Mais de 1,4 milhão de paranaenses já foram vacinados contra a gripe

03/05/2016 12:440 comments
Abertura da Campanha de Vacinação,em São José dos Pinhais.
Curitiba,25/04/2016

Abertura da Campanha de Vacinação,em São José dos Pinhais. Curitiba,25/04/2016

Em uma semana de campanha, o Estado do Paraná já vacinou cerca de 1,4 milhão de pessoas contra o vírus da gripe. Isso representa 53% do público-alvo estimado para este ano, que envolve idosos (maiores de 60 anos), crianças (maiores de 6 meses e menores de 5 anos), gestantes, mulheres que deram a luz nos últimos 45 dias, doentes crônicos, trabalhadores de saúde, população indígena e privados de liberdade.

Segundo o secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto, o bom desempenho nos primeiros sete dias de campanha mostra que o Paraná acertou ao antecipar o início da vacinação. “As temperaturas estão caindo e o risco de transmissão da gripe só aumenta. Por isso, é importante que quem ainda não se vacinou, vá à unidade de saúde mais próxima para se proteger”, ressaltou.

O apelo se deve ao fato de a vacina demorar pelo menos 15 dias para conceder proteção adequada ao indivíduo. Neste ano, a dose disponível na rede pública é eficaz contra os três tipos de vírus da gripe mais circulantes no país: Influenza A H1N1, Influenza A H3N2 e Influenza B.

LOGÍSTICA – A antecipação da campanha no Paraná foi possível devido a um amplo esquema de logística adotado pelo Governo do Estado. O trabalho agilizou a distribuição das doses e garantiu o abastecimento das unidades de saúde cinco dias antes do início da campanha nacional, lançada no último sábado (30).

Até o momento, o Ministério da Saúde enviou 2,1 milhão de doses, o equivalente a 72% da cota de vacinas que o Paraná tem direito ao longo da campanha. Um novo lote, com 312 mil doses, deve chegar ao Estado na próxima quinta-feira (5) e logo em seguida será descentralizado aos municípios.

De acordo com a superintendente de Vigilância em Saúde, Cleide de Oliveira, a recomendação é que as prefeituras deem seguimento a campanha e remanejem, se necessário, doses de uma unidade de saúde para outra. “Enquanto as novas doses não chegam do Ministério, os municípios devem otimizar o estoque e disponibilizar mais vacinas onde a demanda é maior”, detalhou.

2,9 MILHÕES – Até o dia 20 de maio, o Estado espera imunizar pelo menos 2,9 milhões de paranaenses. A preocupação é maior com as gestantes, que constituem o grupo com a menor cobertura vacinal até agora (39%).

Para o coordenador estadual de Imunização, João Luis Crivellaro, o grupo dos doentes crônicos também demanda atenção especial. “Trata-se de pessoas com a saúde mais frágil e que precisam ser protegidas. Quem tem doença de base apresenta alto risco de desenvolver o quadro grave de gripe”, alertou.

Professores fizeram protesto em lembrança ao “Massacre de 29 de Abril”

29/04/2016 13:210 comments
Professores fizeram protesto em lembrança ao “Massacre de 29 de Abril”
profesores_sEARbaX

Foto: G1/ Alana Fonseca

Curitiba – Aproximadamente 25 mil  professores se reuniram na praça Santos Andrade na manhã desta sexta-feira, 29, para protestar e lembrar o aniversário de 1 ano do conflito entre policiais militares e professores que deixou mais de 200 pessoas feridas. A manifestação é coordenada pela APP-Sindicato.

Várias escolas no Estado ficaram sem aulas nesta sexta, pois muitos docentes viajaram para Curitiba para apoiar a manifestação. O Governo do Estado já afirmou que descontará o salário dos servidores que não estão dando aulas. Durante a semana, professores convocaram alunos para participar da manifestação.

