domingo, abril 11, 2021
Início Notícias Locais Vereador Giovanni: “Não estou condenado, estou denunciado”

Vereador Giovanni: “Não estou condenado, estou denunciado”

Arapoti – Dois dias depois da Câmara Municipal receber a denúncia por quebra de decoro parlamentar, o vereador Giovanni Carneiro (Progressistas) resolveu se manifestar publicamente. Ele afirmou que vai provar sua inocência da acusação de estelionato qualificado e disse ser vítima de uma espécie de retaliação política por ter votado pela cassação do ex-prefeito Braz Rizzi (DEM).

Vereador Giovanni afirmou que vai provar a sua inocência. Foto: Divulgação.

A denúncia recebida pela Câmara na última quarta-feira, 25, foi enviada ao Conselho de Ética que analisará se prosegue ou não com o processo de cassação do mandato do vereador Giovanni. O conselho é formado pelos vereadores Nei Ferreira (PSC), Ricardo Pedroso (PPS) e Victor Brondani (PDT). Eles terão um prazo de 15 dias para emitir um parecer favorável ou não à cassação. Na sequência, Giovanni terá 10 dias para apresentar defesa prévia.

A denúncia apresentada na Câmara é baseada em ação proposta pelo Ministério Público da Comarca de Arapoti que acusa o vereador de ter cometido o crime de estelionato qualificado por supostamente ter recebido R$ 4,8 mil de uma aposentada com a promessa de que conseguiria um aumento no valor mensal do seu benefício junto ao INSS. Segundo a promotoria, o vereador teria ludibriado a idosa com a intenção de obter vantagem financeira.

Giovanni não entrou em detalhes sobre a acusação. Ele apenas afirmou que provará sua inocência. “Não estou condenado, estou denunciado. Vou provar minha inocência.  Se Deus quiser tudo vai ser provado e eu vou concluir o meu mandato”. O vereador elogiou o trabalho do promotor José de Oliveira Júnior. “Ele está realizando um trabalho brilhante, denunciando o que tem que ser denunciado” afirmou.

Ele ressaltou que já teve dois inquéritos arquivados. “Para quem fala que tenho um monte de inquérito que vá até o Fórum. O que tem contra a minha pessoa é essa denúncia que foi encaminhada para a Câmara” disse Giovanni. Ele afirma estar sofrendo retaliação política. “Quando tem algo que envolve a minha pessoa em alguma sessão, o plenário enche de comissionados e simpatizantes do ex-prefeito. Aí não consigo nem usar a tribuna para me defender, pois querem me vaiar” disse.

Giovanni encerrou afirmando que não cede à esta pressão. “Eu devo satisfação aos meus 500 eleitores que me elegeram e aos 27 mil habitantes de Arapoti e não a esses empresários e financiadores de campanha. Não tenho rabo preso com ninguém. Fiz a minha campanha no peito e na coragem. Quero pedir que o povo que me deu o seu voto, que confie, pois vou provar minha inocência. Vou buscar todos os meus direitos e vou procurar tudo o que tem de errado e vou denunciar também. Doa a quem doer, porque ninguém está pensando na família de ninguém” concluiu.

- Advertisment -
- Advertisment - Tersane