Arapoti: Terra que mana Leite e……MEL | Folha Paranaense
Arapoti: Terra que mana Leite e……MEL
03/06/2017 às 09:52

Arapoti – Na tradição bíblica, após 400 anos de escravidão no Egito, Deus prometeu que livraria o povo hebreu da mão dos egípcios e os levaria até uma terra em que “mana leite e mel”, a prometida Canaã. Trazendo para a realidade atual, Arapoti hoje também pode ser considerada uma terra abençoada e que mana leite e mel.

Arapoti maior produtor de mel do Estado. Foto: Arquivo Pessoal/Daunei Luiz

Além da fama da alta produtividade de sua bacia leiteira, liderada especialmente pelo gado holandês, Arapoti é conhecida pela alta produção de mel. Segundo dados da Associação dos Apicultores dos Campos Floridos (AAPICAF), baseado em estatísticas do Deral (Secretaria de Agricultura e Abastecimento), a produção de mel deste ano ultrapassará a marca de mil toneladas, fazendo de Arapoti o maior produtor do estado e um dos maiores do país.

Segundo o presidente da AAPICAF, Daunei Luiz de Oliveira, aproximadamente 150 famílias arapotienses sobrevivem da cultura, o que gera uma injeção, segundo ele, de aproximadamente R$ 15 milhões na economia do município. “Esse é um dinheiro que fica aqui no comércio de Arapoti” explica. Até por isso, ele acredita que a atividade deveria ser melhor valorizada, principalmente pelo poder público.

Hoje os apicultores arapotienses tocam suas produções praticamente independentes. “Os custos são muito altos. O Município em vez de tentar trazer empresas de fora, poderia investir no que os seus cidadãos produzem aqui, gerando mais emprego e renda para a cidade” explica. Daunei explica que os produtores reivindicam principalmente a construção de uma Usina do Mel, onde os produtores poderiam reunir toda a sua produção e vender por melhores preços.

Campos Floridos de Arapoti propício para a Apicultura. Foto: Arquivo Pessoal/Daunei Luiz

Outra reivindicação é o apoio do poder público junto à empresas que atuam em áreas do município. “Hoje muitos apicultores estão impedidos de entrar em áreas privadas, especialmente por falta de um dialogo e intervenção dos nossos representantes, buscando viabilizar a colocação das caixas em florestas de eucaliptos, por exemplo, onde a abelha produzirá o mel” disse o presidente.

Os benefícios que a atividade proporciona, especialmente na importância da polinização que as abelhas promovem, são vistos como trunfo. “A apicultura é uma das atividades que mais convive pacificamente com a natureza, exercendo papel fundamental no desenvolvimento sustentável” falou Dauinei.

Na última sexta-feira, 26, os apicultores estiveram reunidos na Câmara Municipal com vereadores e representante do Executivo, apresentando suas principais demandas. “Esperamos que a partir desta reunião, possamos contar com melhor apoio do Poder Público” concluiu o apicultor.

Matéria Publicada na edição impressa da Folha Paranaense em 31/05/2017

Segundo dados da AAPICAF são produzidos mais de mil toneladas de mel na cidade. Foto: Arquivo Pessoal/ Daunei Luiz

Deixe seu comentário