A Secretaria de Educação informou que levanta o número de escolas que estão sem aula devido à manifestação dos professores. Sindicato orientou os pais a ligarem para as instituições, antes de levarem os filhos à escola.

Assembleia aprova novo salário mínimo regional do Paraná

28/04/2016 12:380 comments
Assembleia aprova novo salário mínimo regional do Paraná
Publicado em 27/04/2016 18:13.
Foto: ALEP

Assembleia aprova novo salário mínimo regional do Paraná Publicado em 27/04/2016 18:13. Foto: ALEP

O plenário da Assembleia Legislativa aprovou em sessão extraordinária, nesta quarta-feira (27), o projeto de lei encaminhado pelo governador Beto Richa que fixa, a partir de 1º de maio, os valores do piso salarial do Estado do Paraná e sua política de valorização. O piso variará de R$ 1.148,40 a R$ 1.326,60.

A proposta é fruto de negociações entre trabalhadores e empregadores, com participação do Poder Público, através do Conselho Estadual do Trabalho e assegura aos trabalhadores paranaenses o maior salário mínimo regional do país.

O maior piso é para o grupo de técnicos do nível médio (R$ 1.326,60), seguido pelos trabalhadores da produção de bens e serviços industriais, com piso de R$ 1.234,20, pelos trabalhadores de serviços, vendedores do comércio em lojas e mercados e trabalhadores de reparação e manutenção, que devem ter remuneração mínima de R$ 1.190,20 e o piso de R$ 1.148,40 aos trabalhadores agropecuários, florestais e da pesca.

O líder do governo na Assembleia, deputado Luiz Cláudio Romanelli, ressaltou a importância do Estado estabelecer valores mínimos de remuneração para os trabalhadores. “Esse piso impacta diretamente na vida de mais de 600 mil trabalhadores que não têm um sindicato ou não pertencem a uma categoria profissional. Além disso, impacta também em diversos segmentos econômicos, mas, fundamentalmente, garante o direito dos trabalhadores que não estão protegidos por um acordo ou convenções coletivas de trabalho”, disse o deputado.

VALORIZAÇÃO – O projeto aprovado estabelece, ainda, que a política de valorização dos pisos salariais a serem fixados a partir do ano de 2021 será objeto de negociação tripartite entre as centrais sindicais e federações patronais, com a participação do Governo do Estado, e acompanhamento do Ministério Público do Trabalho e da Superintendência Regional do Ministério do Trabalho e Emprego.

Essa comissão tripartite deverá ser constituída até o final do primeiro semestre de 2020, e será nomeada por meio de resolução do Conselho Estadual do Trabalho – CET, órgão encarregado de fazer o monitoramento e avaliação da política estadual de valorização do piso salarial do Paraná.

Paraná deve colher até 46 milhões de toneladas de cana-de-açúcar

27/04/2016 19:050 comments
Paraná deve colher até 46 milhões de toneladas de cana-de-açúcar

MTCanadeacucarMatoGrosso2850x565O Paraná deu início, em abril, à colheita da safra de cana-de-açúcar 2016/2017 e a previsão é de uma produção entre 44 milhões a 46 milhões de toneladas, de acordo com estimativa do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento.

A projeção aponta para estabilidade na área em relação à safra anterior (2015/2016), mas com rendimento menor, impactado pela renovação das plantas, pelo clima e a própria readequação dos produtores ao mercado, de acordo com o economista Disonei Zampieri, especialista na área no Deral. A produção na safra 2015/2016 havia ficado em 50,8 milhões de toneladas, praticamente estável em relação ao período anterior (2014/2015). A colheita vai de abril desse ano até março de 2017.

A área estimada para a safra atual é de 610 mil a 621,8 mil hectares, com um rendimento de 72 mil a 74,5 mil quilos por hectare. A produção de açúcar deve ficar entre 2,89 milhões de toneladas e 3,26 milhões de toneladas. A produção de álcool deve ficar entre 1,65 bilhão de litros e 1,67 bilhão de litros.

