoas se vacinarem antes de viajar para áreas de risco, principalmente para as regiões que estão registrando casos de febre amarela. O Paraná tem vacinas disponíveis e fazemos o alerta para que as pessoas não viajem desprotegidas”, disse o secretário estadual da Saúde, Antônio Carlos Nardi.

A vacina está disponível na rede de saúde pública para pessoas a partir dos 9 meses até os 59 anos. É necessária apenas uma única dose da vacina para garantir imunização durante a vida inteira.

O alerta principal é para pessoas que residem em áreas de matas e rios ou que fazem atividades como trilhas, pesca e acampamentos. Quem for visitar esses locais deve procurar a unidade de saúde pelo menos 10 dias antes da viagem. Esse é o tempo necessário para garantir a devida imunização contra a doença.

Para gestantes, mulheres que amamentam, crianças até 9 meses, adultos maiores de 60 anos, pessoas com alergia grave a ovo ou imunodeprimidos a recomendação é que só sejam vacinados com indicação médica.

SINTOMAS – A febre amarela é uma doença infecciosa causada por vírus que se manifesta com febre, dor de cabeça, calafrios, náuseas, vômitos, dor no corpo, pele e olhos amarelados (icterícia). Também é possível haver hemorragia (gengiva, nariz, estômago, intestino e urina), podendo levar à morte nas formas mais graves.

A doença é transmitida pela picada de mosquitos infectados. Não existe transmissão de pessoa a pessoa. Atualmente no Brasil só há registro da febre amarela silvestre, transmitida pelos mosquitos haemagogus e sabethes.

“A melhor prevenção é a vacina. Mas se por qualquer motivo a pessoa não pode se vacinar, recomendamos que evite os locais com circulação da doença ou que utilize repelentes para evitar o contato com o mosquito transmissor”, destaca o secretário.

Agência Estadual de Notícias

Governo investe em obras de pavimentação nos Campos Gerais

08/05/2018 12:290 comments
Governo do Paraná vai pavimentar o trecho da PR-090 de acesso ao futuro Contorno Norte de Castro.-. Foto Jorge Woll. SEIL/DER.

O Governo do Paraná vai começar a pavimentação do acesso ao futuro Contorno Norte de Castro, nos Campos Gerais, no início do segundo semestre. O resultado final da licitação para asfaltamento de 2,6 quilômetros da PR-090, a partir da interseção com a PR-340, foi publicado nesta segunda-feira (7/5) no Diário Oficial do Estado.

Governo do Paraná vai pavimentar o trecho da PR-090 de acesso ao futuro Contorno Norte de Castro.-. Foto Jorge Woll. SEIL/DER.

“Neste primeiro momento, a obra vai garantir acesso pavimentado a indústrias da região”, afirma o secretário de Infraestrutura e Logística, Abelardo Lupion. “É o primeiro passo para a construção do Contorno Norte de Castro, que vai retirar o tráfego pesado da área urbana do município”, explica.

O novo contorno ligará a PR-090 à PR-151, com extensão de 14 quilômetros. De acordo com Lupion, o Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR) está revisando o projeto para poder licitar a obra no segundo semestre deste ano.

Ambas as obras fazem parte do Programa Estratégico de Infraestrutura e Logística de Transportes, que totaliza R$ 1,4 bilhão em investimentos com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e do Governo do Estado.

PRAZOS – A vencedora do processo licitatório para asfaltar o acesso ao novo contorno foi a Ideal Terraplenagem Ltda., que ofereceu R$ 13,3 milhões. Isso significa um desconto de 21,3% em relação ao valor máximo da concorrência. A empresa que apresentou o menor preço foi inabilitada pela comissão de licitação do DER-PR por não atender completamente a um item do edital. As demais participantes têm agora prazo de cinco dias úteis para apresentar recursos administrativos questionando o resultado.

A OBRA – Esgotada a etapa recursal, será homologado o resultado e, na sequência, assinado o contrato. A empresa ganhadora terá até 15 dias para apresentar seu plano de trabalho, que passa pela aprovação do DER-PR para a emissão da ordem de serviço. Além da pavimentação, o projeto prevê obras de drenagem, terraplanagem, obras de arte especiais, sinalização, iluminação pública, remanejamentos, desapropriação, melhorias ambientais e obras complementares. A previsão é que os serviços durem 10 meses.

