Palmeiras e São Paulo ficam no empate sem gols em Araraquara | Folha Paranaense
Palmeiras e São Paulo ficam no empate sem gols em Araraquara
27/01/2020 às 10:30

Palmeiras e São Paulo se enfrentaram em Araraquara (SP), na tarde deste domingo (26), e não saíram do 0 a 0 em jogo válido pela 2ª rodada do Campeonato Paulista de 2020. Com o resultado, o Maior Campeão do Brasil completou o seu 10º duelo sem perder para o rival tricolor: último revés aconteceu em 27/05/2017, pelo Campeonato Brasileiro – desde então, fora, seis vitórias do Palmeiras e quatro empates (16 gols alviverdes e quatro tricolores). A série de 10 jogos sem perder para o São Paulo, de quebra, se tornou a maior invencibilidade do Verdão contra o São Paulo em toda a história pelo lado palmeirense, superando as nove partidas invictas impostas entre 1975 e 1977 (quatro vitórias e cinco empates).

O jogador Ramires, da SE Palmeiras, disputa bola com o jogador Hernandes, do São Paulo FC, durante partida válida pela segunda rodada, do Campeonato Paulista, Série A1, na Arena Fonte Luminosa.

O retrospecto invicto do Verdão diante do time Tricolor, curiosamente, também chegou a 10 partidas considerando apenas os jogos do Verdão como mandante. São nove vitórias e um empate, com 24 gols marcados e apenas um sofrido (o último triunfo são-paulino em domínios palmeirenses foi em 2014, no Pacaembu, pelo Campeonato Brasileiro – placar de 2 a 1 para o rival). Além disso, cresceu também a invencibilidade do Verdão diante do São Paulo levando em conta apenas o Campeonato Paulista: agora são 13 partidas, sendo a última derrota em 2009, no Morumbi. Desde então, foram oito vitórias e seis empates (19gp x 4gc).

Este foi o duelo de número 317 entre as equipes, sendo que o retrospecto geral é equilibrado: ao todo, foram 106 vitórias para o Verdão, 103 empates e 108 triunfos do São Paulo. O Alviverde marcou 412 gols e sofreu 408 tentos.

O embate também marcou o 60º clássico de Vanderlei Luxemburgo no Verdão (foram 25 contra o São Paulo, 19 contra o Santos e 16 diante do Corinthians). As 25 partidas frente o time tricolor, aliás, fazer do rival da vez o adversário mais frequente do comandante palmeirense: foram 10 vitórias, nove empates e seis derrotas.

Luxemburgo completou 377 jogos pelo Palmeiras no clássico deste domingo (26), em Araraquara-SP (Cesar Greco/Divulgação)

Em sua quinta passagem pelo Maior Campeão do Brasil (1993/1994; 1995/1996; 2002; 2008/2009 e a atual), Vanderlei Luxemburgo chegou à sua 377ª partida no clube, acumulando 229 vitórias, 82 empates e 66 derrotas e tem no currículo, pelo clube, as conquistas dos Paulistas de 1993, 1994, 1996 e 2008, dos Brasileiros de 1993 e 1994, e do Torneio Rio-São Paulo de 1993.

Além das principais conquistas, Luxemburgo possui outros triunfos memoráveis à frente do Verdão, algumas de caráter amistoso. No total são dez, sendo cinco de torneios (Copa Brasil-Itália 1994, na Itália, Torneio Lev Yashin 1994, na Rússia, Copa Euro América 1996, em Fortaleza-CE, Copa da China 1996, na China, e, agora, a Florida Cup 2020, nos Estados Unidos) e outros cinco de jogos únicos (Taça Reggiana 1993, na Itália, Taça Nagoya 1994, no Japão, e as Taça Jihan, Taça Xangai e Taça Pequim, todas em 1996, na China).

Choque-Rei fora de São Paulo

Antes desse, o último clássico disputado entre as equipes fora da capital aconteceu na Arena Barueri, em 15/07/2012, pelo Campeonato Brasileiro. Nesse dia, as equipes empataram por 1 a 1. Vale lembrar que, à época, a casa palmeirense passava por reforma; portanto, o time mandava alguns jogos em outros estádios, como o Pacaembu, o Canindé e a própria Arena Barueri.