O Paraná deve permanecer como o quinto maior produtor de cana, terceiro de açúcar e quinto de álcool. Mais da metade da cana colhida é transformada em açúcar (52%) e 48% em álcool.

O setor sucroalcooleiro no Estado tem 25 usinas em operação e emprega cerca de 55 mil pessoas (incluindo os temporários contratados no período da colheita). As regiões de Umuarama, Paranavaí, Maringá e Jacarezinho concentram a produção no Estado.

ALCOPAR – De acordo com o presidente da Associação de Produtores de Bioenergia do Paraná (Alcopar), Miguel Tranin, o ano de 2016 começou atípico, com um ritmo de moagem acelerado no primeiro trimestre, quando tradicionalmente as usinas reduzem o movimento à espera da safra nova.

Em março, o setor bateu recorde no Paraná, com o processamento de 3,081 milhões de toneladas de cana. Tranin explica que, devido às chuvas, o volume de moagem no fim do ano passado estava abaixo do esperado, com 39 milhões de toneladas.

“As usinas, então, aproveitaram o início do ano para fazer a moagem. Com isso, não teremos a cana bisada, que é a cana-de-açúcar proveniente da safra anterior que é processada no ano seguinte, para ser computada no período 2016/2017”, diz Miguel Tranin. A previsão da Alcopar é de uma produção próxima da registrada na safra anterior, com 43 milhões de toneladas de cana, diferente da estimativa da Secretaria estadual da Agricultura (de 44 a 46 milhões).

O setor ainda sente os efeitos da crise econômica mundial de 2008 e da mudança de estratégia do governo federal, que passou a concentrar investimentos no pré-sal. Com a falta de estímulo, as usinas deixaram de investir na ampliação da área e da produção.

Para Tranin, 2016 ainda será um ano de desafios, mas as perspectivas são mais otimistas. “A nossa expectativa é de uma melhora a partir de 2017, principalmente nos preços e na rentabilidade da atividade”, diz. O consumo de etanol vem batendo recorde. No ano passado, as vendas no Brasil totalizaram 17,8 bilhões de litros, o que representou uma alta de 38% sobre os números de 2014.

De acordo com Tranin, a previsão é de uma melhora também dos preços internacionais do açúcar com a perspectiva de redução dos estoques mundiais e uma menor participação de grandes produtores, como Índia e Tailândia, no mercado global.

Agência Estadual de Notícias (AEN)

Polícia cumpre 29 mandados contra quadrilha suspeita de fraudar DPVAT

26/04/2016 12:350 comments
Polícia cumpre 29 mandados contra quadrilha suspeita de fraudar DPVAT

ax_4Uma quadrilha suspeita de aplicar golpes para obter o seguro DPVAT e driblar o rodízio de empresas funerárias em Curitiba é alvo de uma operação da Polícia Civil do Paraná. Desde às 6 horas desta terça-feira (26), cerca de 60 policiais estão nas ruas para cumprir 29 mandados expedidos pela Justiça.

A “Operação Ressurreição”, deflagrada pelo Núcleo de Repressão a Crimes Econômicos (Nurce), acontece em Curitiba, quatro municípios da Região Metropolitana e em Ponta Grossa. Foram expedidos 12 mandados de prisão temporária, 14 de busca e apreensão e três de condução coercitiva. Entre os alvos está um médico da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), empresários, funcionários públicos do Instituto Médico Legal (IML) e agentes funerários, entre outros.

Integrantes da organização criminosa se passavam por funcionários do IML, da Polícia e até do Exército para enganar familiares dos mortos com o objetivo de obter o seguro DPVAT. “A quadrilha arquitetou um plano para aliciar os familiares das pessoas mortas, obtendo delas procurações para que entrassem com o seguro DPVAT – que pode chegar até R$ 13,5 mil. Uma pequena parte era repassada para a família enquanto que o restante ficava com os criminosos”, explicou o delegado do Nurce, Renato Bastos Figueroa, que conduziu as investigações.

