quarta-feira, junho 23, 2021
Início Notícias Locais Maria Alzira Christensan: uma vida de dedicação à saúde

Maria Alzira Christensan: uma vida de dedicação à saúde

A partir deste ano, o dia 15 de fevereiro não será mais o mesmo para toda Jaguariaíva e região. A data em questão marcará para sempre o dia em que toda uma comunidade despediu-se daquela que nesta vida terrena dedicou-se integralmente à nobre causa da saúde, a enfermeira Maria Alzira Christensan.

Natural do município paranaense da Lapa, Maria Alzira nasceu no dia 13 de julho de 1941, sendo filha do casal João Germano Christensan e Margarida Bzuneck, ambos falecidos.

Ainda menina mudou-se com seus familiares para o Estado de Santa Catarina, mais precisamente para o município de Canoinhas onde iniciou seus estudos primários no Instituto Sagrado Coração de Jesus, vindo a concluir os mesmos no Colégio Estadual Duque de Caxias localizado no município de Mafra no mesmo estado. Posteriormente regressou para sua cidade natal onde cursou o Ginasial no Colégio Estadual São José. Mais tarde, ingressou na Escola de Enfermagem Madre Leonie, primeiro curso de enfermagem do estado do Paraná, instalado na capital Curitiba, hoje, atual curso de enfermagem da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR). No convívio de sua formação superior, Maria Alzira foi entre outras, aluna aplicada de Maria Lêda Vieira, primeira enfermeira psiquiátrica do Paraná.

Diplomada em 1959, logo no ano seguinte foi nomeada para assumir o posto de Enfermeira Chefe do recém-inaugurado Hospital Regional de Jaguariaíva, posteriormente denominado como “Carolina Lupion”, em homenagem à progenitora do então Governador do Paraná, o jaguariaivense Moysés Lupion. Exerceu esta função ininterruptamente com total ética e honradez até o ano de 1977 e, após deixar este mando, assumiu a Chefia do Serviço de Enfermagem do Hospital São Lucas do município de Ponta Grossa, função esta desempenhada por exatos seis meses.

No ínterim de seus trabalhos no hospital, lecionou as disciplinas de Ciências Biológicas, Puericultura, Técnica de Enfermagem e Higiene na Escola Normal Secundária “Paula Gomes”, além de proferir diversas palestras com a temática de saúde para as turmas do curso ginasial do Colégio Estadual Rodrigues Alves (CERA).

Adiante, entre os anos de 1978 e 1986, ministrou para os cursos de Magistério, Básico em Saúde, Técnico em Contabilidade e Propedêutico, as seguintes aulas: Programa de Saúde, Fundamentos de Assistência e Saúde, Anatomia e Fisiologia; Noções de Saúde, Microbiologia e Parasitologia, Nutrição, Noções de Saúde e Bem-estar Social. Também foi professora do curso de Atendente de Enfermagem promovido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC) nos seguintes locais: Hospital Carolina Lupion (Jaguariaíva), Hospital e Maternidade Sengés (Sengés), Hospital São Lucas (Ponta Grossa) e Hospital Bom Jesus (Castro).

Na vida pública, juntamente com sua cordial companheira de trabalho, a professora e também enfermeira Olga Kojo Turek, candidataram-se para o legislativo pelo partido da Aliança Renovadora Nacional (ARENA) nas eleições municipais de 15 de novembro de 1968, sagrando-se ambas vitoriosas, tornando-se assim as duas primeiras mulheres a serem candidatas e eleitas para Câmara Municipal de Jaguariaíva. O feito ainda se repetiu nas eleições seguintes de 15 de novembro de 1972 e ainda em 15 de novembro de 1976, porém nesta última somente Olga foi eleita, ficando Maria Alzira na primeira suplência, mas no ano de 1979, assumiu a cadeira no legislativo em virtude do falecimento precoce da amiga Olga.

Como vereadora, Maria Alzira foi muito atuante, lutando sempre pelos interesses de toda população do município, tanto da zona urbana, quanto da rural. Da mesma forma, através de sua postura ética, angariou cargos relevantes na mesa executiva da Câmara, tendo sido sua Presidente no quatriênio 1969 a 1972, a primeira mulher até hoje eleita para tal ofício. Também foi Secretária da mesa no período de 1973 a 1976, além de ter feito parte das comissões de saúde, higiene e assistência social, exarando pareceres significativos sobre matérias atinentes à saúde e assistência social em geral, higiene e profilaxia sanitária, assistência sanitária, alimentação, nutrição, práticas esportivas e de lazer.

Em 1978 foi nomeada Coordenadora do Serviço de Enfermagem da Unidade Sanitária de Jaguariaíva, mais tarde denominado como Centro de Saúde Integrado. Posteriormente entre os anos de 1986 e 1987 exerceu meio período da Chefia do Serviço de Enfermagem através da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (FAEP). Ainda em 1987, tomou posse na Diretoria Administrativa do Hospital Carolina Lupion. Adiante, em 1990 reassumiu suas funções de chefia no setor de enfermagem do referido hospital permanecendo em tal função até sua aposentadoria da Secretaria Estadual de Saúde, concedida no ano de 1994. Porém, mesmo após a sua aposentadoria seu vasto currículo e profissionalismo fez com que fosse nomeada para exercer o cargo em comissão de Chefe da Divisão de Saúde nas dependências do Hospital Carolina Lupion recém municipalizado no contexto. Ainda exerceu por exato uma década a Presidência voluntária da Legião Brasileira de Assistência (LBA) em Jaguariaíva.

Das muitas homenagens públicas que recebeu, destacam-se o Título de Cidadã Honorária de Wenceslau Braz outorgado pela Câmara Municipal deste município pelos relevantes serviços prestados à população brazense no setor de assistência médico-hospitalar. Também o Diploma de Honra ao Mérito alusivo ao Sesquicentenário da Independência do Brasil outorgado pelo então prefeito de Jaguariaíva, senhor Mário Fonseca em 1972. E aquela que considerava a maior honraria recebida, o Título de Cidadã  Honorária de Jaguariaíva, outorgado pela Lei Municipal nº 1.326/1996 de 01 de julho de 1996. Outro tributo da qual ficou muito honrada foi de ter sido homenageada no desfile cívico-temático de 7 de setembro de 2009, onde foi destaque na ala da Secretaria Municipal de Saúde, desfilando em carro aberto e ovacionada por todos os presentes.

Casou-se com o ex-delegado de polícia Jacyr Branco Carneiro, o “Jace”, de cuja união o casal teve a filha Patrícia, casada com Roberto Werneck e pais de Dudley e Rebeca, o casal de netos que tanto amava.

Maria Alzira foi uma lapeana que escolheu Jaguariaíva como sua terra de adoção e por este recanto teceu profundo amor, tornando-se um verdadeiro referencial para todos em virtude de seu trabalho profissional e seu generoso coração sempre disposto em auxiliar o próximo. Entusiasmada sempre com a vida, soube também acolher a morte, devidamente confortada pela unção dos enfermos, visto ter sido uma fiel devotada. Partiu desta vida aos exatos 77 anos de idade no dia 15 de fevereiro de 2019 e como notória representante do povo, seu corpo fora velado no plenário da Câmara Municipal de Jaguariaíva e depois transladado para Lapa, onde foi sepultado no jazigo de sua família.

 Rafael Gustavo Pomim Lopes*

*O autor é Historiador e membro da Academia de Letras dos Campos Gerais.

- Advertisment -
- Advertisment - Tersane