Já o último jogo fora de São Paulo longe da área metropolitana (mais precisamente no interior do estado), como no caso da partida deste domingo, que foi em Araraquara – interior –, aconteceu no Eduardo José Farah, o Prudentão, em Presidente Prudente-SP, e também teve mando do Verdão – o jogo foi em 26/02/2012! Naquela ocasião, outro empate: porém, desta vez, por 3 a 3 (Daniel Carvalho e Barcos 2 fizeram os gols palmeirenses).

Destaques em campo

Nos aspectos individuais, alguns jogadores merecem menção especial. Destaque da base e efetivado ao time profissional em 2020, Gabriel Veron, de 17 anos, fez seu debute como titular no time palmeirense. O jovem atacante fez sua estreia em 28/11/2019 e, desde então, havia atuado cinco vezes – todas entrando no segundo tempo (este foi seu sexto duelo pelo clube).

Antes de Veron, dentre os garotos oriundos da base recentemente integrados ao time principal nesta temporada, já haviam figurado como titulares os meio-campistas Patrick de Paula (na Florida Cup, contra o Atlético Medelín-COL) e Gabriel Menino (na Florida Cup, contra o New York City-EUA, e no Paulista, contra o Ituano, e hoje, novamente, contra o São Paulo).

Já no hall dos mais experientes, Ramires foi destaque atuando como volante titular. Foi o seu 10º jogo pelo clube, mas o quarto dentre os 11 principais, sendo o primeiro em que jogou os 90 minutos (os outros em que foi titular foram contra o Goiás e Flamengo, pelo Brasileirão de 2019, e contra o New York City-EUA, pela Florida Cup 2020). Em lance individual no jogo desta tarde, o jogador por muito pouco não deixou sua marca: no primeiro tempo, fez fila, mostrando qualidade, e arriscou de fora da área, mas carimbou a trave! Ramires tem 32 anos, disputou as Copas do Mundo de 2010 e de 2014, foi trazido do futebol chinês e possui vínculo vigente com o Verdão até o final de julho de 2023.

Ainda dentre os mais vividos, Felipe Melo, antes volante, completou sua quarta partida como zagueiro – algo que acontece desde o início dessa temporada. A sequência não foi só na posição, mas também vestindo a braçadeira de capitão: nas quatro partidas que o Pitbull fez pelo Verdão em 2020, iniciou usando o adereço de autoridade máxima do time, fato que se repete pela 13ª vez desde que chegou ao clube em 2017. O jogador carioca soma 143 partidas e 11 gols pelo Alviverde, além de ter conquistado o Brasileirão de 2018.

O goleiro Weverton também não pode deixar de ser citado. O arqueiro alviverde se mostrou extremamente seguro das poucas vezes em que foi exigido. No fim do primeiro tempo, fez grande defesa no chute de Helinho, que arriscou de fora da área; no início do segundo tempo, evitou um gol praticamente feito por Daniel Alves – cara a cara com o camisa 10 do São Paulo, o guarda-metas palestrino fez uma defesa digna de futsal.

Além disso, o duelo contra o Tricolor tornou Lucas Lima figura ainda mais frequente no time titular. O meio-campista, dono da camisa 20, participou de 7 jogos seguidos como titular pela primeira vez desde julho de 2019: foram os três últimos jogos de 2019 (diante do Flamengo, Goiás e Cruzeiro – Brasileirão) e agora os quatro deste ano (Atlético Nacional-COL e New York City-EUA, pela Florida Cup, e Ituano e São Paulo, pelo Campeonato Paulista). Sua última grande sequência como titular até então, de oito jogos, havia acontecido entre maio e julho de 2019, ainda com o técnico Luiz Felipe Scolari. Agora, Lucas Lima está a apenas um duelo de igualar aquela marca, que, na ocasião, aconteceu contra os seguintes adversários: Sampaio Corrêa-MA (Copa do Brasil), Botafogo-RJ (Brasileirão), novamente o Sampaio Corrêa-MA (Copa do Brasil), Chapecoense, Athletico-PR, Avaí, Guarani e Internacional (todos pelo Brasileirão).

Já o lateral Victor Luis vive momento semelhante ao do companheiro Lucas Lima. O camisa 26 foi escalado no time titular nas últimas partidas – no caso de Victor, nas últimas três (São Paulo e Ituano, pelo Paulista, e New York City-EUA, pela Florida Cup), além de, no final da temporada passada, ter recebido duas chances de Mano Menezes nas rodadas finais do Brasileirão (contra o Vasco e o Fluminense). Desta forma, Victor Luis, de 26 anos, formado na base do Verdão, vem dividindo o protagonismo na lateral esquerda com Diogo Barbosa – o camisa 6, por sua vez, acumulou bons números ao longo de 2019 (como, por exemplo, ter sido o 3º jogador com mais desarmes e interceptações do Brasileirão daquele ano).