Os investigados passavam o dia e, especialmente, a madrugada atrás de corpos de vítimas de acidentes de trânsito ou morte natural, sendo que para isso corrompiam os motoristas do IML, para que estes passassem informações privilegiadas e em tempo real dos óbitos. Para cada “corpo” indicado, os funcionários do IML recebiam R$ 700.

A quadrilha chegou a fraudar documentos do local de morte de algumas pessoas e até mesmo produzir um atestado de óbito de uma pessoa que está viva – fato que ensejou o nome da operação. O Nurce investigava a quadrilha deste julho de 2015 depois que a direção do IML detectou irregularidades na liberação dos corpos de duas pessoas.

Participam da ação policiais do Nurce, do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), do Tático Integrado de Grupos de Repressão Especial (Tigre), do Núcleo de Combate aos Cibercrimes (Nuciber), da Delegacia de Crimes Contra a Economia e Proteção ao Consumidor (Delcon), do Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (Nucria), da Corregedoria da Polícia Civil e da 13ª Subdivisão da Polícia Civil de Ponta Grossa.

Mais detalhes serão repassados pelo delegado do Nurce, Renato Bastos Figueroa, durante entrevista coletiva que acontece às 10h30 no 1º Distrito Policial (Rua André de Barros, 671, Centro, Curitiba.

Prazo para Cadastramento Ambiental Rural termina em 5 de maio

25/04/2016 12:150 comments
Secretário estadual do Meio Ambiente, Ricardo Soavinski, durante reunião e visita à Coamo para falar sobre Cadastramento Rural.
Campo Mourão, 20/04/2016.
Foto: Divulgação SEMA.

Secretário estadual do Meio Ambiente, Ricardo Soavinski, durante reunião e visita à Coamo para falar sobre Cadastramento Rural. Campo Mourão, 20/04/2016. Foto: Divulgação SEMA.

No Paraná mais de 67% das propriedades já foram cadastradas no sistema que permitirá a regularização ambiental das áreas rurais. Os dados são Instituto Ambiental do Paraná (IAP), responsável pelo Cadastro Ambiental Rural (CAR), no Estado.

Em algumas regiões os cadastramentos estão abaixo da expectativa, como em Campo Mourão, onde menos de 30% das propriedades foram, até agora, registradas no sistema do CAR. O Cadastro é obrigatório a todos os produtores, mesmo para aqueles que já estavam em conformidade com a lei ambiental anterior.

Proprietários de imóveis rurais de todo o país têm até 5 de maio próximo para inscreverem suas propriedades no CAR. Quem perder o prazo perderá também os benefícios previstos na nova Lei Florestal Brasileira.

O alerta foi feito pelo secretário estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Paraná, Ricardo Sovinski, durante visita na quarta-feira (20) ao presidente da Cooperativa Agrícola de Campo Mourão, COAMO, José Aroldo Gallassini. “Os agricultores lutaram tanto pela revisão do Código Florestal e pelos benefícios, mas podem colocar tudo a perder se não fizerem o CAR no prazo”, destacou Soavinski.

Após o prazo final, os proprietários que não aderiram o sistema perderão os benefícios do Novo Código Florestal , como por exemplo a isenção das multas e exigências para quem desmatou antes de 2008. Além disso, o agricultor não poderá obter licenciamentos ambientais para o imóvel e perderá financiamento agrícola.

NÚMEROS – No Paraná devem ser 15 milhões de hectares cadastrados, área que corresponde a 371.063 imóveis, de acordo com o Sistema de Cadastro Ambiental Rural (SICAR). Desse total, 251.089 estão registrados no CAR. Em número de propriedades, o Paraná é o segundo no Brasil, atrás de Minas Gerais.

REGULARIZAÇÃO – Proprietários que têm pendências ambientais no imóvel como desmatamentos em Área de Preservação Permanente ou em Reserva Legal, devem aderir ao Programa de Regularização Ambiental no momento do cadastramento.