Agência Estadual de Notícias

Lotéricas voltam a receber faturas de luz a partir desta segunda

05/05/2018 13:210 comments
A governadora Cida Borghetti e o presidente da Copel, Jonel Iurk, vão se reunir com a diretoria da Caixa Econômica Federal na próxima semana para discutir o rompimento do contrato pelo banco com a Copel. Por determinação da governadora, a reunião foi marcada pela Copel com o objetivo de retomar a negociação sobre o reajuste pedido pela Caixa para manter as casas lotéricas como agente arrecadador da fatura de energia.
Curitiba, 12/04/2018.
Foto: Jaelson Lucas/ANPr

A governadora do Paraná, Cida Borghetti, anunciou nesta sexta-feira (4) que as casas lotéricas voltarão a receber o pagamento das faturas de energia da Copel a partir de segunda-feira. Caixa Econômica Federal e Copel estavam sem contrato para o serviço desde 13 de março último.

Foto: Jaelson Lucas/ANPr

“Conversei com as diretorias da Caixa e da Copel quando assumi o governo e pedi que buscassem uma solução, pois a facilidade para o pagamento da conta de luz é muito importante para a população”, disse Cida em Curitiba, durante evento na Assembleia Legislativa do Paraná.

“Felizmente houve compreensão de ambos os lados e os paranaenses voltam a ter essa comodidade nas lotéricas, que prestam um serviço relevante e de qualidade em todo o Estado”, disse a governadora, que dará coletiva sobre o assunto neste sábado no estande da Copel, na Expoingá, em Maringá.

As contas da Copel poderão ser pagas em lotéricas de todo o Paraná e dos demais Estados. “O contrato garante abrangência nacional do serviço”, disse o presidente da Copel, Jonel Iurk.

O contrato da Caixa Econômica com a Copel foi interrompido em março por discordância em alguns itens. A pedido da governadora Cida Borghetti, as empresas retomaram as negociações em abril e nesta semana chegaram a um acordo para manter as casas lotéricas como agente arrecadador da fatura de energia.

REDE – Além da rede lotérica, a conta de luz pode ser paga em 2.181 pontos de 11 bancos credenciados e em 826 agentes arrecadadores em todo Paraná e Porto União, em Santa Catarina, que inclui farmácias e supermercados. A Copel também possui parceria com o Detran, por meio da qual é possível pagar a fatura com cartão de débito em 173 totens do órgão.

A lista de toda a rede credenciada para pagamento da fatura de energia pode ser encontrada no site www.copel.com, no link “Como pagar sua conta”. Os consumidores também podem pagar a fatura de energia elétrica no banco que possuem conta corrente. Além disto, o consumidor pode colocar a fatura em débito em conta corrente. É uma forma mais segura de pagar a conta, já que a fatura da Copel é confiável.

AEN/PR

Secretaria da Saúde alerta para riscos da automedicação

04/05/2018 19:230 comments
O esclarecimento sobre o uso correto de medicamentos pela população é o ponto central da Campanha “Uso racional de Medicamentos e Projeto Falando em Família”, que ocorre, nesta sexta-feira (04), das 9h às 15h, no Terminal Central de Ônibus de Ponta Grossa.
Foto: Divulgação UEPG

Em alusão ao Dia Nacional do Uso Racional de Medicamentos, 5 de maio, a Secretaria de Estado da Saúde alerta a população sobre os riscos graves causados pela automedicação. Dados da Vigilância em Saúde mostram que, desde 2013, o Paraná já notificou e confirmou 20,6 mil casos de intoxicação causada por medicamentos. Em 2017, foram registradas cerca de 5,7 mil casos, o que equivale a 57% de todas as intoxicações.

O esclarecimento sobre o uso correto de medicamentos pela população é o ponto central da Campanha “Uso racional de Medicamentos e Projeto Falando em Família”, que ocorre, nesta sexta-feira (04), das 9h às 15h, no Terminal Central de Ônibus de Ponta Grossa.
Foto: Divulgação UEPG

A faixa etária entre 20 a 49 anos corresponde a mais da metade do total de intoxicações de medicamentos confirmadas ano passado – as mulheres lideram o índice de situações, totalizando 71% dos casos. A maioria dos índices de acidentes com medicamentos corresponde a tentativas de suicídio (74%), acidentais (11%) e automedicação (4,5%).