Por fim, mas não menos importante, Dudu não pode ficar de fora dessa lista de destaques do Choque-Rei. O Baixinho foi importante na construção das jogadas. Em números, Dudu é o atleta do atual elenco que mais disputou e fez gols em clássicos. O camisa 7 já disputou impressionantes 52 jogos (23 vitórias, 11 empates e 18 derrotas) contra os três principais rivais do clube alviverde: foram, ao todo, dez gols e 15 assistências.

Vale lembrar que Dudu fechou 2019 como o palmeirense com mais jogos, gols e assistências no ano. Dudu possui uma série de recordes pelo Palmeiras: 34º com mais partidas (297) pelo clube e 32º com mais gols pelo (68);  dentre os atacantes, é o 6º que mais venceu na história (170); é o 1º jogador com mais gols no Século XXI (68), 2º que mais jogou no Século XXI (297, atrás de Marcos, 392) e 2º com mais vitórias no Século XXI (170, atrás de Marcos, com 182); 2º maior artilheiro da história do Palmeiras em Campeonatos Brasileiros (41 gols, atrás apenas de César Maluco, com 61), 9º palmeirense com mais partidas pelo Brasileiro (154) e 7º com mais vitórias no BR (85, ao lado de Marcos); 9º atleta com mais gols pelo clube na Libertadores (5), além de ser o jogador que domina os números no Allianz Parque após a inauguração da arena em 2014: é quem mais jogou no estádio (124), mais venceu (88), mais fez gols (32) e mais serviu seus companheiros (33) vezes, além de ser o maior artilheiro do Gol Norte (12 tentos) e do Gol Sul (20).

Aspectos da partida

Na primeira etapa, o Alviverde levou algum tempo para entrar em sintonia, mas, não demorou muito, e o time de Vanderlei Luxemburgo passou a dominar as ações do jogo. Dudu, Luiz Adriano e Lucas Lima, por exemplo, tiveram suas chances, assim como Ramires, que acertou a trave de Volpi. Nos minutos finais da segunda etapa, o time tricolor até reagiu, mas parou em um Weverton inspirado, a exemplo de que como foi no inicio da segunda etapa.

Weverton, aliás, salvou o Verdão aos sete minutos do segundo tempo, em chute de Daniel Alves cara a cara, com uma defesa parecida com a de um goleiro de futsal. Na sobra, com Pablo o São Paulo ainda finalizou novamente, mas o zagueiro Felipe Melo, bem posicionado, rechaçou a redonda e mandou para longe. Em seguida, o Alviverde – assim como na etapa inicial – voltou a dominar as ações. Os lances de destaque do Palmeiras no segundo tempo foram uma cabeçada de Luiz Adriano no travessão e, tempo depois, um chute de Victor Luis de longa distância – o goleiro Volpi foi obrigado a espalmar.

Os minutos derradeiros ficaram marcados por um Palmeiras visivelmente melhor na parte física em campo e, com isso, causando pressão ao rival tricolor até o final da partida. A agitação alviverde, entretanto, não conseguiu ser traduzida em gols e a partida não saiu do zero a zero.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 0 X 0 SÃO PAULO

Local: Arena Fonte Luminosa, em Araraquara-SP
Data: 26 de janeiro de 2020 (domingo)
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Raphael Claus
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse e Neuza Inês Back
Público: 15.173 torcedores
Renda: R$ 1.107.400,00

Cartões amarelos: Vitor Bueno e Bruno Alves (São Paulo)

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha, Felipe Melo, Gustavo Gómez e Victor Luis; Ramires (Zé Rafael), Gabriel Menino (Patrick de Paula) e Lucas Lima; Dudu, Gabriel Veron (Willian) e Luiz Adriano.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

SÃO PAULO: Tiago Volpi; Juanfran, Bruno Alves, Arboleda e Reinaldo; Tchê Tchê, Daniel Alves e Hernanes (Everton); Helinho (Liziero), Vitor Bueno e Pablo (Pato).
Técnico: Fernando Diniz.

Deixe seu comentário