PM apreende 50 Kg de maconha em Honda Civic e Saveiro

23/04/2016 14:090 comments
PM apreende 50 Kg de maconha em Honda Civic e Saveiro

ALI-DIEPPonta Grossa – Policiais Militares da ALI (P/2) do 1º Batalhão de Polícia Militar, em conjunto com a Força Tarefa do DIEP (Departamento de Inteligência do Estado do Paraná), apreenderam 50 quilos de maconha na manhã deste sábado, 23, em Ponta Grossa. Um veículo foi recuperado na ação.

Segundo denúncia anônima, um veículo Honda/ Civic preto estaria em um hotel na Avenida Souza Naves com carregamento de droga e iriam repassar o entorpecente para outro veículo no início da manhã.

As equipes realizaram a vigilância nas proximidades do local e por volta das 7 horas visualizaram uma saveiro entrar no estacionamento do hotel e logo em seguida saiu em comboio com o Honda/ Civic.

Os policiais realizaram abordagem nos dois veículos. Na saveiro, conduzida por um homem de 34 anos, foram apreendidos 68 tabletes de substância análoga a maconha. No Civic, conduzido por uma mulher, 36 anos, foram apreendidos 10 tabletes do mesmo entorpecente. Em consulta aos veículos foi constatado que a placa do Civic era clonada, e pelo chassi foi constatado que tinha sido roubado dia 14 de abril na cidade de Campinas, em São Paulo.

Ambos foram conduzidos para a Delegacia junto à droga e veículos apreendidos.

Vacinação contra a gripe no Paraná começa nesta segunda

12:130 comments
Vacinação contra a gripe no Paraná começa nesta segunda

Campanha de vacinação contra a gripe na Igreja Nossa Senhora das Vitóras, no Boqueirão.Curitiba, 15/04/2013Foto: Osvaldo Ribeiro/ANPr

A campanha de vacinação contra a gripe começa nesta segunda-feira (25) em todos os municípios do Paraná. A partir da próxima semana, pessoas com mais de 60 anos, crianças de seis meses até cinco anos incompletos, gestantes, mulheres que deram à luz nos últimos 45 dias e portadores de doenças crônicas podem procurar a Unidade de Saúde mais próxima para se vacinar.

“Entre idosos, gestantes e crianças, o Paraná totaliza mais de 2 milhões de pessoas. Nossa meta é vacinar, no mínimo, 80% dessa população de risco”, ressalta o coordenador estadual de Imunização, João Luís Crivellaro. Até esta quarta-feira (20), o Ministério da Saúde enviou 48% das doses disponibilizadas para o Estado.

O próximo lote com mais 90 mil vacinas está previsto para chegar até domingo (24). Até o fim da campanha, o Paraná deve receber quase 3 milhões de doses. A campanha também atinge outros públicos de risco, como trabalhadores de saúde, população indígena e privados de liberdade.

INDICAÇÕES – No caso da vacinação em portadores de doenças crônicas, como, por exemplo, diabéticos, cardiopatas ou doentes renais, é necessário apresentar indicação médica. Em doenças agudas febris moderadas ou graves recomenda-se adiar a vacinação até a resolução do quadro com o intuito de não se atribuir à vacina as manifestações da doença.

A vacina também pode manifestar reações em pessoas com alergia ao ovo de galinha. “Por apresentar proteína do ovo na composição, ela não deve ser aplicada em quem tiver alergia severa à substância. Se a alergia é moderada, pode-se procurar um médico para avaliar a situação. Para garantir a segurança do paciente, a aplicação deve, neste caso, ser realizada em ambiente hospitalar”, explica Crivellaro.

NÚMEROS – Os novos números de gripe, atualizados na terça-feira (19), foram divulgados pela Secretaria estadual da Saúde. Desde janeiro de 2016, o Paraná já registrou 103 casos de Influenza, dos quais 78 são de gripe A (H1N1). Os casos de H1N1 estão espalhados por 14 Regionais de Saúde (RS) no Estado.