O secretário de Estado da Saúde, Antônio Carlos Nardi, chama atenção para o correto uso da medicação. “Não faça uso da automedicação. O medicamento que serviu para o seu marido, sua esposa, para a vizinha ou para qualquer outra pessoa pode não servir para você. Usar medicamentos sem a devida prescrição coloca a sua saúde em risco”, destaca Nardi.

O secretário ainda ressalta que a Farmácia do Paraná e as Unidades de Saúde têm profissionais capacitados para orientar a população paranaense sobre o assunto. “Na dúvida, procure nossa rede de atendimento e não tome medicamentos por conta própria. Você tem o nosso apoio para fazer a escolha correta. Só tome ou dê medicamentos prescritos pelo médico ou dentista”, finaliza.

CUIDADO – É considerado uso racional quando os pacientes recebem medicamentos apropriados, em doses adequadas, por um período determinado e com todas as informações necessárias para que faça o tratamento prescrito corretamente.

De acordo com o diretor do Centro Estadual de Vigilância Sanitária, Paulo Costa Santana, uma das maiores dificuldades para o uso consciente de medicamentos é o fácil acesso da população aos remédios. Ou seja, quando uma pessoa compra medicamento isento de prescrição na farmácia sem consultar um profissional de saúde, como o farmacêutico.

“A automedicação é extremamente perigosa e pode trazer riscos gravíssimos ao tratamento e à saúde do paciente. Por isso, é essencial que os profissionais informem adequadamente a população em todas as etapas, que engloba desde o tratamento até a forma de armazenagem da medicação”, explica Santana.

PREVENÇÃO – Para reduzir os riscos, a Secretaria de Estado da Saúde produziu uma carteirinha para registro dos medicamentos em uso, para que os pacientes apresentem na consulta médica e na farmácia. O documento, que é distribuído há três anos nas unidades de atendimento, indica a hora e a dose de cada medicação e tem ajudado pacientes que utilizam vários medicamentos.

A secretaria também confeccionou uma série de materiais gráficos orientando os pacientes para o controle da medicação, cuidados no armazenamento e alertando sobre os cuidados e o uso racional de medicamentos. Os materiais são distribuídos nas Unidades de Saúde e eventos ou podem ser acessados AQUI.

​www.saude.pr.gov.br/arquivos/File/usoracionalmedi2018.pdf

AÇÃO – Para marcar a data, a secretaria, em parceria com o Conselho Regional de Farmácia do Paraná (CRF-PR), promoverá atividades educativas em várias cidades do Estado durante a semana. As ações iniciaram nesta quinta-feira (3), em Umuarama.

Nesta sexta-feira (4), as equipes da Vigilância Estadual e do CRF-PR orientam a população de Curitiba e Ponta Grossa. Os eventos seguem no sábado (05), com atividades em Cascavel, Palmas, Maringá e Londrina.

Durante as ações em Umuarama, Curitiba, Ponta Grossa, Palmas, Cascavel, Maringá e Londrina, serão oferecidos serviços farmacêuticos de aferição de pressão arterial, glicemia, além de informações sobre o descarte de medicamentos vencidos ou em desuso e orientações gerais.

“Vamos orientar sobre o risco da automedicação, os cuidados com os medicamentos, levando materiais informativos e profissionais de saúde para as orientações devidas. Desde 2015, a secretaria realiza eventos sobre o uso racional de medicamentos, que envolvem tanto os profissionais de saúde quanto população”, explica a chefe da Divisão de Vigilância Sanitária de Produtos, Luciane Otaviano de Lima.

A presidente do CRF-PR, Mirian Ramos Fiorentin, diz que a iniciativa procura mobilizar os profissionais farmacêuticos e melhorar a qualidade da assistência à Saúde. Ela também comenta que além de promover a conscientização sobre a importância do acompanhamento médico e farmacêutico para prevenção de danos e uso seguro, a campanha servirá como contribuição no controle das estatísticas de intoxicação por medicamentos.

“Queremos estender as ações durante todo o mês de maio. Os profissionais verificarão se os pacientes que usam mais de um tipo de medicamento têm acesso consciente e sabem utilizar com cuidado a medicamentação. A proposta é envolver e integrar todos que fazem parte deste projeto para compreensão mútua e articulação de estratégias para prevenção”, finaliza Mirian.

