São Paulo atropela Trujillanos e respira na Libertadores | Folha Paranaense
São Paulo atropela Trujillanos e respira na Libertadores
06/04/2016 às 12:13

sao pauloO reencontro do Morumbi com a Libertadores da América não poderia ser melhor! Com a melhor atuação da equipe na temporada 2016, o Tricolor goleou o Trujillanos-VEN por 6 a 0 e renasceu na competição continental. Com quatro gols do inspirado Calleri, um de Kelvin e outro de João Schmidt – apostas de Patón para o confronto desta terça-feira (5) -, o São Paulo recuperou a confiança no ano e ampliou a sua invencibilidade para sete jogos consecutivos. De quebra, a convincente performance diante dos rivais registrou o placar mais elástico do clube na competição, além de se tornar o time brasileiro com o maior número de triunfos no campeonato: agora com 87!

Com a importante vitória, o Tricolor colou nos líderes do Grupo 1 e acirrou a disputa por uma vaga nas oitavas de final. No saldo de gols (cinco contra quatro), o São Paulo superou o River Plate-ARG na classificação e assumiu a vice-liderança enquanto aguarda o desfecho da quarta rodada. Na ponta da chave está o The Strongest-BOL, com sete pontos, seguido pelo time são-paulino e pelos argentinos, ambos com cinco. Antes de retomar a disputa na Libertadores, a equipe terá a rodada final da primeira fase do Campeonato Paulista: enfrentará o São Bento no final de semana. Depois, receberá o River Plate-ARG pela competição sul-americana.

Para encarar os venezuelanos, o técnico Edgardo Bauza não pôde contar com Renan Ribeiro (apendicite), Breno (tendinite no joelho direito), Rogério (estiramento no posterior da coxa esquerda), Carlinhos (estiramento no posterior da coxa esquerda), Lugano (lombalgia) e Wesley (aprimora a forma física após se recuperar de lesão muscular). Assim, apostando nas entradas de João Schmidt e Kelvin, o experiente treinador argentino escalou o time com Denis; Bruno, Maicon, Rodrigo Caio e Mena; Hudson, João Schmidt e Paulo Henrique Ganso; Michel Bastos, Kelvin e Calleri.

Já o adversário começou a partida com Pérez; Granados, Castillo, Erazo e Páez; Mendoza, Cova, González e Sosa; Cabezas e Rojas. Quando a bola rolou, o Tricolor tratou de trocar passes para abrir os espaços, mas nos instantes iniciais tinham dificuldade para furar o bloqueio adversário. No entanto, na primeira investida após envolver o rival, o São Paulo conseguiu abrir o placar e iniciar a goleada. Aos 12 minutos, Michel Bastos cruzou da esquerda, Calleri, livre dentro da área, desviou de cabeça, e a bola foi parar o fundo das redes!  1 a 0!

Sem deixar o ritmo cair, a equipe são-paulino quase ampliou no minuto seguinte:  após troca de passes envolvente, Mena dominou na esquerda, fez o cruzamento, Hudson emendou belo chute de primeira, e a bola passou perto. Confiantes, os anfitriões se soltaram na partida, pressionaram os visitantes e agradaram a torcida, que fazia festa nas arquibancadas. E foi empurrado pela torcida que o time de Patón abriu vantagem aos 17. Mena cruzou, Kelvin desviou de cabeça, e Héctor Pérez defendeu. No rebote, o atacante bateu de esquerda, a zaga tentou salvar em cima da linha, mas não conseguiu: 2 a 0!

O ritmo intenso do Tricolor, demonstrando a vontade da equipe de conquistar a importante vitória, resultou em nova oportunidade aos 23 minutos: Kelvin saiu em velocidade pela direita, saiu da marcação, cruzou rasteiro para o meio, Michel Bastos completou na pequena área, e Pérez fez a defesa. E a blitz são-paulina logo transformou o triunfo em um marcador elástico no minuto seguinte. Aos 24, em bela trama, João Schmidt tocou na esquerda, Mena deixou passar, Ganso tocou de primeira para o meio, e o volante apareceu dentro da área para completar ao fundo das redes: 3 a 0!

Ainda antes do intervalo, o São Paulo teve duas boas chances para ampliar o saldo. Hudson, de perna esquerda, arriscou de longe e levou muito perigo: a bola passa perto da trave de Pérez. Depois, Michel Bastos cobrou o escanteio, Rodrigo Caio mergulhou de cabeça, e a bola passou raspando a trave direita. A equipe brasileira tinha o domínio completo do jogo, chegava com facilidade ao ataque e sequer levou sustos no primeiro tempo.

Na volta para a segunda etapa, com a mesma disposição, o Tricolor não demorou para arrancar mais um grito de gol dos torcedores! Logo aos três minutos, na cobrança do escanteio, Paez derrubou Calleri dentro da área, e o árbitro marcou pênalti! Com categoria, aos quatro, o próprio camisa 12 converteu e anotou o quarto gol do confronto – o seu segundo na partida: 4 a 0!

Daí em diante, com a tranquilidade que o resultado proporcionava, Bauza aproveitou para promover algumas alterações na equipe. Aos 14, Lucão herdou a vaga de Rodrigo Caio. Mais tarde, aos 23, Thiago Mendes e Lucas Fernandes ocuparam as vagas de Hudson e Kelvin, respectivamente. O volante Thiago Mendes, que entrou ligado e buscando as jogadas, passou perto duas vezes de balançar as redes, mas ficou no quase.

Mesmo com um placar elástico, o São Paulo seguiu em cima dos rivais até os instantes finais e, assim, ampliou com Calleri aos 35 minutos: o argentino sofreu pênalti, cobrou e anotou no rebote do goleiro! 5 a 0! O placar já parecia definido, quando novamente o atacante apareceu em rápido contragolpe para marcar o sexto do São Paulo, aos 41! 6 a 0, festa nas arquibancadas e confiança renovada!

Deixe seu comentário