Entre síndromes respiratórias agudas graves e síndromes gripais, os exames laboratoriais detectaram a presença do vírus na 2ª RS – Metropolitana (8 casos), 3ª RS – Ponta Grossa (3), 6ª RS – União da Vitória (3), 8ª RS – Francisco Beltrão (1), 9ª RS – Foz do Iguaçu (7), 10ª RS – Cascavel (4), 11ª RS – Campo Mourão (3), 12ª RS – Umuarama (3), 13ª RS – Cianorte (7), 14ª RS – Paranavaí (2), 15ª RS – Maringá (28), 17ª RS – Londrina (7), 18ª RS – Cornélio Procópio (1) e 22ª RS – Ivaiporã (1).

A Secretaria da Saúde também confirmou três novos óbitos por gripe no Estado. No total agora são cinco mortes por H1N1 no Paraná – em Foz do Iguaçu, Quitandinha e Umuarama, além das já confirmadas em Maringá e São José dos Pinhais.

Paraná terá feriado e fim de semana com calor. Clima muda na segunda

20/04/2016 12:270 comments
Paraná terá feriado e fim de semana com calor. Clima muda na segunda

Lazer - Bicicleta.Curitiba, 24-10-14.Foto: Arnaldo Alves / ANPr.O tempo deve continuar firme nos próximos dias em todo o Paraná. Segundo previsão do Simepar, na quinta-feira (21), feriado de Tiradentes, e durante o fim de semana a temperatura segue elevada em todo o Estado. Na sexta-feira, a máxima prevista é de 27 graus na em Curitiba, com possibilidade de chuva para as regiões Sul e Leste do Paraná. No Litoral, o clima permanecerá quente e abafado com previsão de pancadas de chuva.

A previsão do Simepar é que a situação de calorão mude a partir de segunda-feira (25). A tendência é que as temperaturas comecem a diminuir com a incidência de chuvas no interior do Estado. Deve chover em Foz do Iguaçu, Cascavel e Pato Branco ainda na segunda-feira. Ao longo da semana haverá menos variação de temperatura, com índices mais amenos a partir de quarta-feira (27), quando começa a quebrar o bloqueio atmosférico que persiste no Estado.

BLOQUEIO – Os paranaenses esperam desde o fim de março por temperaturas mais amenas. O outono, no entanto, continua com clima de verão. Segundo o meteorologista do Simepar, Samuel Braun, essa situação não é atípica. O calorão da estação pode ser explicado por um bloqueio atmosférico que traz a sequência de tempo bom dentro de um período que deveria ser mais frio.

O bloqueio é o responsável pelas temperaturas mais elevadas. “Ao longo do outono/inverno é comum a situação de um bloqueio atmosférico, com a ocorrência de uma sequência de tempo bom dentro de um clima mais frio e seco”, afirma Braun.

“Isso costuma acontecer mais para frente, entre junho e agosto. Neste ano, o bloqueio veio mais cedo, unindo as duas estações. Se fosse em junho ou julho estaríamos vivendo um bloqueio atmosférico com uma média de, no máximo, 25 graus”, explicou o meteorologista.

O bloqueio atmosférico dura, em média, 10 dias e costuma ser mais comum e mais longo no Norte e Noroeste do Estado. “Normalmente, o Sul não vive essa situação por tantos dias, como tem acontecido”, explica Braun.

A previsão é que nos meses de maio e junho as temperaturas fiquem mais amenas e chova em todo o Estado. “A tendência, depois da quebra de bloqueio, é que entremos em uma situação mais normal com a chegada de frentes frias e ondas de frio. Isso deve ficar mais frequente a partir de maio.”