Agência Estadual de Notícias

Interior fica com 90% dos 246 mil empregos criados no Paraná

30/04/2018 11:380 comments
Indústria de Aves Copagril, em Marechal Cândido Rondon.
Foto: O Presente

O Interior do Estado abriu 90,3% das vagas de emprego geradas no Paraná desde 2011. No embalo do agronegócio e investimentos atraídos pelo programa Paraná Competitivo, foram criadas 222,1 mil novas vagas com carteira assinada até março de 2018 no Interior. Somando a capital, foram 246 mil contratações realizadas em todo o Estado no período.

Indústria de Aves Copagril, em Marechal Cândido Rondon.
Foto: O Presente

O volume é o saldo entre admissões e demissões no período, conforma levantamento do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes) que está baseado no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho. “É uma notícia importante. A descentralização da economia permite o crescimento do emprego em todo o Estado. Estas novas oportunidades geram renda, movimentam a economia local e melhoram a vida da nossa gente”, comemora a governadora Cida Borghetti.

Mesmo com a crise, que jogou o País na maior recessão da sua história e aumentou o desemprego, o Paraná foi o terceiro Estado que mais criou empregos formais no Brasil nesta década. Ficou atrás apenas de São Paulo (429.132) e Santa Catarina (249.553). O saldo do Estado respondeu por 10,8% do total de empregos gerados no País.

Para a governadora Cida Borghetti, boa parte desse resultado se deve ao fato de o Paraná ter criado um ambiente mais favorável para o setor produtivo, atraindo mais investimentos que resultaram em novos empregos. “Temos uma gestão focada nas pessoas e na qualidade de vida das famílias. Por isso, o governo continuará em busca de novos empreendimentos e ajudará no fortalecimento das empresas paranaenses para que a criação de empregos seja ainda mais acelerada”, disse Cida.

FATORES – A predominância do interior na geração de vagas se deve a uma combinação de fatores, de acordo com Julio Suzuki Júnior, diretor presidente do Ipardes. “Por um lado, o agronegócio foi um dos grandes motores do desenvolvimento nos últimos anos. Por outro, os municípios da região de Curitiba foram duramente afetados pela crise brasileira, com retração de setores como indústria, serviços e construção civil. O Interior foi mais resiliente à crise econômica”, explica.
Além disso, de acordo com ele, o Paraná Competitivo, programa de incentivos fiscais do governo estadual, que atraiu mais de R$ 45 bilhões em investimentos produtivos para o Estado desde 2011, teve papel importante na desconcentração da economia paranaense.

Instalação de novas fábricas e ampliação de linhas de produção, apoiadas pelo programa criaram empregos e geraram efeitos multiplicadores também no comércio e no setor de serviços do interior.

SETORES – De acordo o Ipardes, o setor de serviços foi o que mais criou empregos no Estado desde 2011, com um saldo de 169.451 vagas. A seguir vem o comércio, com 87.029 vagas, e a agropecuária, com 6.423 empregos.

O levantamento mostra que Curitiba foi a cidade, isoladamente, a cidade que mais gerou vagas, com 20.240 empregos, entre janeiro de 2011 e março de 2018. Em seguida estão Maringá, com 18.684, Cascavel, com 14.534, Foz do Iguaçu, com 10.608 vagas, Ponta Grossa, com 8.902 e Londrina, com 8.013 vagas.

PARTICIPAÇÃO – No primeiro trimestre de 2018, o interior segue na dianteira, mas com o fim da crise econômica, a região de Curitiba voltou a contratar e a diferença diminuiu. “A tendência é que, aos poucos, o interior volte ao patamar tradicional de participação na geração de empregos”, afirma Suzuki Júnior.

De janeiro a março, o interior ficou com uma participação de 65,4% nas contratações com carteira assinada no primeiro trimestre. Foram 17.022 vagas de janeiro a março de 2018. Já a região metropolitana de Curitiba respondeu por 34,6%, ou 8.995 vagas.

Agência Estadual de Notícias

Ex-prefeito de Piraí do Sul deve pagar R$ 10 mil em multas por falhas em 2014

25/04/2018 09:330 comments
Ex-prefeito de Piraí do Sul deve pagar R$ 10 mil em multas por falhas em 2014

O ex-prefeito de Piraí do Sul (Campos Gerais) Valentim Zanello Milleo (gestão 2005-2008 e 2013-2016) foi multado em R$ 9.864,00 devido a cinco irregularidades comprovadas no julgamento da Prestação de Contas (PCA) de 2014. A decisão é da Segunda Câmara do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR), que emitiu Parecer Prévio pela irregularidade das contas.

