segunda-feira, janeiro 18, 2021
Início Notícias Locais Promotoria instaurou procedimento para apurar denúncia de Nepotismo Cruzado

Promotoria instaurou procedimento para apurar denúncia de Nepotismo Cruzado

Arapoti – Na tarde desta segunda-feira, 24, a Promotoria de Justiça da Comarca de Arapoti apresentou um balanço das atividades realizadas pelo promotor José de Oliveira Junior. Entre as principais ações empreendidas destacam-se; a instauração de apuração da denúncia de nepotismo cruzado praticado entre os agentes públicos de Arapoti e Jaguariaíva, a recomendação da exoneração do Chefe de Gabinete da Prefeitura, Edilson Corsini e a abertura de Ação Civil Pública para a interdição da Cadeia Pública e remoção de presos condenados.

Promotor José de Oliveira Junior. Foto: Divulgação/ MP Arapoti

O relatório de trabalho ainda destaca a condenação dos acusados pelo homicídio praticado no “Bar dos Piá” há três anos e também o flagrante de três agentes comunitárias de Saúde “matando o serviço”. Em relação ao caso de nepotismo, a Promotoria recebeu denúncia encaminhada pela Câmara Municipal e instaurou a notícia de fato nº MPPR-0009.17.000511-1. O objetivo é apurar a ocorrência de nepotismo cruzado, decorrente da contratação de Caroline Sloboda Wahl, filha do prefeito de Jaguariaíva, José Sloboda, pelo Município de Arapoti para ocupar o cargo de Chefe de Divisão de Planejamento Ambiental.

Em contrapartida, o Município de Jaguariaíva, teria contratado Carlos Eduardo Pereira, “companheiro” da Vice-prefeita, Nerilda Aparecida Penna, nomeado como Chefe da Divisão Administrativa da Secretaria Municipal de Saúde (SEMUS). De acordo com o Promotor de Justiça, Dr. José de Oliveira Júnior, o Ministério Público (MP) aguarda as respostas aos ofícios em que foram requisitadas informações aos envolvidos.

Sobre o pedido de interdição da Cadeia, o promotor ressaltou a superlotação da carceragem, além das péssimas condições oferecidas aos detentos. Ele lembrou do motim realizado no dia 21 de abril e também da fuga de presos. Na sua alegação, o promotor apontou a impossibilidade de funcionamento da Cadeia de Arapoti na situação em que se encontra atualmente, abrigando 65 presos, sendo 26 deles condenados, em um local com capacidade para até 24 detentos.

 

- Advertisment -
- Advertisment - Tersane