Bom Negócio certifica 92 empreendedores em Ponta Grossa

19/04/2016 11:270 comments
Bom Negócio certifica 92 empreendedores em Ponta Grossa

LOGO_BOM_NEGOCIO_PARANAPara o empreendedor Rodrigo Pestroski, o Programa Bom Negócio Paraná (PBNP) proporciona conhecimento e informação além do conteúdo das apostilas. Pestroski faz parte da turma de 92 empreendedores que participaram do programa e receberam certificados pelo Núcleo de Apoio ao Empreendedorismo da Universidade Estadual de Ponta Grossa, na sexta-feira (15).

Falando em nome de turma, Petroski disse que ao se inscrever no PBNP buscava conhecimento para impulsionar sua empresa. O Bom Negócio Paraná oferece cursos gratuitos de capacitação gerencial e consultorias para micro e pequenos empresários. “Aprendi que empreender consiste em correr riscos, riscos calculados”, disse ele, destacando a preocupação da equipe da UEPG em ensinar a pescar com qualidade; empreender e saber vender o seu produto.

Nessa mesma linha, a aluna Edilaine Gonçalves disse que todos se tornaram de fato microempreendedores a partir de várias experiências e aprendizados que levarão para as empresas. “Mudar a nossa rotina é um compromisso”, afirmou.

Para a assessora em assuntos de extensão da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Sandra Cristina Ferreira, o Bom Negócio Paraná promove desenvolvimento e traz qualidade de vida para os paranaenses. O programa já capacitou mais de 15 mil empresários e empreendedores em todo o Estado com cursos de gerenciamento de negócios.

“São pessoas que passam a ter qualificação para ampliar os negócios, gerando renda e emprego”, comentou, afirmando que o programa cumpre seus objetivos e avança cada vez mais sobre todas as regiões do Paraná.

O secretário da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, João Carlos Gomes, observou que o Bom Negócio está inserido no Programa Universidade sem Fronteiras (UsF), iniciativa do Governo do Estado com participação das sete universidades estaduais paranaenses. “Trata-se de um investimento de R$ 14 milhões, financiado 83 subprojetos e três programas maiores, o Bom Negócio Paraná, o Núcleo de Estudos dos Direitos e Deveres da Infância e da Juventude e ao Patronato, que atende egressos do sistema penitenciário e beneficiários de penas e medidas alternativas a prisão”, disse Gomes.

O secretário afirmou que o programa contribui para a qualificação dos pequenos empresários e para o desenvolvimento da economia do Paraná. “Nesse momento de dificuldades econômicas, esse investimento tem importância ainda maior”, observa, ressaltando que é nessa situação que surgem novas ideias e a criatividade e o espírito empreendedor se sobressaem. Para ele, “investir nas pessoas é caminho para a superação da crise.”

O investimento na criatividade, na inovação e no empreendedorismo ganhou espaço na fala do reitor Carlos Luciano Sant’Ana Vargas, destacando que o Programa Bom Negócio Paraná chega hoje a todos os paranaenses nas modalidades presencial e a distância. Para ele, as universidades cumprem com o seu papel, retornando à sociedade os recursos arrecadados por meio dos impostos. “A Universidade tem muito mais a oferecer, com cursos de graduação, especialização e pós-graduação”, disse ele, chamando a atenção dos novos empreendedores para a importância de se manterem atualizados e em constante qualificação.

PROGRAMA – O Programa Bom Negócio Paraná, instituído em 2012, oferece cursos de capacitação gerencial e consultorias, gratuitas, para micro e pequenos empresários. Os cursos são realizados nas modalidades presencial e a distância (EaD) pelas universidades estaduais.

O curso é composto pelos módulos de Gestão de Negócios, Gestão Comercial, Gestão de Pessoas, Gestão Financeira e Gestão Estratégica. Além da capacitação, permite aos empreendedores o acesso a financiamentos, com juros a partir de 0,61% ao mês. As faixas de financiamento variam de R$ 300 a R$ 3 milhões, de acordo com a capacidade de cada empresário.