Prefeito Tim Milléo. Foto: Correio dos Campos (https://correiodoscampos.com.br/pirai-do-sul/2017/09/18/vereadores-julgam-contas-de-2005-de-tim-milleo-na-sessao-de-hoje)

As irregularidades comprovadas foram: contas bancárias com saldos negativos; falta de comprovação de regularidade previdenciária; utilização dos recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) abaixo do devido; ausência de pagamento de aportes para cobertura do deficit atuarial do regime próprio de previdência social (RPPS); e falta de registro do passivo atuarial no sistema contábil.

Na primeira análise realizada pela Coordenadoria de Fiscalização Municipal (Cofim) do TCE-PR, a unidade técnica apresentou 12 irregularidades na PCA daquele ano: contas bancárias com saldo negativo; divergência de valores entre as informações do balanço patrimonial e os dados encaminhados ao Sistema de Informações Municipais-Acompanhamento Mensal (SIM-AM); ausência de publicação dos Relatórios de Gestão Fiscal do primeiro e do segundo quadrimestres de 2014; não atingimento do índice mínimo de 25% em manutenção e desenvolvimento da educação básica; utilização dos recursos do Fundeb abaixo do devido (95%); falta do parecer do Conselho Municipal de Acompanhamento do Fundeb.

Outras irregularidades foram a ausência da resolução do Conselho Municipal de Saúde (CMS); falta do parecer do CMS; não comprovação da regularidade previdenciária junto ao Ministério de Previdência Social; falta de encaminhamento do laudo atuarial vigente para o exercício de 2014; e entrega com atraso, de 123 dias, dos dados do encerramento do exercício ao sistema SIM-AM.

Na segunda análise realizada pela unidade técnica mais dois itens irregulares apareceram: ausência de pagamento de aportes para cobertura do deficit atuarial do RPPS e falta de registro do passivo atuarial nas contas de controle do sistema. Nessa mesma análise, alguns itens foram regularizados: divergência de valores entre as informações do balanço patrimonial e os dados encaminhados ao SIM-AM; ausência da resolução e do parecer do CMS; e ausência de encaminhamento do laudo atuarial vigente naquele ano.

A Cofim considerou possível de ressalva os itens relacionados à ausência de publicação do RGF do 1º e 2º quadrimestres; não atingimento do índice mínimo de 25% em manutenção e desenvolvimento da educação básica; e falta do parecer do Conselho Municipal de Acompanhamento do Fundeb. O Ministério Público de Contas (MPC-PR) concordou com o entendimento da unidade técnica

 

Decisão

Após a manifestação do responsável pelas contas, permaneceram irregulares os itens: contas bancárias com saldos negativos e utilização dos recursos do Fundeb abaixo do devido. Naquele ano, o valor arrecadado foi de R$ 7.574.488,63 e o gestor deixou para aplicar no primeiro trimestre do ano seguinte 6,82% dos recursos (que corresponde a R$ 516.684,18). Porém, o máximo permitido é de 5%, sendo obrigatória a aplicação de 95% do valor arrecadado.

Foram considerados irregulares, também, a ausência de pagamento de aportes para cobertura do deficit atuarial – após a análise foi identificada uma diferença de R$ 35.391,94; e falta de registro do passivo atuarial no sistema contábil. A Cofim verificou junto ao RPPS de Piraí do Sul encargos no valor de R$ 2.215.076,42, porém na contabilidade do município não havia nenhum valor registrado.

Devido à permanência das inconsistências, o relator do processo, conselheiro Ivan Bonilha, votou pela emissão de Parecer Prévio recomendando a irregularidade das contas e aplicou três multas ao então gestor. As sanções estão previstas no artigo 87, incisos III e IV, da Lei Orgânica do TCE-PR (Lei Complementar Estadual 113/2005). As multas equivalem, respectivamente, a 30 e 40 vezes o valor da Unidade Padrão Fiscal do Paraná (UPF-PR), que tem atualização mensal. Em abril, a UPF-PR vale R$ 98,64 e as três multas totalizam R$ 9.864,00.

