Paraná aumenta em 11% número de empresas ativas em 2016 | Folha Paranaense
Paraná aumenta em 11% número de empresas ativas em 2016
07/02/2017 às 12:39

Mesmo com a recessão, o número de empresas ativas cresceu no Paraná em 2016. O Estado encerrou o ano passado com 1,3 milhão de empresas em atividade, 10,73% mais do que as 1,18 milhão registradas em 2015. No ano passado, o Paraná era o quinto Estado com maior número de companhias em operação, com 6,63% do total de 19,7 milhões de empresas ativas no País.

Agência Estadual de Notícias

Os dados são do Empresômetro, plataforma desenvolvida pelo Instituto de Planejamento e Tributação (IBPT) e que projeta em tempo real o número de empresas com registro ativo no País.

Entre as cidades com maior número de empresas ativas no Estado estão Curitiba, com 23,7% do total, Londrina (5,88%), Maringá (4,92%), Ponta Grossa (3,12%) e Cascavel (3,06%).

O avanço do número de empresas ativas foi puxado principalmente pelos trabalhadores que abriram seus negócios por conta própria. O número de microempreendedores individuais (MEI) teve crescimento de 17,92%, com evolução de 572.925 em 2015, para 674.169 em 2016. no Paraná.

Para o economista Julio Suzuki Junior, diretor-presidente do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes), muitas pessoas que perderam seus empregos com a crise econômica passaram a empreender, especialmente no setor de serviços.

Mas o crescimento do número de empresas ativas não é fruto apenas dos microempreendedores individuais. “O povo do Paraná é empreendedor por natureza. Os números mostram um avanço também no número de empresas de maior porte, como indústrias. Esse é um dado positivo porque mesmo em um cenário adverso houve avanço nos números. A expectativa é que essas empresas possam crescer quando a economia começar sua retomada e ampliar a geração de empregos ”, diz.

ABERTURA – O presidente da Junta Comercial do Paraná (Jucepar), Ardisson Akel, lembra que o número de empresas abertas no Paraná, sem contar os microempreendedores individuais, cresceu 3% em 2016 em relação ao ano anterior. Passou de 38.383, em 2015, para 38.383 em 2016.

O número de baixas de empresas, mesmo com a crise econômica, também registrou redução, de acordo com a Jucepar. Foram 40.354 companhias extintas, 3% menos do que as 41.645 que encerraram atividades no ano anterior.

SETORES – Entre os setores que mais cresceram em 2016 no Paraná, de acordo com o Empresômetro, os destaques foram o de serviços, com alta de 13,17% no número de empresas ativas, que encerrou o ano com 636.955 companhias, contra 562.815 no ano anterior.

O segundo setor com maior número de empresas ativas foi a indústria, com avanço de 10,43%, de 101.174 para 111.727. O volume de empresas ativas na área do agronegócio, por sua vez, aumentou 9,77%, de 27.114 para 29.764. As empresas que atuam no setor de comércio aumentaram 8,15%, de 464.738 para 502.634.

COMÉRCIO – As empresas do Estado estão espalhadas em diversos setores, mas em 2016 a atividade com maior número de empresas ativas no Estado era comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios, com 5,97% de participação (77.796 empresas ativas). Em segundo lugar estava o setor de lanchonetes, casas de chás e sucos, com 3,16% do total (41.228). Comércio varejista de mercadorias em geral, como minimercados, mercearias e armazéns ocupava o terceiro lugar, com 35.502, o que representou 2,72% do total.

O crescimento de 2016 também reflete a desburocratização do processo de abertura de empresas, de acordo com o presidente da Junta Comercial, Ardisson Akel. O programa Empresa Fácil Paraná, que integrou as informações entre os vários agentes envolvidos nas licenças, trouxe vantagens aos empresários e seus contadores, que não precisam mais se dirigir a diferentes órgãos e secretarias, já que o programa torna a Jucepar porta única de entrada de informações para o registro empresarial. A Rede de Simplificação do Registro Empresarial (Redesim), operada no Estado pelo programa Empresa Fácil, já conta com 210 prefeituras integradas. Recentemente a Prefeitura de Curitiba anunciou que vai participar da rede. A meta, de acordo com Ardisson Akel, é integrar dados de todas prefeituras do Estado até o fim do ano.

Deixe seu comentário