Economia: A cooperação que promove o crescimento da comunidade | Folha Paranaense
Economia: A cooperação que promove o crescimento da comunidade
19/10/2017 às 15:04

Toda a vez que você faz suas compras no mercado ou na loja de sua cidade, você está cooperando para o crescimento do empresariado local que terá mais condições de gerar novos postos de trabalho, fazendo com que o dinheiro circule dentro do município. Com esta filosofia em mente, o presidente do Sistema OCB, Márcio Freitas, destacou a importância do cooperativismo de crédito para as cidades.

Manfred Dasenbrock (Presidente da SicrediPar), Márcio Freita (Presidente da OCB) e Gill Giardelli participaram de palestra com jornalistas

“Está comprovado estatisticamente que os municípios que possuem pelo menos uma cooperativa de crédito como o Sicredi, tem em média um IDH (Índice de Desenvovimento Humano) aproximadamente 10% maior do que os municípios que não têm” disse Freitas. Segundo ele, isto é possível pois o dinheiro movimentado nas cooperativas de crédito fica no município, gerando impostos para o município, ao contrário das instituições financeiras tradicionais que fica concentrado nas mãos dos proprietários dos bancos. No caso de instituições cooperativas como o Sicredi, o associado é que o proprietário.

Márcio participou de uma coletiva de imprensa na última semana em Porto Alegre que reuniu jornalistas de todo o país para o Press Trip Sicredi 2017. A reportagem da Folha Paranaense esteve a convite do Sicredi acompanhando o roteiro elaborado como parte das celebrações do dia internacional do cooperativismo de crédito, comemorado nesta próxima quinta-feira, 19 de outubro. Participaram da coletiva, além de Márcio, o presidente da Sicredi Par, Manfred Alfonso Dasenbrock e o palestrante Gil Giardelli, professor da ESPM e estudioso da cultura digital.

Manfred credita o crescimento do Sicredi, fundado em Nova Petrópolis/RS no ano de 1902, justamente ao modelo cooperativista. “Nós entendemos que o modelo cooperativo é uma proposta nova, fugindo do capitalismo e do socialismo, se mostrando como uma nova vertente, pois é uma sociedade administrada por pessoas. A cada ano se mostra como uma alternativa interesante em relação ao mercado financeiro tradicional, onde o próprio sócio é dono e por ser dono participa tanto da gestão bem como dos resultados, com todo o recurso ficando na comunidade” destacou Manfred.

Números do Cooperativismo

A abrangência internacional das cooperativas de crédito é evidenciada pelo Woccu (World Council of Credit Unions – Woccu, na sigla em inglês). Em 2016, a entidade internacional representativa registrou 235 milhões de associados, 68 mil cooperativas de crédito, localizadas em 109 países de seis continentes. A taxa de penetração do segmento – que é calculada dividindo o número total de membros de cooperativas de crédito pela população em idade economicamente ativa – é de 74,47% na Irlanda, 52,61% nos Estados Unidos, 46,71% no Canadá, 19,65% na Austrália e 3,42% no Brasil.

Jornalistas de todo o país participaram de coletiva em Porto Alegre

Embora pequena, quando comparada a outros países, a participação das cooperativas de crédito no Sistema Financeiro Nacional (SFN) tem registrado crescimento constante. Segundo o Panorama do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo 2016, divulgado pelo Banco Central recentemente, o segmento passa por um processo de consolidação. Em dezembro de 2016, registrou8,9 milhões de associados, 5,3 milhões a mais do que o número de 2007. As 1.017 cooperativas em atividade, no final do ano passado, estavam presentes em cerca de metade das cidades brasileiras, com 4.679 agências.

O documento do Banco Central também aponta que o percentual de participação das cooperativas de crédito aumentou em relação ao Sistema Financeiro Nacional (SFN). Em ativos totais, os R$ 154,1 bilhões corresponderam a 1,87% do SFN, os R$ 83,6 bilhões da carteira de crédito equivalem a 2,41% e nos depósitos o percentual é de 4,26% com R$ 90,9 bilhões.

Sicredi

Inserido nesse contexto, o Sicredi – instituição financeira com mais de 3,6 milhões de associados em 21 estados brasileiros, tem contribuído para o crescimento sólido e sustentável do cooperativismo de crédito. As raízes do Sicredi estão no surgimento do cooperativismo de crédito no Brasil, em 1902, como uma forma de organização coletiva de pequenos agricultores no Sul do país. Pioneiro e referência nacional e internacional pela organização em Sistema, com padrão operacional e utilização de marca única, o Sicredi conta, atualmente, com 116 cooperativas de crédito filiadas, presentes em 1.185 cidades. Em 197 municípios é a única instituição financeira.

Central de Operações do Sicredi em Porto Alegre

De acordo com Demonstrações Financeiras Combinadas do primeiro semestre de 2017, o resultado líquido do Sicredi cresceu 36,4%, quando comparado ao mesmo período do ano anterior, totalizando R$ 1,2 bilhão. Os ativos atingiram R$ 72,8bilhões, crescimento de 17,2% no comparativo com o primeiro semestre de 2016. Já o patrimônio líquido do Sicredi mostrou expansão de 19,3%, atingindo R$ 11,8 bilhões.

Na captação, o Sicredi obteve um crescimento de 18,0% em depósitos totais. No mesmo período, a poupança, um dos focos da instituição financeira cooperativa, teve um aumento de 32,9%, atingindo R$ 7,8 bilhões. No primeiro semestre de 2017, a carteira de crédito do Sicredi registrou R$ 37,0 bilhões, um incremento de 16,8% em relação ao mesmo período de 2016. Deste montante, 67% está em cidades de pequeno porte (até 50 mil habitantes) e 51% do crédito comercial para pessoa jurídicafoi concedido paramicro e pequenas empresas (faturamento de atéR$ 3,6 milhões anuais), evidenciando o suporte que a instituição financeira cooperativa proporciona a este segmento.

A carteira de crédito rural e direcionados fechou em R$ 15,9 bilhões, com crescimento de 22,8% em comparação ao mesmo período de 2016.No Plano Safra 2016/2017,foram liberados R$ 12,4 bilhões, 41% mais do que na safra anterior que foi R$ 8,8 bilhões, totalizando 175 mil operações e 104 mil associados atendidos e abrangendo mais de 1.500 municípios brasileiros.

Mesmo com o crescimento da carteira de crédito, o índice de inadimplência do Sicredi manteve-se baixo, com 2,08.

Press Trip Sicredi 2017

Deixe seu comentário