Os membros da Segunda Câmara do TCE-PR acompanharam, por unanimidade, o voto do relator, na sessão de 21 de março. Em 4 de abril, Valentim Milleo ingressou com Embargos de Declaração contra a decisão contida no Acórdão nº 85/18 – Segunda Câmara, veiculada em 27 de março, na edição nº 1.793 do Diário Eletrônico do TCE-PR (DETC). Com relatoria do conselheiro Bonilha, o recurso será julgado pela Segunda Câmara.

Após o trânsito em julgado do processo, o parecer prévio do TCE-PR será encaminhado à Câmara Municipal de Piraí do Sul. A legislação determina que cabe aos vereadores o julgamento das contas do chefe do Executivo municipal. Para desconsiderar a decisão do Tribunal, são necessários dois terços dos votos dos parlamentares.

TCE/PR

 

Celulose já é o quarto produto mais exportado pelo Paraná

23/04/2018 10:380 comments
Exportação celulose.
 Fotos: André Kasczeszen

A nova fábrica da Klabin, de Ortigueira, que começou a produzir há dois anos, colocou a celulose no mapa de exportações do Paraná. Maior investimento privado da história do Estado, com R$ 8,5 bilhões atraídos pelo programa de incentivos Paraná Competitivo, a unidade direciona boa parte da produção para as exportações.

Exportação celulose.
Fotos: André Kasczeszen

Em seis anos, as exportações de celulose pelo Paraná aumentaram 112 vezes – de US$ 4,9 milhões (2011) para US$ 553,8 milhões em 2017. No primeiro trimestre de 2018 já foram embarcados US$ 180,6 milhões, de acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

A celulose, que ocupava a 81ª posição entre os produtos exportados pelo Paraná em 2011, passou para sétimo lugar em 2017 e no primeiro trimestre de 2018 subiu para a quarta colocação, atrás apenas de soja em grão, carne de frango in natura e farelo de soja.

“A celulose desbancou os automóveis em exportações no trimestre. Como é um produto com múltiplas aplicações, não apenas para fabricação de papel e embalagens, mas também fraldas e outros produtos de higiene, há um potencial muito grande para exportações pelo Paraná”, diz o diretor-presidente do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes).

EMPREGOS E DIVISAS – De acordo com ele, a instalação de uma fábrica como a da Klabin, além de transformar uma região com baixo índice desenvolvimento econômico, como Ortigueira, com geração de empregos e renda, também tem efeitos positivos em outras áreas. “Um projeto desse se desdobra no aumento da produção florestal, nas exportações e na movimentação logística até o porto de Paranaguá, e até mesmo no aproveitamento de resíduos para a geração de energia”, exemplifica.

QUINTO DO PAÍS – O Porto de Paranaguá, com forte atuação na movimentação de grãos e automóveis, vem se firmando também como um terminal de exportação de papel e celulose. Já é o quinto porto do País em movimentação desses produtos. China e Itália são os principais destinos da celulose exportada pelo Paraná. Juntos, os dois países respondem por 81% dos embarques.

A Klabin opera um terminal logístico a 5 quilômetros do cais do porto, que foi inaugurado com previsão de giro de 900 mil toneladas no primeiro ano. O governo federal pretende leiloar uma outra área para movimentação de celulose dentro da faixa primária do porto, com capacidade para 1,3 milhão de toneladas.

FÁBRICA – A unidade Puma, como foi batizada pela Klabin, possui capacidade anual de produção de 1,5 milhão de toneladas de celulose, sendo 1,1 milhão de toneladas de celulose branqueada de fibra curta (eucalipto) e 400 mil toneladas de celulose branqueada de fibra longa (pínus), parte convertida em celulose fluff.

FLORESTAS – O projeto da Klabin vem fomentando também a produção florestal no Estado. O Paraná ultrapassou São Paulo e já é o primeiro em produção de toras para papel celulose no Brasil. Em 2016, último dado disponível do IBGE, foram 15,9 milhões de metros cúbicos, 18,7% da produção nacional. Em 2011 o Estado ocupava a quarta colocação, com 12,7% de participação.

Agência Estadual de Notícias

Janela partidária provoca alterações nas bancadas da Assembleia Legislativa

17/04/2018 08:590 comments
Foto: Arte: Vinícius Leme / Alep

om o término do prazo para as mudanças de partido para as disputas eleitorais deste ano, oportunidade prevista pela legislação eleitoral, doze parlamentares da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) também passaram a integrar novas siglas. A “janela partidária” fez crescer bancadas como a do PSD, que passa a contar com mais três deputados, e PSL e PP, com dois parlamentares a mais cada um. O PODEMOS, com dois nomes, passa a formar uma nova bancada, até então inexistente no Legislativo estadual.

Foto: Arte: Vinícius Leme / Alep

Partido que mais ganhou nomes, o PSD conta agora também com os deputados Francisco Bührer e Mauro Moraes, que vieram do PSDB; e com Ademir Bier, que deixa o PMDB. Para o PP migram os deputados Gilberto Ribeiro, saindo do PRB; e Luiz Carlos Martins, que deixa o PSD. O PSL passa a contar com os deputados Felipe Francischini, que estava no SD; e Missionário Ricardo Arruda, que estava no PEN. O PODEMOS agrega os deputados Rasca Rodrigues, saído do PV, e Fernando Scanavaca, anteriormente no PDT.

A deputada Cantora Mara Lima deixa o PSDB para ingressar no PSC; o deputado Marcio Pauliki sai do PDT e passa ao SD; e Adelino Ribeiro, que sai do PSL, passa a integrar o PRP. De acordo com o presidente da Assembleia, deputado Ademar Traiano (PSDB), as composições deverão definir um novo panorama político, com naturais repercussões no Parlamento estadual. “A gente sente que teremos um novo momento dentro da Casa”, afirmou.

Janela partidária – A chamada “janela partidária” é o período de 30 dias (encerrado neste ano no último dia 6) que dá aos parlamentares que desejem se candidatar às próximas eleições a possibilidade de mudar de partido sem prejuízo dos respectivos mandatos. A Reforma Eleitoral de 2015 (Lei nº 13.165/2015) incorporou à legislação essa possibilidade de desfiliação. O dispositivo garante que os detentores de mandato eletivo em cargos proporcionais podem trocar de legenda nos 30 dias anteriores ao último dia previsto para a filiação partidária, que ocorre seis meses antes do pleito.

ALEP

Renda do paranaense aumentou em 2017, mostra pesquisa do IBGE

16/04/2018 09:590 comments
Renda do paranaense aumentou em 2017, mostra pesquisa do IBGE

Enquanto a renda do brasileiro caiu, a do paranaense teve aumento em 2017. O rendimento médio per capita domiciliar mensal ficou em R$ 1.476 – superior em 2,2% ao registrado em 2016 (R$ 1.444) no Paraná. No Brasil, o rendimento médio em 2017 foi de R$ 1.271 – valor 1,1% menor do que no ano anterior (R$ 1.285).

Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O rendimento per capita domiciliar inclui todas as rendas recebidas, do trabalho, da previdência e de aplicações e investimentos. A variação apurada pelo instituto é real, já descontada a inflação no período.

“A crise econômica e a retração no mercado de trabalho nos últimos anos fizeram encolher a renda do brasileiro. Mas no Paraná a situação é melhor, com uma recuperação mais acelerada da crise econômica”, diz Julio Suzuki, diretor-presidente do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes).

OUTROS ESTADOS – De acordo Suzuki Junior, o fato de a economia estadual ter crescido mais do que a do Brasil no ano passado fez diferença no bolso da população. Em 2017, o Produto Interno Bruto (PIB) do Paraná teve avanço de 2,5%, contra 1% da economia brasileira. O Paraná também aumentou a diferença de renda com o restante do País. Em média, o paranaense ganhava 16,1% mais do que a média do País em 2017. No ano anterior, essa diferença era menor, de 12,4%.

DESIGUALDADE – O levantamento também revela uma condição melhor do Paraná quando o assunto é desigualdade. A massa de rendimentos no Paraná no ano passado foi de R$ 16,69 bilhões. Desses, a parcela dos 10% mais ricos respondeu por 38,9%. Os 10% mais pobres participaram com 1,3%.

No Brasil, a desigualdade entre mais ricos e mais pobres é maior. Do total de R$ 263,08 bilhões da massa de rendimentos mensais no País, os 10% mais ricos detinham, no ano passado, 43,3%. Os 10% mais pobres ficaram com uma parcela de apenas 0,7% desse total.

“Ainda que essa desigualdade não seja desejável, ela é menor no Paraná, o que mostra uma condição de renda mais favorável aqui do que em outras partes do Brasil”, diz Suzuki Júnior. Também houve redução da participação dos 1% mais ricos na massa de rendimentos no Paraná – de 10,4% para 10,1%.

Agência Estadual de Notícias